A POSTA FRESQUINHA

Realmente, vale a pena estar atento ao que me dizem nas caixas de comentários. Não raras vezes tenho tido a sorte de receber excelentes conselhos por parte das pessoas que me deixam umas palavrinhas.
Foi o caso da Mi, simples, objectiva e muito desenrascada na solução que aventou. ‘A solução talvez passe por pôr aí umas postas fresquinhas, não?’ Fabulosa. E tem mesmo toda a razão.

Claro que nisto dos blogues é como nos mercados do peixe, a coisa não funciona à segunda-feira. Mas existe a vantagem das postas virtuais sobre as outras, saem sempre frescas para o prato do freguês. Acabadas de pescar, algures no vasto oceano da informação ao dispor ou no pequeno aquário de conhecimentos que temos no interior do crânio.
Confesso que hoje a faina não correu de feição. E estaria num sarilho enorme, não fora a Mi deixar-me o recado singelo que serviu para me arrancar do torpor.
Nem precisei de deitar a rede ao mar outra vez, o assunto caiu-me no colo.

Já insisti nesta tecla por diversas vezes e continuo a sentir-me motivado para a tocar, até porque não me constam milagres para os lados do Weblog.PT e a actualidade não se perdeu. O tema da viabilização da máquina que o Paulo Querido para nós montou é recorrente na minha postura, mas adquire uma nova frescura quando surgem sinais de que alguém deu atenção ao problema.

Será apenas mais um a optar pelo caminho que se impõe, mas para mim o Eufigénio Lagoa já se havia distinguido como um blogueiro capaz de discernir a razão e de agir em conformidade. A sua passagem ao grupo de pagantes do Weblog.PT, mesmo quando lhe restam dúvidas se irá prolongar a sua permanência na blogosfera (deves estar a brincar, Eufigénio...), é digna de uma posta das minhas.
Os bons exemplos são sempre peixe graúdo e nunca precisam de ir ao congelador.
publicado por shark às 17:16 | linque da posta | sou todo ouvidos