A POSTA QUE FICA TUDO EM ÁGUAS DE BACALHAU

Se uma jornalista inventa uma história rocambolesca de pressões e de ameaças por parte de um Ministro, essa pessoa certamente não estará no seu perfeito juízo.

Porém, se um Ministro efectivamente produz essas pressões e ameaças num claro abuso de poder então essa pessoa é perigosa e não estará no seu devido lugar.

Por outro lado, se uma jornalista passa por um momento desses e todo o seu jornal não se insurge de imediato, em bloco e em primeira página, a história assume contornos mais débeis do ponto de vista da credibilidade da jornalista mas mais complicados de entender se vier a verificar-se que não se tratou de pura invenção.

Naturalmente, se o Ministro pediu desculpas é imprescindível esclarecer a que se referiam as mesmas porque se pediu desculpa pela pressão e pela ameaça mentiu quando negou esses (f)actos. E se os praticou estaremos perante um abuso de poder que se estende ao pandemónio que todos percebemos existir nos serviços secretos da nação e torna o dito Ministro num governante a afastar rapidamente de qualquer poder público.

E se a jornalista inventou toda aquela história deverá ser internada de imediato numa ala psiquiátrica, pois quem inventa histórias que envolvem ministros sabe que só com provas sólidas e cópias em triplicado se evitam sarilhos mesmo muito sérios.

 

O restante folclore é serradura para os nossos olhos. Se esta embrulhada não ficar esclarecida behond any reasonable doubt estamos perante mais uma prova concreta de que das duas uma:

ou está tudo doido mas agora isso deixou de constituir um problema para a sociedade ou está tudo doido mas agora isso serve de pretexto para os tiranetes se acreditarem impunes mesmo quando é exposta a natureza vil a que se permitem no exercício das suas funções.

publicado por shark às 19:44 | linque da posta | sou todo ouvidos