A POSTA NOS OLHOS

santograal.JPG

Como identificarei a relíquia sagrada caso se cruze comigo ao longo da jornada? - perguntou o cavaleiro da távola.
O rei, que lançava os homens ao encontro do seu destino (como um deus), olhou para o céu em busca de inspiração.
De quantos se gabavam de olharem a peça nem um a conseguia descrever. Olhavam sem ver. E a relíquia desaparecia outra vez, esquecida. Perdida pelos homens sem alma nem fé.
O rei cogitou. E pensou como seria diferente o céu para aqueles que apenas lhe observassem uma ínfima porção. Insignificante e pequeno pontinho de luz. Nunca o reconheceriam, visto de uma forma redutora. Para os menos empenhados, o céu não existiria afinal. Como a relíquia sagrada que o cavaleiro se propunha descobrir.
Sempre que te cruzares com algo de diferente, ainda que não o pareça à primeira vista, concentra a tua atenção nas questões de pormenor. Aprende a ler os sinais que a relíquia nos dá, identifica-os. Só então entenderás.E se ainda assim te restarem dúvidas, observa-te também. No reflexo de ti que a relíquia produzir encontras a resposta a todas as perguntas que algum dia quiseste fazer. A relíquia tem origem divina, foi moldada no céu.
Mas isso não me ajuda grande coisa, senhor. - titubeou o cavaleiro. E prosseguiu. - Eu nunca vi coisa parecida sequer...
Lembra-te onde foi moldada. - insistiu o rei. - Olha-a com atenção e com empenho, com paixão e com fé.
Saberás que a encontraste pela cor com que te devolver esse olhar
.
publicado por shark às 18:37 | linque da posta | sou todo ouvidos