A POSTA COPIADA

plagie isto.jpg


O plágio desperta-me um sentimento de asco profundo. Como exibição pública de mediocridade, como revelação de cleptomania intelectual, como manifestação do nojo de pessoa por detrás desse comportamento aberrante.
Por plágio entendo a cópia e reprodução de algo produzido por outrem, assumindo-se a respectiva autoria descaradamente ou por inerência.

Ou seja, um inepto ou uma bronca qualquer pegam no trabalho dos outros e fazem um vistão, mesmo que sejam incapazes de produzir por si algo de bom.
E esses expoentes máximos da imbecilidade (acreditam sempre que nunca serão desmascarados/as e são tão básicos que muitas vezes nem têm o cuidado de adiarem a exibição da sua apropriação indevida) proliferam por este meio sem regras onde muitos chegam a defender que “sim, é legítimo copiar porque tá na net e viva a liberdade e coiso e tal…”.

Não me flixem. Uma coisa é encontrarmos algo que apreciamos e pedirmos licença à autora ou ao autor para o reproduzirmos seja onde for. E sempre, mas SEMPRE, com a indicação (o linque) do espaço onde encontrámos o ORIGINAL. Aplica-se a textos, a fotos, a seja o que for que não é nosso apenas por estar ao alcance de qualquer um.
Não há volta a dar, é uma vergonha para quem o faz. Desmascaram-se assim como indigentes cerebrais, crápulas mesquinhos e com costela de carteiristas (sim, porque o mal é roubar a primeira cena…).
Nunca fariam parte do meu leque de opções em matéria de convívio ou de contacto sequer.

A única forma de combater essa praga é através da respectiva denúncia, o que, neste nosso suporte tão plural, equivale a conceder publicidade de borla ao prevaricador. Não o farei, mas cito os nomes do blogue alegadamente plagiado (Aliciante) e do blogue alegadamente ladrão (Me Myself And I) para que possam por comparação retirar as vossas conclusões. Não sou polícia, nem investiguei coisa alguma para confirmar o pressuposto atrás incluído, daí os alegadamentes da praxe.
Mas acho que os factos falam por si.

A blogosfera é um paraíso para a gentalha sem princípios e sem pudor. Cada vez é mais urgente expor essa bandalheira de pessoas e criar mecanismos para as entalar perante a Lei que, em nome da independência deste meio, parece não ser aplicável em defesa dos direitos de autor.
E multiplicam-se cada vez mais estas badalhoquices impunes, numa blogosfera cada vez mais parecida com o mundo “lá fora” no que este tem de pior.

A liberdade de expressão nunca justificará este tipo de comportamento vil. Aliás, nem a de expressão nem qualquer outra pois ser livre não implica uma carta branca para se fazer o que nos dá na bolha.

Ao que vejo, e porque vi publicados os trabalhos pela Mad em primeiro lugar, a “Carla Sousa”, seja quem for, assina textos e fotos dos outros com um inequívoco “by Carla” que não lhe esconde as intenções. E já bloga há tempo suficiente para perceber as regras do jogo.

E é obvio que não as percebeu.

ADENDA: Como podem constatar no comentário da Mar, na caixa, também o Sociedade Anónima foi alvo da pirataria da fulana. Os alegadamentes deixam de fazer sentido.
A tipa é mesmo daquelas...
publicado por shark às 17:47 | linque da posta | sou todo ouvidos