COMO EXERCITAR O PÉNIS

Há muito que não me debruço sobre as buscas no Google que conduzem incautos a este blogue, embora seja um dos aspectos mais divertidos da “gestão corrente” que nós, profissionais da cena, fazemos a partir dos contadores.

Contudo, alguns critérios de busca vencem-me pela insistência.
E é o caso da expressão que dá título a esta posta inútil à qual tentarei dar uma roupagem de indispensável para não frustrar quem aqui chega em busca de algum manual de instruções.
 
Apesar de não ser um perito na matéria, acreditei em puto que valia a pena treinar as partes do corpo que pudessem ter uma utilidade no futuro da minha vida sexual que, na época, só podia ambicionar fabulosa.
Já referi algures neste espaço como um livro erótico me forneceu o magnífico exercício linguístico com azeitonas (uvas também serviam, numa falta) que se não transformou a minha língua num poderoso instrumento de prazer pelo menos mal não lhe fez e isso leva-me a partilhar agora um outro exercício que ainda hoje não me inibo de praticar: o levantamento da toalha.
 
Toalhinhas de bidé só mais de dez, sobrepostas
 
Claro que nesta altura já estarão a pensar: “grande coisa, uma toalha”. Mas se tiverem em conta um lençol de banho dos grandes talvez esta sugestão revele melhor o seu potencial.
E é potência que se procura, deixemo-nos de rodeios, quando buscamos no Google instruções para manter entretida uma pila durante os momentos de ócio ou no período de expectativa pré-queca programada.
O exercício é simples e consiste em converter o membro viril num toalheiro improvisado. Desencantem-se os que julguem fácil a prática da modalidade, pois requer um esforço físico e mental que o tornam por inerência muito saudável mas sem dúvida exigente.
Senão, vejamos.
 
Para levar a cabo o seu programa de treinos, o praticante do levantamento da toalha precisa apenas de um toalhão com um mínimo de 1,50m de comprimento por 1m de largura e, naturalmente, de um toalheiro. E é neste instrumento de treino que começa a componente mental do exercício proposto, pois para improvisar o dito suporte torna-se imprescindível uma capacidade de concentração que o insufle com o máximo de rapidez possível (sobretudo no Inverno, este aquecimento muscular quase instantâneo torna-se importante).
Uma vez obtido o necessário sustento para o atoalhado, o praticante deve pendurar o mesmo no toalheiro de circunstância e aguentá-lo o máximo de tempo possível, não deixando entretanto de tentar erguê-lo em movimentos semelhantes ao da halterofilia mas sem mãos.
Qualquer resultado abaixo dos cinco minutos e das vinte “flexões” implica a necessidade de repetir o exercício duas vezes ao dia no sentido de obter a endurance desejável.
 
Uma mensagem de esperança num futuro viril
 
Para os mais vocacionados para o culturismo posso sugerir a prática da modalidade após o banho e depois de utilizado o respectivo toalhão para a secagem, o que acrescenta maior peso e, naturalmente, exige ao atleta uma maior capacidade de resistência (vulgo força na verga).
Na qualidade de veterano do levantamento da toalha quero deixar aos mais jovens uma palavra de estímulo pois se um quarentão consegue dispensar o toalheiro convencional será legítimo ambicionarem uma performance digna de registo. Ao fim de alguns anos de dedicação ao fortalecimento da valiosa e imprescindível ferramenta poderão fazer com a mesma tudo aquilo que a maioria só faz nas suas mais arrojadas fantasias (da treta) contadas aos amigos no emprego ou no café.
 
Por hoje é tudo e deixo aqui os votos de que estes apontamentos possam contribuir para o sucesso de todos quantos somos responsáveis por manter níveis de desempenho satisfatórios (não descurar o treino da atitude, das maneiras), ficando em aberto a possibilidade de nos debruçarmos aqui sobre outras variantes susceptíveis de ajudarem os mais empenhados a prepararem o corpo para responder a qualquer tipo de solicitação específica da zona por ora abordada.
Isso dependerá, como é óbvio, do número de pedidos recebidos no email deste blogue, na caixa de comentários ou no contador de visitas.
 
Mas basta dar-me para aí.
publicado por shark às 22:08 | linque da posta | sou todo ouvidos