DESEQUILÍBRIO

Sentou-se na mesa, diante dela.
Em silêncio, começou a construir um castelo de cartas.
Guardou para o fim o ás de copas, que lhe mostrou antes de o colocar no topo como uma cereja no bolo ou uma estrela na árvore de natal.
Equilibrou a custo a carta final do baralho que utilizou e foi então que olhou fixamente para ela, atónita enquanto assistia à difícil construção.
Depois colocou diante do castelo um coração, equilibrado a custo com um fósforo por detrás.
Olhou de novo para ela, muito sério na expressão, e retirou da base uma dama.
E tudo desabou.

publicado por shark às 00:07 | linque da posta | sou todo ouvidos