A POSTA QUE NÃO

posta.jpg

A blogosfera não cessa de me surpreender. Ainda há dias isto estava um festão, casa cheia de pessoal, comentários à brava e eu todo feliz a fazer de anfitrião.
Ontem, parecia que o meu blogue tinha cócó. Até deixaram o PN a falar sozinho na caixa de comentários...
É como se a malta andasse de um lado para o outro, aos magotes, hoje vamos parar aqui, amanhã vamos dar uma volta elsewhere. Um tipo fica boquiaberto. Depois sente-se inseguro e relê vezes sem conta a posta de que ninguém gostou (onde é que eu errei, o que é que eu disse que não devia, e por aí fora...). Por fim, a resignação.

Na blogosfera estão sempre a acontecer coisas. É um mundo dinâmico e cheio de pedal, num ritmo que valha-me Deus. Olha, fulano disse assim. Beltrano disse assado. E agora sicrana respondeu. Olha que quiz tão engraçado. O bacano do tadechuva está engripado (as melhoras, pá). Mais o jantar que acontecerá amanhã e outro que acabou de acontecer. Outro rasgo de génio num blogue qualquer. Todos os dias, novas entradas. A cada instante, aguaceiros de palavras e de ideias, de imagens bonitas ou divertidas que a gente gosta de apreciar.
Clica-se nos favoritos e o cursor passeia por uma lista interminável de curiosas designações. Escolhe-se um ao acaso e a partir daí é sempre a abrir para visitar o máximo possível enquanto há tempo para o fazer. Uma correria.

E entretanto a preocupação do costume, a próxima posta como será? Que assunto, que abordagem, que ilustração? O dia passa a correr e a malta anseia por coisas novas, diferentes, inteligentes, capazes de lhes prender a atenção por uns instantes, talvez até para comentar. Um tipo esforça-se, tenta dar o seu melhor para a malta gostar. Depois, fica-se à espera de ver no que dá. Umas vezes, maravilha, viva rapaziada que bom tê-los por cá. Outras vezes, desilusão, a caixa de retorno vazia e a sentença traçada no conta-gotas do maldito contador desse dia. Talvez corra melhor amanhã...

Vou dar a minha volta, ver como param as modas, deixar um comentário para ficar um rasto de mim. Talvez me encontrem dessa forma, ou seria melhor que não. O desprezo a que nos votam as intervenções ou a rispidez de quem não entendeu a piada. Já fiz merda outra vez. Hoje estou outra vez em dia não. Mas sei que os dias não são todos iguais e algum dia irei acertar no filão.
Jackpot da posta acertada, taluda na lotaria da visitação.

Aposto que sim.
publicado por shark às 12:06 | linque da posta | sou todo ouvidos