MESTRE CÃO

Acho que já vos falei há tempos de um velho chihuahua abandonado (acho que é essa a raça desses minorcas pelados) que abancou num estaleiro de obras nas traseiras do edifício onde moro.
É um daqueles cães irritantes, farta-se de latir mesmo que ninguém lhe dê importância. Incomoda um nadinha, pois o lugar dele é mesmo no canil de onde uma vizinha tóina o soltou, dando-lhe mais uma abébia para virar para a minha janela o seu ladrar histérico.

Eu gosto de cães. Mas também gosto de pessoas e não é por isso que tenho que as aturar a todas por igual. Aquele arraçado de pincher anão tem feitio zaragateiro, vira o dente a toda a gente que sente ter ficado com algo de seu (mesmo sem se meterem com ele, embirra). E tem pouco, de facto, pois é hostil mesmo a quem lhe sustenta os vícios de cão. Nem a tal vizinha escapou das suas dentadas manhosas e só por distracção poderá ter dado uma goela a um animal que tantas vezes lhe tirou a boa disposição com atitudes mesquinhas e uma barulheira distante mas perturbadora.

Agora estou de férias e não me incomoda a presença do canídeo a pilhas, mas aproxima-se o dia de regressar a casa e tenho que encontrar uma forma de aturar o béu-béu sem lhe enfiar a biqueirada que merecia mas já desisti de alimentar na minha ideia. Sou incapaz de maltratar os animais, ainda menos quando me metem dó.
O desgraçado do vira lata passa os dias e as noites a rosnar a sua desdita, coitado, e poucos lhe ligam. Compreende-se a motivação do seu feitio mau e tortuoso, traiçoeiro, e da sua insistência em latir mais para as janelas do lado dos que, como eu e a tal vizinha distraída, lhe vão dando pretextos para fazer ouvir a sua vozinha de falsete.

O meu cão, impávido, faz de conta que nem o vê. Ignora-o, como eu devia, e não lhe alimenta a vontade de ladrar.

Tenho muito a aprender com o meu cão.
Tags:
publicado por shark às 16:20 | linque da posta | sou todo ouvidos