PELA MEMÓRIA COLECTIVA

memoria.jpg


Há coisas que a gente não pode ver só sob o prisma da ideologia. O regime salazarista cometeu excessos e esses não constituem mais uma panca exclusiva de comunas. Houve malta presa e torturada para chibar os amigos. Não se faz. Não pode voltar a acontecer neste país. Nem aos de esquerda, nem aos de direita. É uma violência, um abuso de poder intolerável.

E a porra é que aconteceu. Não há volta a dar e não há como passar um apagador nos exageros de quem se sentiu legitimado para ir longe demais na defesa de um poder, de qualquer poder. Eu friso esta questão: sou de esquerda mas nem é preciso invocar essa tendência para não admitir a possibilidade de portugueses voltarem a passar por este tipo de merdas hediondas.

A democracia dá-nos a liberdade e os meios para defendermos aquilo em que acreditamos, por muito estúpidas que as nossas crenças possam soar a quem vê a coisa completamente do avesso. Isso faz sempre mais sentido do que entrar pela casa das pessoas, vasculhar-lhes os pertences e arrastá-las para um buraco qualquer só porque pensam diferente e agem de forma incómoda para os interesses instalados em dado momento da História.

É que os interesses mudam, os ditadores caem das cadeiras, as revoluções e os golpes de estado acontecem, a malta vota ou pensa diferente, mas a ignomínia não passa. Não pode ser esquecida, não só em memória dos que a sofreram como em prol dos que nunca a querem ver repetida. Sejam eles de que ideologia forem. Eles somos nós todos e nenhum merece ser preso por acreditar que o mundo devia ser pintado de outra cor, mesmo que essa crença se revele, tempos depois, absolutamente disparatada.
Nem é o caso, pois acima de tudo os que sofreram na pele batiam-se por direitos tão elementares como este, o de blogar, que temos como um dado adquirido mas sabemos não ser assim em muitos pontos deste planeta absurdo.

Isto tudo a propósito de mais uma chamada de atenção da Emiéle. E eu agora, que não simpatizo com o apagar de provas que possa conduzir a falhas de memória e às distorções associadas.

O fascismo existiu e pode voltar a existir.
Basta consentirmos o desleixo.

Basta perdermos o respeito aos que o conheceram por dentro.
Os poucos que tiveram tomates para o enfrentar.
publicado por shark às 01:13 | linque da posta | sou todo ouvidos