NÃO ME DESILUDAS, LISBOA

Por obra do acaso não sou um eleitor da capital, apesar de nascido e criado no Bairro do Charquinho, em Benfica.

Contudo, a perspectiva de ver regressar à edilidade o bastardo que privou a minha filha da Feira Popular dá-me náuseas e gostava que os artífices da candidatura de António Costa fossem menos brandos (frouxos) e denunciassem com clareza o que espera os lisboetas em caso de vitória do candidato de todas as direitas, meramente por beneficiar (como aconteceu com Cavaco) da divisão da esquerda aliada a uma falta de memória confrangedora por parte do eleitorado alfacinha.

 

Santana Lopes é um gajo habilidoso, um fala-barato com jeito para comunicar e nada mais. Ama Lisboa com a mesma devoção com que amou a Figueira da Foz que lhe sustentou a carreira política quando nada mais lhe restava. Depois abandonou o barco, como sempre fará quando lhe acenarem com um poder maior.

É essa a essência do fulano que lidera as sondagens, o provável Presidente da Câmara que os lisboetas se preparam para reconduzir ao cargo que tão mal desempenhou no passado, nomeadamente pelo desastre financeiro que deixou como legado a quem lhe sucedeu.

É um traste que a cidade não merece suportar outra vez e que acabará por a desfigurar de forma permanente e definitiva com os seus delírios.

 

Custa-me a aceitar esta possibilidade sequer. A reeleição de Santana Lopes seria uma manifestação de absoluta falta de bom senso por parte da população de Lisboa, seria uma carta branca passada a todos os confirmados incapazes da política autárquica.

 

Seria para mim uma enorme desilusão.

publicado por shark às 11:05 | linque da posta | sou todo ouvidos