TELEVISÃO PARA PARVOS

Acabo de descobrir, num zap falhado, outro programa de televisão sem jeito nenhum. É uma estucha, uma seca, uma fonte de nervos pela audição das palermices que o apresentador da coisa vai debitando com um sotaque pseudo-chunga-Jorge Jesus.

Chama-se O Humor e a Cidade, passa na RTPN e só isso já me justifica uma cólera acrescida.

É que eu também pago com os meus impostos aquela fantochada.

 

O programa veio do Inferno, é coisa do Demo, e isso confirma-se pelos seus montes de boas intenções.

A ideia original, se havia uma, era ter um gajo com piada a mostrar cidades portuguesas de uma forma que pusesse os telespectadores a rir em vez de dormir.

O problema é que incluíram a palavra humor no nome daquilo e o escolhido para andar a passear à pala do contribuinte é um bacano incapaz de arrancar um sorriso a alguém nem com um ataque de cócegas. É só piada fáceis, cenas boçais e tentativas frustradas de arrastar os outros, a malta das cidades, para a pele de engraçadinhos como a veste o senhor.

 

Por outro lado, tudo o que me foi mostrado acerca das cidades deu-me pouca vontade de as conhecer. O cómico de serviço tem um critério de selecção que parece concebido para alimentar o bocejo.

 

Assim sendo, incluo O Humor e a Cidade como obrigatório na lista de cortes à despesa pública que está em voga por estes dias.

Mas calem o gajo.

publicado por shark às 11:42 | linque da posta | sou todo ouvidos