O LONGO BRAÇO

Um juiz norte-americano acaba de ligar o seu nome de forma irreversível à complexa questão da privacidade online (ou à sua ausência), deliberando a entrega por parte do Google dos IP's e usernames de todos os utilizadores do YouTube.

 

Stanton, o meretíssimo, entendeu que a privacidade é uma questão secundária em face do "superior interesse" (as aspas são minhas) da Viacom que, presume-se, será o mesmo que move a caça a quem faz downloads grátis de música na net. Ou seja, os direitos de autor prevalecem sobre a própria essência da net e da qual é impossível dissociar a questão da privacidade dos respectivos utilizadores.

 

Aberta esta caixa de Pandora e a menos que os recursos do Google a instâncias superiores possam contrariar a deliberação de Stanton, adivinham-se processos em barda e renasce com estrépito o debate acerca desta complicada definição de prioridades cujo desfecho pode influenciar de forma decisiva a internet como a conhecemos.

 

À cautela, e porque estas coisas acabam sempre por alastrar a todos os países onde a questão se coloca, a malta que bloga deveria ponderar a utilização futura de material do YouTube para encher chouriço nos seus posts...

publicado por shark às 10:33 | linque da posta | sou todo ouvidos