PROMETO CUMPRIR

As promessas são sempre tiros no escuro que podem involuntariamente atingir as expectativas de alguém. Mesmo que apenas de raspão, podem provocar uma infecção que o tempo alimenta com a sua passagem lenta mas inexorável sobre a ansiedade de quem aguarda o que nunca acaba por chegar.
Prometem-se coisas que alguém saboreia por antecipação, até à exaustão, acre na boca e na alma, da desistência que se perfila no horizonte quando se toma consciência de que na verdade essa promessa não passa de uma obrigação. Adiada sine die na certeza escorregadia de um futuro promissor.

As promessas não passam afinal de mais um inferno pleno de boas intenções.
E podem representar até um tiro no próprio pé de quem as utiliza como meros pretextos para adiar um desenlace qualquer, de forma egoísta, aquilo que não se quer mas não se admite perder.

As promessas podem doer. E a necessária anestesia é fatal para a confiança, arrastada pela esperança para o arquivo morto das maiores desilusões.
publicado por shark às 11:27 | linque da posta