A MANTEIRA DEZ MIL

diabroria.JPG

Bem Sharkinho, é a 1ª vez que entro no teu blog, via circular ;) e que surpresa este sítio, que texto tão intenso, li até ao fim de rajada, como se fosse um amor à 1ª vista. E sim, acredito e sinto que se sabe quando aquela pessoa é 'a tal'. A minha dúvida é se existe 'a tal' ou várias 'a tal' em vários momentos da vida, de acordo com as nossas necessidades interiores. Sinceramente acho que dava muito menos trabalho e chatice apaixonarmo-nos uma vez para a vida toda :)

Publicado por: vague às janeiro 6, 2005 08:36 PM


Este foi o primeiro dos muitos comentários com que a Vague contribuiu para as 10.000 entradas que este blogue recolheu ao longo de cerca de onze meses de actividade. Aconteceu na Posta Romântica, no início deste ano, um momento mágico da existência deste blogue que culminou no mais bonito evento blogueiro em que participei. O Encontro das Mantas, que reuniu um grupo de gente decidida a transpor para o real aquilo que o virtual alimentou, contou com a presença dela e isso confere-lhe um estatuto especial aos meus olhos. Esse Encontro também se revelou determinante na minha vida, pois marcou a certeza de uma paixão que ainda hoje tenho o privilégio de viver e acabou por resultar na união entre o esqualo e o seu elemento natural.
Um marco importante a que a minha amiga Vague, uma romântica inveterada, ficará ligada em definitivo.

A Vague é uma comentadora única, autora de alguns dos maiores "lençóis" que o charco conheceu. Tem, como referi por diversas vezes, uma musicalidade que a distingue. Basta olhar de relance para a caixa de comentários de qualquer posta para identificar uma entrada desta blogueira. Pelo tamanho, na maioria dos casos (embora com um ritmo menos intenso nos últimos tempos), e pelo tal jeito muito dela de tropeçar nas palavras sem se desequilibrar.

E a Vague "analógica" bate certo com a sua imagem virtual, como nas Mantas se provou. Igual a si própria, coerente. E simpática, dona de um sorriso discreto mas inequívoco no que concerne à essência da sua personalidade bem disposta. Uma pessoa que gosto de poder visualizar fora do âmbito destes nossos retratos feitos de palavras, de poder recordar com um rosto enquanto debito esta prosa que lhe é dedicada.

Acho que lhe assenta bem esta coincidência que a associa outra vez a um momento (para mim) especial deste blogue. Não pelo número em si, uma "barreira psicológica" como chamam a estas coisas, mas pelo que ele representa. A caixa de comentários do Charquinho é uma das minhas alegrias diárias.
E fico contente por ficar simbolizado por uma das "manteiras" que mais contribuiram para que se viesse a concretizar, organizado por mim e pela Mar (malhas que o destino teceu), o ponto mais alto da minha existência blogueira.

Maré alta para ti, amiga! E obrigado pela tua constante e indispensável presença nesta realidade que ajudas a construir.
publicado por shark às 00:07 | linque da posta | sou todo ouvidos