A GENTE SECRETA

Como os predadores ou as aves de rapina. A atenção à debilidade inesperada, a rapidez de reacção depois de detectada, a paciência e a persistência dos que seguem determinado objectivo com um espírito de missão, características essenciais dos parasitas emocionais que aguardam na sombra um indicador de fragilidade que lhes facilite o caminho até à presa marcada por um motivo, um capricho qualquer.

 

Gente que sabe bem o que quer e não desiste desse direito que assiste ao mais forte na selva, de acordo com a lei. Gente que não fala e que não sente, movida por uma sede de vingança, em resultado de uma obsessão ou apenas porque se sabem numa posição mais favorável do que os oponentes de circunstância, os entraves a eliminar com infinita paciência em pequenos golpes que fazem sangrar até o sangue se esgotar no coração ou na cabeça fraca.

 

A presa que se marca para abater, sem pressa de o fazer, à espera na sombra por um dia ideal, um momento especial pela negativa, aproveitado como uma porta aberta para um ladrão ou uma ferida escancarada para germinar uma infecção, a presa debilitada pelos rigores de uma vida mais invernosa ou de uma desilusão amorosa, à mercê daquilo que qualquer oportunista vê se mantiver a concentração e vestir a pele de camaleão que mais se adequa à conjuntura propícia para atacar, como um falcão em voo picado no céu.

Gente que sabe bem o que quer.

 

E raramente não conquista o troféu.

publicado por shark às 14:47 | linque da posta