A POSTA NO CURRÍCULO BLOGUEIRO

Uma grande chatice dos blogues secretos, aqueles que a pessoa faz para ser apreciada pelo que escreve e não pelo que (ou quem) é, consiste em não podermos depois incluí-los no "currículo" blogueiro.

E que é isso? - perguntarão vocês? E perguntam bem, pois eu próprio não conheço a resposta.

 

O currículo blogueiro será, presumo, uma relação dos blogues que a malta criou e manteve mais os colectivos nos quais tenha feito uma perninha. Isso e talvez mais umas estatísticas para impressionar, o número de postas publicadas, de comentários recebidos, de visitantes e por aí fora.

Claro que isto só interessa ao próprio, sobretudo se estiver em causa um gajo a caminho de seis anos disto, e por uma mera questão de vaidade e/ou de orgulho pela obra feita. É o reconhecimento dos outros e nada mais em troca disto tudo.

É que a cena dá trabalho, acreditem. E exige algum espírito de sacrifício quando, como este maníaco, se mantêm activos três blogues individuais e se entende por "activos" algo digno desse nome.

 

Seja como for, e ao fim de anos suficientes para se poder concluir que a blogosfera não é uma moda passageira, começa a fazer algum sentido esse conceito do resumo curricular do artista.

É que uma pessoa investe muito de si, em tempo e não só, a tentar produzir conteúdos que não a envergonhem nem façam sentir-se parvos os visitantes mais incautos.

Não é fácil, sobretudo quando não abunda o substrato ou não temos um tema permanente de eleição para nortear a escrita.

Tem mesmo que ser de improviso, conforme sai, tentando reunir o binómio escrita agradável/tema catita. E eu ainda lhe acrescento os bonecos, as minhas fotos, para aliviar a vista aos visitantes.

Depois ainda temos as caixas de comentários. E é fácil perceber que mesmo num blogue pouco comentado, se uma pessoa responde a todos os comentários que lhe deixam dificilmente não dá uma calinada e é num instante que diz aquilo que não queria.

 

São os ossos do ofício, cuja principal característica é tratar-se de trabalho à borla e que, por isso mesmo, pouco mais pode garantir ao criador do que a aceitação por terceiros de algum mérito que lhe assista.

E o maior de todos, para quem já publicou milhares (sim, milhares) de postas, coleccionou mais de 30 mil (sim, mais de 30 mil) comentários, tem um blogue a caminho de um milhão (comprovado) de visitantes e criou ou esteve ligado a mais de vinte blogues, é a paciência.

 

publicado por shark às 20:52 | linque da posta | sou todo ouvidos