EMBAIXADORES DA CORAGEM E DA VERDADE

Apesar do bloqueio às comunicações por parte do governo líbio continuam a chegar informações dispersas que permitem desenhar-lhe os contornos do fim próximo, garantidamente violento e, ao que já se sabe, de forma alguma imerecido.

 

Se até aqui alguma prudência seria justificada pela ausência de jornalistas na Líbia e consequente dificuldade em confirmar o cariz fidedigno das fontes, nomeadamente no que concerne à validade dos vídeos que nos vão chegando, a reacção de muitos embaixadores e o uníssono na sua justificação acaba com os paninhos quentes: Khadaffi ensandeceu, é um tirano sanguinário e terá já garantido um lugar na História deste século com estatuto semelhante ao de outros malditos que jamais deveriam chegar perto de qualquer tipo de poder.

 

A propalada contratação de mercenários para defenderem o regime, a traição imperdoável de chamar estrangeiros para o massacre do seu próprio povo, eliminou quaisquer veleidades de uma solução pacífica e consensual para a revolução líbia.

E é o elemento que faltava para não existirem dúvidas quanto à realidade dos factos orquestrada pelo regime em queda: está a acontecer um banho de sangue e o povo sublevado está, por ora, isolado na sua luta necessariamente feroz neste contexto.

 

Mais uma vez, a contenção imposta pelos maus precedentes, pelos interesses económicos, pelo receio do efeito dominó (que já é inegável por esta altura) e pela complicada teia de compromissos políticos e diplomáticos naquela região acabam por deixar tanto os países ocidentais como os vizinhos árabes sem capacidade de intervenção directa em mais um triste exemplo de como as populações ficam à mercê do destino quando um poder instalado se revela cruel na defesa da respectiva manutenção.

 

Mais uma vez, a democracia surge no horizonte como única opção viável apenas depois de explodirem no rosto dos que não a exigem ou defendem as terríveis consequências da sua falta.

publicado por shark às 13:34 | linque da posta | sou todo ouvidos