IMPERDOÁVEL

Um bebé com nove meses de idade morreu em Aveiro dentro de um carro, onde o pai(?) o deixou sozinho por tempo demais.

São sempre movediças as areias que pisamos quando cedemos à tentação dos juizos de valor no que diz respeito à progenitura. Porém, eu não deixo a minha marafilha (com nove anos de idade) sozinha no carro, nem por cinco minutos, e não me sinto incomodado com o excesso de zelo que isso possa implicar. Viverei sempre melhor com as consequências do excesso do que com o resultado potencial da sua ausência.

 

Eu chamo negligência criminosa ao crime (sim, crime) de abandonar uma criança com nove meses de idade à sua sorte, sabendo qualquer mãe ou pai a quantidade de coisas que podem correr mal nessa fase vulnerável de qualquer ser humano.

 

E não consigo deixar de manchar a minha tristeza pela tragédia em causa com um ódio mal reprimido que é inevitavelmente dirigido a um homem capaz de permitir um desfecho assim.

publicado por shark às 10:06 | linque da posta | sou todo ouvidos