INTERVENÇÃO ACTIVA MAS SÓ A QUE LHE DER JEITO

Fernando Nobre tem um blogue no Sapo.

A coisa esteve parada durante uns tempos mas agora mexeu-se, com a publicação de uma declaração do candidato a Presidente da Assembleia da República que visa esclarecer-nos (com a mesma filosofia dos rótulos dos frascos de banha da cobra) acerca das suas motivações e dos passos a dar nesse sentido.

 

A referida declaração em forma de posta, full of shit como seria de esperar, prendeu a minha atenção sobretudo num trecho que considero no mínimo assustador.

Então reza assim:

 

Acredito nas intenções do Dr. Passos Coelho e revejo-me em muitos dos argumentos que me apresentou e no modelo que, em conjunto,idealizámos como uma via para ajudar a desbloquear o nosso sistema político que hoje está desfasado do País e da vida dos Portugueses.

 

E o que assusta neste pedaço de discurso? Não, não é o facto de Nobre se rever em muitos dos argumentos de Passos Coelho. A parte preocupante é a que fala de terem idealizado um modelo em conjunto para desbloquear o sistema político. Cruzes, credo. O possível futuro Primeiro-Ministro de Portugal anda a idealizar modelos a meias com o Nobre? E logo um laxante para o sistema político?

A pessoa pensa logo: tanta doença para o doutor tratar e vai logo debruçar-se sobre a prisão de ventre do sistema político? Isto só pode ter a ver, continua a pessoa a pensar, com o facto de o sistema ter acumulado tanta matéria fecal que acabou por entupir e assim não há espaço para mais ideias e ambições no seu percurso desde o ponto de partida (o grupo que, por azar, poucos paparam) até ao ponto de saída (que em caso de derrota eleitoral laranja será garantido para o doutor e não há medicina alternativa nem bloqueios no sistema que lhe valham para evitar tal percurso).

 

Full of shit, referia eu acima, e nem precisava de ter em conta os contornos do tal modelo conjunto activia (sim, o da danone), bastando para o efeito confrontar a onda que bom, um cidadão anti-política vai dar um grande exemplo de cidadania depois de prolongada reflexão e ponderando com profundidade e seriedade todos os interesses atendíveis (que sinceridade comovente) e o apelo à participação mais activa dos cidadãos com o simples facto de a porta de acesso à participação activa dos cidadãos que blogam estar fechada pelo ferrolho da moderação de comentários que dá tanto jeito quando interessa mostrar apenas o que se possa englobar nos tais interesses atendíveis.

 

Em matéria de política, o nobre doutor-cidadão mostra que aprendeu bem a receita.

Só é pena que, queiramos ou não, este placebo seja, de uma forma ou de outra, comparticipado por quem não morre da doença mas não tem hipótese de se safar com esta cura.

publicado por shark às 11:18 | linque da posta | sou todo ouvidos