Domingo, 22.04.07

FLOWER POWER

take over.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 21:40 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

A VOZ PARA QUE ME LEIAM

avó de alguém.jpg

Sabem, gostava de poder falar convosco nesta altura. De saber que conseguiram encontrar uma forma de perdoar e de serem felizes os dois outra vez. Ou mesmo os três, se na vossa dimensão não existir o ciúme e a posse de uma alma seja de facto impossível por não fazer sentido algum num sítio onde as coisas não precisam de acontecer por uma razão.

E depois de vos saber assim, gostava de poder falar-vos de mim para podermos explorar as nossas semelhanças. As coisas que herdei por via indirecta, pela porta deixada aberta por um dos frutos visíveis da vossa relação. Gostava de vos mostrar o meu coração para que nele pudessem rever algumas características fáceis para vós de explicar e que me pudessem ensinar a dar a volta a algumas interrogações.

As vossas explicações seriam valiosas para encontrar em mim as respostas para os factos que vos perturbaram naquele tempo e regressaram sob outras peles nesta existência que a vossa, na prática, viabilizou.
Foram gente que amou e de forma intensa. Desafiaram a moral vigente e não acharam indecente entregarem-se por algum tempo a um poderoso sentimento que resultou numa enorme confusão, abraçaram a verdade e vergaram a realidade à que vos servia melhor quando cederam ao amor, tão proibido então como agora.

As coisas não mudaram por aí além nessa matéria, a maioria na miséria infeliz das farsas impostas pelos outros lá fora e o que possam dizer, ou na ressaca sempre foleira dos caminhos a dois que conhecem o fim quando cedem os laços tão frágeis que unem as pessoas. O mesmo mundo das paixões a fingir, dos rostos a sorrir para disfarçar uma sensação de tristeza ou mesmo a certeza de que a felicidade se tornou impossível como uma utopia ao alcance apenas de loucos, de pobres de espírito e de sonhadores.

E vocês, que tanto lutaram pela vossa até a pressão vos esmagar, têm imenso para me ensinar acerca de resistência e sobretudo da consciência tal como a devemos enfrentar nas piores alturas. Essas, como saberão, são aquelas que nos arrastam para a convicção de sermos responsáveis por toda a infelicidade alheia, cada desgosto uma tareia no ânimo indispensável para nos agarrarmos ao cadáver da esperança que afinal acaba por nem ser a última a morrer dentro de nós.

Sabem, é quando olhamos a sós as imagens em que somos protagonistas de uma história belíssima e nos identificamos com o papel do vilão. E não digo que o são, as pessoas apanhadas pelas repercussões negativas das suas acções irreflectidas mas motivadas pelas mais genuínas emoções. E não vos falo de arrependimento mas antes da frustração que se sente quando entendemos no presente as lições que o passado nunca sabe leccionar na devida altura.

Falo-vos de como é dura, e é disso que esta conversa trata, a estranha noção de que é impossível a absolvição para os culpados de rebeldia.
Como se fosse uma heresia acreditar que qualquer espécie de amor ou da paixão sua filha só pode ser uma maravilha, como quem tal experimenta o diz.

Só pode ser uma história com um final feliz.
publicado por shark às 21:18 | linque da posta | sou todo ouvidos

O CALOR CHEGOU

E eu fico mais feliz no meu clima ideal.
publicado por shark às 18:07 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)

TONS SADINOS

azul primavera.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 11:44 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Sábado, 21.04.07

PORTAS ABERTAS

O cavalo de Tróia deixado por Portas no Caldas lá cumpriu a sua função. Concretizou-se a chicotada psicológica no CDS/FC e agora é só esperar para ver as ondas de choque no time laranja...

Mas claro que tudo o que escrevi acima é irrelevante quando temos em conta o AVC do grande Eusébio, algo que incomoda qualquer adepto do futebol em geral e do Glorioso em particular.

Para o Pantera Negra vai o meu voto de rápida recuperação.
E para o Mancha Negra nunca irá voto algum.
publicado por shark às 22:16 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

TUBARÃO NO PORTAL

Hoje foi publicada no AEIOU a minha segunda crónica: Um Desastre Ambidextro.
Tags:
publicado por shark às 10:05 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

NAVEGAÇÃO COSTEIRA

pouco vento.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 01:17 | linque da posta | sou todo ouvidos

PALAVRAS

Para quê?
publicado por shark às 01:10 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Sexta-feira, 20.04.07

BLACK & WHITE

meia ponte.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 10:10 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)
Quinta-feira, 19.04.07

FLOWER POWER

flor canina.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 21:36 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

(LIS)BOA TODOS OS DIAS

duas lisboas.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 16:45 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

SWING THE BLUES

a traccao.jpg

A mulher comprometida lançou-lhe um olhar que lhe pareceu combinar com o sorriso malandro que a sua boca tentadora compunha naquele rosto quarentão.
Lembrou-lhe o anúncio que colara no vidro traseiro de um carro que queria vender mas a lei proibia de anunciar à descarada. E o marido dela, pensou, quem podia autuar naquela circunstância, ficou sem argumentos para exercer o direito de preferência pois não descobriu à despedida, na falsa saudade prometida, a intenção prevaricadora.

A esposa sedutora, tão discreta, escrevia com os olhos uma proposta secreta para o alvo da sua cobiça. Um homem diferente para cada noite ausente em negócios, o marido atarefado demais para evitar a cama vazia. Um homem que a despia em sua substituição, não queria saber de paixão mas apenas do desejo e da companhia em cada noite fria naquela cama que era o palco das suas mais incríveis actuações.
Aquelas que o (des)interessado não via, tão ocupado a magicar a melhor forma de a enganar com uma outra que o deslumbrava como ela não conseguia.

E o homem desse dia, seleccionado pela matadora, avançava destemido para o contacto inicial. A confiança fundamental que o seu rosto transmitia era como a garantia de uns meses para a viatura que queria vender, a fulana que ia comer precisava de o sentir inofensivo sob qualquer ponto de vista. Era apenas um malabarista na gestão das maçãs que lhe calhavam na rifa, as dentadas doseadas em função da sua perspectiva subjectiva (que cada um, nestas coisas, cuida de si).

E ela ali, controlando as testemunhas em seu redor, tentando afastar a hipótese de alguém descobrir naquela forma de sorrir uma oferta pública de aquisição temporária. O fim daquela história traçado, adeus e obrigado que fica o segredo na lembrança e aquela aliança no anelar do fulano acautela a sua preservação.
Os dedos daquela mão, proibidos, percorrendo-lhe a pele e o corpo anónimo a fornecer-lhe o calor tão humano e natural.

O homem escultural, um amante ocasional, descontraído, que hesitava no preço pedido pelo carro que queria vender e nisso pensava em segundo plano sem imaginar a dimensão do seu engano, a bronca garantida por uma coincidência assim, quando se apresentou à esposa do homem de negócios que a sua aguardava numa esplanada próxima dali.
Tags:
publicado por shark às 10:41 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

HAVE A NICE DAY!

mississipi boat.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 08:26 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Quarta-feira, 18.04.07

BOMBINHAS DE MAU CHEIRO

Uma multidão de jornalistas, a atenção de um país à abertura dos telejornais, os adiamentos para aumentar a expectativa bombástica. Depois rebentaram as águas à montanha e o rato nasceu...
O assunto Independente num crescendo de ridículo até ao fim. O assunto José Socrates num crescendo de suspeição a que esta conferência de empresa (a Sides) só serviu para acrescentar mais uns pós sem consistência.

E a gente, papalvos, a prestarmos atenção a toda esta legião de manhosos, chicos-espertos, eventualmente corruptos e, no episódio patético de hoje, comprovadamente imbecis.
publicado por shark às 19:46 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (9)

FIM DE TARDE

lua adiantada.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 17:45 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (7)

NEM COM UMA GATA PELO RABO...

Hoje é mais um daqueles dias em que me vejo forçado a reconhecer que a casca de quarentão não possui a mesma rapidez de recuperação de outros tempos.
Dantes eram “directas” na boa, no dia seguinte era como se nada fosse.
Agora, basta um pouco mais de acção pela madrugada fora e são dois dias garantidos a perguntar ao corpo onde lhe dói mais…

Faz-se tudo igual. Ou melhor.
Mas a factura está bastante mais grisalha.
publicado por shark às 10:50 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (11)

JEANS

jeans.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 09:17 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (9)
Terça-feira, 17.04.07

DÁ-LHE AGORA QUE TÁ DE COSTAS

Ora deixa cá ver quantas folhas A4 são necessárias para finalmente acabar a minha licenciatura...

(E para uma pós-graduação, serão folhas A3 ou basta uma cartolina?)
publicado por shark às 20:08 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

A POSTA PANELEIRA

foto paneleira.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 17:50 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

DOS (B)LUGARES COMUNS

Beijo com estas palavras os lábios que as soletram enquanto interpretam aquilo que pretendo dizer.
Beijo as mãos de quem for capaz de me sentir naquilo que escrevo, sedenta de ouvir aquilo que digo, capaz de me fazer acreditar um homem melhor.

E ofereço-lhe uma flor em forma de texto, pois a ingratidão é o que mais detesto (tirando talvez o desprezo sempre tão versátil na forma de se manifestar).

É uma forma de amar diferente, esta necessidade premente de acompanhar de perto a voz que clama no deserto pela dádiva de quem a escutar (como eu sempre a escutei).

O grito neste (b)lugar onde o silêncio é lei.
Tags:
publicado por shark às 15:08 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (7)

EU ATÉ JÁ TRABALHEI NA SECURITAS...

eu trato das costas.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 11:05 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)

FISSURAS NA BARRAGEM

Se um homem atinge um ponto de desespero tal que arrisca "invadir" um banco, desafiando a morte (estas coisas podem correr mesmo muito mal) e garantindo a sua detenção e consequente humilhação na praça pública, é porque sentiu os calos muito apertados por alguma situação.

O crédito mal parado começa aos poucos a entrar à bruta na vida das pessoas, como este triste exemplo dá conta, e não há indicadores macro ou micro que possam contrariar estas evidências que começam a brotar de entre pessoas insuspeitas, cidadãos comuns apanhados pela face mais selvagem e impiedosa deste sistema capitalista que alimentamos sem alternativa.

Um homem, um português como qualquer de nós, optou por levar a sua luta pessoal, desesperada, à imolação social que entendeu como a forma mais digna de desistência.

O seu grito abafado deve alertar-nos a consciência para o quanto é fácil sucumbir ao verdadeiro cilindro compressor em que a banca se transforma quando chega a hora de apresentar a factura, qualquer que seja a aparente tranquilidade que a nossa situação financeira num dado momento possa transmitir.

Ou o seu sacrifício tresloucado terá acontecido em vão.
publicado por shark às 08:13 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)
Segunda-feira, 16.04.07

(LIS)BOA TODOS OS DIAS

rua cidade.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 17:02 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

NARCOTURISMO NO MAGREBE, ou A Minha Costela Anti-Careta das Segundas de Manhã

O contraponto necessário à posta anterior publiquei-o também na nossa Vox, na habitual crónica de segunda(s)...
Nos meus tempos de liceu havia dois destinos que faziam parte do imaginário mais distante que nessa altura um adolescente portuga podia conceber: a excursão a Torremolinos e a ida "às compras" no norte marroquino.
Se no primeiro caso vejo as sementes do burburinho que os putos hoje provocam nas suas viagens colectivas (os que têm idade para serem seus pais não deixaram saudades na costa mediterrânica espanhola duas décadas atrás), no segundo vejo o que de mais radical podíamos ambicionar numa altura em que ainda era o FMI a ditar as regras e o cinto apertava até faltar a respiração aos nossos pais cheios de vontade de nos dar aquilo que antes da Revolução lhes era negado.

A minha última incursão pelo território que a Pátria tanto ambicionou colonizar (e hoje percebo que só podia haver uma boa razão, não eram parvos os nossos mandantes – se exceptuarmos o precipitado monarca que o nevoeiro ainda não nos devolveu) aconteceu pouco antes do 11 de Setembro, numa altura em que dos marroquinos só tínhamos a temer um “barrete” no material fornecido ou um “chibanço” às autoridades alfandegárias.

Hoje sinto-me mais propenso a dar um pulinho a Amesterdão do que a arriscar a travessia no ferry em Algeciras, sempre que me dá o call of the wild das substâncias exóticas.
E se a minha primeira conclusão é a de que este estatuto de quarentão me está a aburguesar os costumes, pensando melhor percebo que existe outro condicionalismo na minha motivação.

Queiramos ou não, é impossível fazer de conta que está tudo na mesma nas nossas relações com o mundo muçulmano. As notícias de raptos, de atentados e de ameaças latentes com cada vez mais frequência num crescente número de nações islâmicas (Marrocos já não constitui uma excepção) torna tudo um pouco menos flower power nos passeios “ocidentais” às furnas (termas com fumos).
É que um gajo tem mesmo que se deixar impressionar pelo que os media vão contando acerca do tal choque de civilizações que ninguém de entre os “moderados” de ambos os lados assume, mas os factos provam estar a acontecer e, pior ainda, a assumir proporções mais e mais radicalistas.

E embora seja tentador reviver bons tempos passados numa terra onde a ilegalidade imposta pelo poder financeiro europeu não corresponde à mentalidade de quem convive na boa com a cannabis e derivados, soa leviano ignorar a influência perniciosa dos movimentos fundamentalistas sobre os jovens de terras onde abunda a falta de perspectivas de futuro.
Calculo que, excluindo (por enquanto) a questão da sua segurança pessoal, também não será convidativa para um marroquino tradicional a excursão a um lado do mundo onde quase todos o olham como uma ameaça potencial.

Pode ser uma cobardia daquelas que alimentam estas falsas distâncias entre as pessoas normais dos dois mundos em causa, mas a mais elementar prudência diz-me que é mais seguro abrir uma loja do Cogumelo Mágico e levar a toda a hora com a inspecção rigorosa das autoridades portuguesas do que insistir no passeio a sul que a nossa estúpida legislação impõe a quem não queira arriscar uma mais que injust(ificad)a passagem pela choldra…
Tags:
publicado por shark às 11:29 | linque da posta | sou todo ouvidos

CAÇADORES DE MORCEGOS, ou A Minha Costela Careta das Segundas de Manhã

Entre rusgas e operações stop nocturnas, as autoridades têm detido às dezenas. Uns por posse de armas ilegais, outros por posse de drogas, outros ainda por falta de carta de condução ou, a mais comum, por se confessarem no balão.
A naite está perigosa para os seus frequentadores.

A polícia, a quem nem os aceleras da Vasco da Gama escapam nos últimos tempos, parece determinada em proteger os noctívagos de si próprios.
É que todos fazemos parte dos maus, esses terríveis “outros” que podemos ser nós próprios quando de repente damos connosco apanhados nessa estatística foleira.

Ou arrastados para o impensável, num daqueles dias maus em que a lei de Murphy decide transferir-se para o volante depois de abancar displicente no rebordo do copo da sexta ou sétima imperial…
publicado por shark às 10:28 | linque da posta | sou todo ouvidos

Sim, sou eu...

Mas alguém usa isto?

 

Postas mais frescas

Para cuscar

2019:

 J F M A M J J A S O N D

2018:

 J F M A M J J A S O N D

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

2005:

 J F M A M J J A S O N D

2004:

 J F M A M J J A S O N D

Tags

A verdade inconveniente

Já lá estão?

Berço de Ouro

BERÇO DE OURO

blogs SAPO