FALO DE LUZ

Descobri há pouco, na caixa de comentários da posta abaixo, que sou um apreciador de objectos fálicos. É por estas e por outras que vale a pena termos um blogue, para aprendermos a conhecer os lados obscuros da nossa personalidade complexa.
Às vezes, mergulhados nas nossas certezas e convicções, alheamo-nos do nosso verdadeiro eu e apontamos na direcção errada.
A avaliar por esta surpreendente revelação que uma letra associada a alguém que se preocupa comigo e tenta acompanhar-me nesta travessia pelo deserto das minhas limitações e tendências reprimidas me ofereceu, não tardarei a pegar de marcha-atrás.

Confesso que fiquei abismado. Perturbado até, receoso de me descobrir de olhos fixos num pepino, num gargalo de garrafa ou mesmo num martelo pilão. É que um gajo passa a adolescência toda mais uma parte substancial da vida adulta a consolidar os seus gostos e apetências e de repente, pimba! O machão das dúzias (eu) gosta de falos em forma de candeeiro.
O que seleccionei para vos exibir o lado gay do meu carácter está apagado, como o Farpas muito bem destacou nessa caixinha do meu embaraço. Não sei se fica menos fálico assim, mas só os entendidos na matéria (fálica) poderão ajudar-me a interpretar se o meu candeeiro apagado corresponde, na minha mente em negação, a um pénis pouco brilhante ou a uma erecção mal iluminada.

Contudo, custa-me gastar o meu tempo nesses assuntos. E isto porque, lamentavelmente, o meu candeeiro pessoal só prova estar ligado à corrente na presença de pessoas que nunca precisam de mudar a lâmpada.
Ele há coisas sem explicação, nesta realidade confusa que são os nossos desejos e as nossas tendências sexuais. Valem-nos os de fora, atentos, imparciais. Mordem logo os tiques de expressão que denunciam a verdadeira essência do que nos faz.

Resta-me agora assumir-me perante vós, nada tenho a esconder nessas matérias. Sou um livro aberto e, graças a um comentador anónimo, descobri que gosto que me leiam com a luz acesa.

Passo então a exibir alguns pertences do meu jardim secreto fotográfico que julgo confirmarão a suspeita que sobre mim passou a pender. Mas sem problema algum, pois sempre defendi é que a malta goste e faça. Com as grutas de Altamira ou um candeeiro de mesa de cabeceira na mona, tanto faz.

Não tou aqui pra enganar ninguém.


objecto falico.jpg

parece um candeeiro mas de pila se trata.jpg

grande e grossa.jpg

Fotos: Shark
publicado por shark às 12:08 | linque da posta | sou todo ouvidos