SIM SENHORES (7)

É penoso o registo do desconforto de alguns perante a situação delicada em que o seu líder partidário se colocou (com a sua inestimável colaboração).
Aliás, seria previsível que pretendessem a im(p)unidade política que garantiria a vitória moral em qualquer dos cenários possíveis.

Desgraçadamente, na realidade pragmática da política partidária as coisas não acontecem assim...
Derrotas são derrotas e não há forma de um dirigente político contornar o problema, mesmo jogando com a posição "defensiva" de permitir liberdade de voto num lado e fazendo campanha pelo outro.
Da mesma forma, não há como "colar" níveis de abstenção a este ou àquele partido, por uma elementar questão de bom senso.

Fica no entanto registada (por escrito) a manifestação de desconsolo perante o meio infortúnio que sempre sofre quem reparte o coração ou a cabeça.

Um pouco como ser benfiquista e ter nascido na Póvoa de Varzim...
publicado por shark às 22:07 | linque da posta | sou todo ouvidos