UM AMOR ESPACIAL

Apenas o ruído do vento na folhagem do arvoredo quebrava o silêncio que se instalou de permeio entre o som da paixão que ecoava naqueles olhares.
Ele lia um sinal de partida naquele brilho reflectido, o indicador para o momento certo de avançar com o beijo que imaginava enquanto ela se preparava para o acolher.
 
Apaixonado, hipnotizado, ele viu como que um halo luminoso envolvendo a silhueta da sua amada que, olhos fechados, unia os lábios num desenho que o encantou.
Parecia que levitava, pensou ele enquanto a seguia com o olhar quando ela pareceu elevar-se ao céu.
 
Foi então que ela desapareceu na parte inferior do ovni que a levou, rasgando a noite estrelada com um traço de luz.  
publicado por shark às 13:16 | linque da posta | sou todo ouvidos