Quinta-feira, 06.09.07

EU GOSTO DA LUZ

a força da luz.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 12:41 | linque da posta | sou todo ouvidos

AL ALBA VINCERÓ!

Luciano Pavarotti morreu esta noite em Modena (Itália) aos 71 anos e com ele desaparece a que considero a melhor voz masculina desde Caruso na sua área musical específica.
Homem carismático, Pavarotti fica na História como um dos maiores responsáveis pela popularização da ópera que antes permanecia relativamente confinada aos apreciadores de música erudita e que as suas incursões por outros géneros musicais, nomeadamente em parceria com nomes como Sting ou Bono, generalizaram.

No meu entender, Pavarotti não deixa sucessor.
E a ópera ficou, não é cliché, muito mais pobre com a sua perda.
publicado por shark às 11:44 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Quarta-feira, 05.09.07

BLACK & WHITE

branco seco.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 23:33 | linque da posta | sou todo ouvidos

VÍCIO DE BOCA

sexo dos anjos.gif

Agradeço à tua boca os sorrisos que me oferece quando explode no teu rosto a beleza de uma luz natural como a que apenas o sol é capaz de produzir.
Agradeço-lhe também o som da respiração que escuto quando a noite acalma no nosso leito e adormeces no meu peito com uma expressão de felicidade em que pareces sorrir.

Agradeço à tua boca os lábios com que me toca sem nojos ou fronteiras a pele que não consigo despir, a única que possuo, e te agradece, enquanto te vejo dormir, os mimos generosos e os beijos tão gulosos que me viciam na doçura e me suscitam a ternura que depois convertemos em tentação, trabalho de equipa, e abraçamos a emoção mais intensa, a tua boca na minha e eu dentro de ti com a alma e o coração mais o corpo que te agradece a dádiva de tanto prazer.

Agradeço-lhe também as palavras que não ficam por dizer, essa língua genuína que se mostra tão traquina e se revela de igual modo perfeita em qualquer tipo de utilização.
O amor que se faz, empenhado, o mesmo amor que quando falado não desmente no que diz aquilo que a prática da tua boca teorizou e depois me provou como um apetitoso manjar.

Agradeço à tua boca o degustar do homem que sou, pelo amor próprio que esse teu prazer não disfarçado alimenta. A tua boca que me sustenta capaz de acreditar que vale a pena saber amar o todo e retribui-lo pelas partes de cada pormenor que te distingue da multidão.

Agradeço-lhe a distinção que me concedeu de poder tocar o céu.

Nessa tua boca divina, onde posso voar sem fim quando acolhes qualquer ponto de mim como um anjo numa nuvem envolve com as asas, ao som de uma harpa celestial, o espírito recém-chegado de um corpo abandonado porque entregue sem reservas ao mais supremo prazer.

E a minha boca a agradecer, com beijos e palavras que te dou, este sabor que se instalou em definitivo no palato onde convivo a todo o tempo com o teu gosto que me satisfaz, especiaria.

O picante abrasador dessa boca minha amante no calor de uma fantasia onde o teu sorriso sensual preenche as imagens mais arrojadas e as palavras atrevidas escritas sem cessar na expressão do meu olhar e proferidas pela tua boca que contemplo enquanto te permito dormir.

Até que te toco, irreprimível, e explode outra vez no meu rosto a luz incandescente que produz o teu sorridente despertar.
E eu agradeço nesse instante em que a tua boca dança no meu ventre ao ritmo de um poema beijado que o meu corpo apaixonado já não dispensa recitar.
publicado por shark às 16:46 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (5)

EU GOSTO DE ANIMAIS

voo azul.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 10:05 | linque da posta | sou todo ouvidos
Terça-feira, 04.09.07

PELO SIM, PELO NÃO...

Reparei por mero acaso na montra de uma loja em Moscavide que exibe um cartaz muito “in” que afirma, peremptório, que está na hora de depilar. Mas ostenta a foto de um rapazola bem musculado e com menos pelos à vista do que quando veio ao mundo.
Já não é uma moda, é uma forma de estar na vida.
Cada vez mais híbridos, os homens portugueses abraçaram com entusiasmo uma série de rituais que antes constituíam um monopólio delas.
E o que mais me mete aflição é precisamente este, o da depilação.
Depilação é uma palavra que qualquer homem deveria sentir hostil por instinto. É que a pessoa depila-se (ou é depilada) e essa expressão não acarreta uma evocação feliz para quem tem uma.
Claro que este é o menos sólido dos argumentos de machão prepotente que caracterizam a minha mentalidade retrógrada, conservadora e, nalguns aspectos, completamente às avessas do que o povo mostra gostar.
E podia reduzir a coisa a uma paródia com estas mariquices, mas a onda da depilação associa-se a outros momentos de culto da casca (manicura, cabeleireiro, solário e por aí fora) que, no meu fraco entender de labrego jurássico, estão a efeminar a rapaziada.

Quem ler esta posta já possui nesta altura material suficiente para me rotular com uma qualquer designação equiparável à que soltamos perante um Datsun 1200 dos anos 70 (não na óptica do clássico mas na perspectiva do chasso daqueles que nem vale a pena levar à inspecção periódica).
Mas eu arrisco e ainda vou mais além na manifestação dos meus pudores contra o escanhoar da minha penugem. Nem a do queixo rapo por completo, aliás.

Um gajo que abdica de forma voluntária de elementos naturais que lhe evidenciam a combinação de cromossomas, nomeadamente os pelos que a Natureza entendeu incluir no pacote de quem fala mais grosso e urina de pé, já percorreu uma parte do caminho para chegar o dia em que decide eliminar mesmo tudo quanto sente a mais.
É que fica mesmo mal, uma pila, logo ali abaixo de um umbiguinho bem cuidado pelas mãozinhas das mamãs, um coiso tão feio e, na prática, quase inútil no pouco tempo que sobra entre o arranjo das unhas e a depilação a laser dos sovacos ou das canelas.

A ideia é ficarem mais bonitos, presumo, e mais apelativos às moças, correcto? E eu pergunto-me se as raparigas (não estou a falar de adolescentes) estão mesmo interessadas na versão andrógina que tem medo que lhe toquem senão desafina…
Tudo indica que sim, a avaliar pelo entusiasmo com que os meus homólogos desbastam esses resíduos pré-históricos, ancestrais, que desfeiam os meninos aos olhos de quem anda a par dos estereótipos da moda.
Tudo indica que não, a avaliar pelo tédio estampado no rosto das lindas mulheres que este país produz como um viveiro quando as vejo em grupos que incluam as versões mais radicais do conceito de metrossexual, os peladinhos com bronzeados de lâmpada que me fazem lembrar, assim de repente, versões mais produzidas dos ET tal como é mais comum descrevê-los.

Eu sou muito homem, como o tom do discurso acima atesta e as mulheres da minha vida sempre cuidaram de louvar, mas até me esforço para disfarçar os tiques de macho (coçar as partes e coisas assim) tentando não chocar as novas gerações de fêmeas que a propaganda dá a entender que nos preferem menos másculos e menos… diferentes delas.
Contudo, cenas como esta da depilação e da manicura e de outros retoques na fuselagem mexem com o bárbaro em mim, trazem à tona o pior de que sou capaz no que respeita à diferenciação dos géneros.

Gosto dos meus pelos. E esse apreço não possui critérios estéticos (se calhar até podia, para algumas apreciadoras) mas sim aquele conforto que qualquer gajo que é gajo sente quando olha para o espelho e se vê tão masculino, tão distinto do oposto que o atrai e que, por norma, não possui esses indicadores visuais que complementam o tal pormenor da pila que raramente se mostra e por isso tem que ser pelo resto que um gajo salienta.
E mantenho as unhas asseadas e com um tamanho razoável (para homem, claro), o que considero suficiente para não chocar as finíssimas observadoras que se concentram nas extremidades dos dedos que alguns bacanos entregam ao cuidado de profissionais.

Vejo-me assim limitado às mulheres que apreciam homens com aspecto de homens, cuidados, elegantes, com classe, mas não como se os seus corpinhos danone merecessem um tratamento digno da melhor joalharia.
Serão poucas, talvez, mas ainda não lhes senti a falta. E mesmo que fossem nenhumas não me dispunha a aceder a estas mariquices (sim, repito) que me descaracterizariam, em prol de constituir um consolo para a vista que desdenho em função de outras consolações que o instinto e a educação tradicional me recomendaram.

E não levo a mal se os gajos que embarcam nestas piroseiras vierem aqui insultar-me pelo que afirmo.

Até é um favor que me fazem.
publicado por shark às 21:58 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)

AS DECLARAÇÕES AMIGÁVEIS

Estão muito mais importantes à face da lei (já não estamos tão dependentes do facto de os outros entregarem ou não a sua cópia à respectiva seguradora), mas o novo modelo que está aos poucos a ser introduzido em substituição da DAAA inicial possui dois pontos fracos imperdoáveis:

- O grafismo é mais confuso e menos generoso em matéria de espaço para escrever;

- A gramagem da "capa" que elas trazem é muito mais fraquinha e não dá um cartão para filtros em condições.
publicado por shark às 20:49 | linque da posta | sou todo ouvidos

DOCES PERVERSÕES

Claro que é uma enorme coincidência, mas eu sou um mal intencionado e não pude deixar de reparar que nos últimos tempos (depois do lançamento das garotas Docemania com recriações das antigas canções das populares Doce) três palavras dispararam nos contadores:

Laura, Diogo e Reinaldo...
publicado por shark às 20:42 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)
Segunda-feira, 03.09.07

SEM TÍTULO

no way out.jpg
publicado por shark às 14:38 | linque da posta | sou todo ouvidos

E MUNDO

the other face.jpg
Foto: Shark

Este onde se pode cair tão fundo ao ponto de se perder de vez o rasto ao caminho de volta.
publicado por shark às 11:20 | linque da posta | sou todo ouvidos

H2O

borrifos de verde.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 10:24 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Domingo, 02.09.07

ACABARAM AS FÉRIAS...

...Na Vox também.
Hoje regressei às lides com uma prosa só para aquecer.
Tags:
publicado por shark às 19:16 | linque da posta | sou todo ouvidos

SOU UM CHOCODEPENDENTE

chocomania.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 18:25 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)

NA ILHA DE TAMBORA

No início do Sec. XIX, uma erupção semelhante à de Pompeia mas ainda mais violenta (o fluxo piroplástico atingiu temperaturas na ordem dos mil graus centígrados) terá dizimado entre seis a dez mil pessoas de forma quase instantânea.

Amanhã logo se vê?
É mesmo disso que se trata.
publicado por shark às 18:19 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (1)

EU GOSTO DE CANDEEIROS

luz distante.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 13:27 | linque da posta | sou todo ouvidos
Sábado, 01.09.07

DEIXA-ME SONHAR

my dream or yours.jpg

Deixo ficar em ti por mais algum tempo essa peça de lingerie por ser das poucas que te fazem justiça.
Fica perto de mim o bastante para poder observar-te sem pressa e deixa ficar essa peça de tecido desenhada como um vestido de cerimónia daqueles com que impressionas ao meu lado quando saímos os dois a todo o tipo de locais onde ofuscas a concorrência.

Deixa-me tomar consciência do privilégio que representas, esta cama onde assentas agora a parte da frente desse vestuário para uma ocasião especial, esse mimo para os meus olhos que tu és e esse pormenor escolhido de propósito para mim ainda mais enfatiza.
Deixa-me desenhar-te os contornos com o toque mais suave que os meus dedos consigam reproduzir.
Permite-me conduzir cada um desses adornos a dez à hora, pela estrada do corpo fora, até o choque da minha visão se transmitir ao coração e o pulso acelerado no teu flanco agarrado se fizer sentir.

Deixo ficar em ti aquilo que te mereci e antes te ofereceu a perseverança com que busquei cheio de esperança os pontos certos e os momentos correctos para fazer sentir a minha presença nesse corpo que partilhamos sempre que nos amamos e justificar-te o cuidado com que te cobriste para teres a certeza de me agradar no momento de retirar tudo quanto me impeça de ir sempre mais além.

Deixa-me saborear a memória do início desta história e nunca lhe admitas um fim.

E eu deixo-te ficar para sempre divina em cada lembrança que é minha e tu insistes alimentar a cada dia com um sinal de que também tu não consegues esquecer a loucura anterior e degustas, nas nuvens, uma previsão saborosa daquilo que será a próxima e te imaginas reflectida na montra de onde alguém retirará a tua selecção particular.

E eu depois deixo ficar por mais algum tempo o olhar até ao momento inevitável de me entregar outra vez sem reservas ao culto da tua sublimação.
publicado por shark às 21:02 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

POR UMA BOA CAUSA

Shark%20Massacre.jpg
publicado por shark às 19:58 | linque da posta | sou todo ouvidos

A POSTA QUE SÓ SABEM LER NA DIAGONAL

tss tss.gif

Existiu uma fase no charco em que boa parte da escrita era quase na totalidade inspirada nos escritos de outras pessoas. Ou melhor, motivada pelo que lia nos espaços de quem sabia empenhado/a em embirrar com a minha pessoa.
Foi um período idiota, reconheço-o hoje, e terá afastado do charco muitos visitantes a quem não interessava esse clima de “guerrilha escrita” tal como me desviou do caminho que tinha em mente para o meu percurso nesta cena.

Mas ao fim de mais de três anos já consegui concluir que na maioria das vezes as minhas reacções aos escritos dos outros eram um exercício fútil e que não servia qualquer utilidade específica. E isto porque na maioria dos casos estavam em causa erros de interpretação grosseiros ou simples falta de capacidade para entender escritas mais elaboradas ou demasiado cifradas, à boa maneira da blogosfera parva que tende a morrer.

O mesmo raciocínio aplico-o também aos que parece não aprenderem a lição e insistem em arrastar-se penosamente pelo fim inevitável da pachorra dos outros para lhes aturarem a insistência no rumo hostil.
Caem que nem tordos, vitimados pela verdade indisfarçável de que os seus espaços trauliteiros não interessam a ninguém, os que insistem nessa fonte de inspiração tão absurda quanto dissuasora da melhor das boas vontades.
Pior ainda, quando se esforçam para transmitir com a máxima clareza aquilo que afinal se revela mais uma exibição de preguiça intelectual para, pelo menos, conseguirem apontar a mira para o alvo certo, para um pretexto decente que lhes alimente a agonia inevitável dos seus espaços azedos por sistema e às cegas.
Só pelo prazer de dizerem qualquer coisita.

E a malta já está saturada desse rumo fácil, desse refúgio para a ausência de ideias próprias ou para a perda de inspiração mal disfarçada dessa forma ou com desculpas da treta.

Por isso mesmo e pelas conclusões que enuncio acima, não estranhe quem me tem por alvo sistemático a abater, por oponente, adversário ou simples objecto de culto para a embirração que eu nem reaja.
Não é porque queira manifestar-lhes à bruta a indiferença que me suscitam com essa escolha que o tempo provou ser fraquinha.

É mesmo porque gente assim nem merece resposta.
Tags:
publicado por shark às 19:44 | linque da posta | sou todo ouvidos

EU GOSTO DE ANIMAIS

sentinelas.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 15:27 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (5)

JÁ PERCEBI A IDEIA

E não vou alinhar.
publicado por shark às 15:17 | linque da posta | sou todo ouvidos

PURA FICÇÃO...

other side.gif
publicado por shark às 15:10 | linque da posta | sou todo ouvidos

DESCANSEM A VISTA

volto já.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 12:17 | linque da posta | sou todo ouvidos

MILHÕES DE RATOS NA FRONTEIRA

Esperemos que o flautista de Hamelin não tenha cedido como o Simão Sabrosa ao apelo para jogar na liga espanhola...
publicado por shark às 11:59 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

Sim, sou eu...

Mas alguém usa isto?

 

Postas mais frescas

Para cuscar

2018:

 J F M A M J J A S O N D

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

2005:

 J F M A M J J A S O N D

2004:

 J F M A M J J A S O N D

Tags

A verdade inconveniente

Já lá estão?

Berço de Ouro

BERÇO DE OURO

blogs SAPO