UMA CRIANÇA

Uma criança, desequilibrada na sua dança mesmo à beira de uma estrada assassina com gente apressada e sem tempo para brincar.
Uma criança, mesmo à beira de tombar no asfalto sem contar com um adulto que lhe possa deitar a mão.
Uma criança, estatelada no meio do chão onde os carros circulam depressa e uma testemunha impotente a gritar a aflição.
Uma criança, a precisar da salvação que um anjo lhe ofereça, num carro um homem apita desesperado para chamar a atenção do condutor distraído que nem viu alguém cair.

 

Uma criança, indefesa.
No olhar uma esperança impossível de travar.

publicado por shark às 19:22 | linque da posta | sou todo ouvidos