ENERGIA EMOCIONAL

 

Parece que o coração salta no peito, chocado pela força da corrente que o assalta por esticão. Ligado à tomada num olhar eléctrico, a descarga da alta tensão num instante, a paixão assolapada de rompante e a razão perdida, à deriva nas ondas de choque, rendida ao poder da alma instalada nos lábios magnetizados nos pólos opostos que se atraem, os rostos, beijos tão repentinos como relâmpagos numa trovoada tropical.
 
Curto-circuito, fusíveis derretidos no contador das histórias com explicação racional, a força da corrente espalhada pelos corpos em fusão antecipada pelo efeito do aumento de calor nas peles tocadas por instinto, atracção irreprimível e de todo inexplicável senão pelas teorias que tentam em vão explicar as diferentes manifestações do amor.
 
O sentido que faz aquilo que não precisa de o fazer, tão lógico na sensação de euforia como naquilo que faz doer, sem nexo, o desgosto e a saudade de um sexo emergente nas entranhas de palavras tão estranhas que apetece dizer mas que são proibidas pela razão que funciona como o isolante de recurso, a derradeira vacina para a paixão descontrolada que nos arrasta ao longo da ténue fronteira entre a insanidade e a lucidez.
 
A esperança e a sensatez em rota de colisão no pequeno espaço de um coração que salta no peito quando recebe o impacto das emoções fundamentais.
 

Sempre que a paixão se liberta, alada, dos seus grilhões artificiais.

publicado por shark às 14:22 | linque da posta | sou todo ouvidos