Segunda-feira, 08.10.12

A POSTA NA CORAGEM PROPRIAMENTE DITA

Nadia Leila Aissaoui.

 

A coragem publica-se.

publicado por shark às 09:16 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (1)
Domingo, 20.03.11

OS LÁBIOS LÍBIOS QUE UMA BALA ASSASSINA CALOU

Embora muitos o neguem, a Blogosfera é uma comunidade e reúne pessoas de todo o planeta em torno de uma plataforma de comunicação comum.

Se em Portugal blogar não passa de um mero exercício de liberdade de expressão e criativa, noutros países já se revelou na verdadeira essência para que foi criada.

A Blogosfera é um símbolo de liberdade e ainda que nos países ocidentais essa vertente se encontre relativamente adormecida, em países como a Líbia o esforço de quem bloga é direccionado precisamente para a luta por direitos elementares que temos por dados adquiridos mas as lições do passado, os factos do presente e as perspectivas do futuro desmentem nessa condição.

 

Mohammed Nabous, um jovem engenheiro de telecomunicações líbio, blogueiro apanhado no centro de um furacão daqueles com que a História varre realidades e nos molda novos caminhos, podia ter escolhido o silêncio ou mesmo a deserção.

Contudo, e apesar (ou por isso mesmo) de estar à espera do seu primeiro filho, entendeu lutar com este meio ao nosso alcance por um futuro que queria melhor para o seu país. Foi um dos rostos mais visíveis da revolta do povo líbio, divulgando os factos que aconteciam em seu redor, testemunhando a revolução que se tornou numa guerra civil que acabou por apanhá-lo sob a forma de uma bala de um sniper cobarde quando cumpria aquilo que abraçou como a sua missão.

 

Era um homem corajoso e morreu como um mártir a lutar, entre outros, pelo direito a blogar as verdades que um regime tirano preferiria escondidas.

Merece todo o nosso respeito e nada menos do que o estatuto de um dos nossos mais destacados heróis.

publicado por shark às 15:11 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)
Domingo, 26.04.09

CADA UM TEM...

...Os heróis que merece.

 

salgueiro maia

Salgueiro Maia (1944-1992)

 

publicado por shark às 13:30 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)
Domingo, 31.08.08

INGRATO NÃO SOU

sem fogo

Foto: Shark

publicado por shark às 18:05 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Domingo, 18.05.08

CADA UM TEM...

...Os heróis que merece.

 

humberto delgado

 

General Humberto Delgado (1906-1965)

publicado por shark às 12:38 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (5)
Quinta-feira, 24.04.08

O ROSTO DA UTOPIA

o rosto da utopia
publicado por shark às 23:55 | linque da posta | sou todo ouvidos
Terça-feira, 27.11.07

CADA UM TEM...

...Os heróis que merece.


Steve-Biko.jpg

Steve Biko (Bantu Stephen Biko)
(1946-1977)
publicado por shark às 12:23 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)
Sábado, 10.11.07

CADA UM TEM...

...Os heróis que merece.

touro sentado.jpg

Sitting Bull (Chefe Sioux)
(1837-1890)
publicado por shark às 22:49 | linque da posta | sou todo ouvidos
Quinta-feira, 02.08.07

BLACK & WHITE

sempre che.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 21:33 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)
Sábado, 14.07.07

NÃO ESQUECI

Partilhaste comigo o teu fetiche por mulheres cabeludas, as tuas preferidas na hora de exibir aquela característica que os homens da família se obrigavam por tradição.
A mesma que te puseram à prova quando te mandaram combater por uma "pátria ultramarina" e te fizeram saltar do alto de um pássaro de ferro para o chão onde as balas dos “turras” te ceifaram os amigos e te condenaram a meses de dor num hospital militar.

Os homens da família que nunca viram a cara ao desafio, aceitam o risco e avançam contra o perigo como carne para canhão por causa de uma tradição que algum antepassado tonto criou.
E tu, diferente em tanto e sempre para melhor, abraçavas na guerra como conquistavas no amor e vestias essa pele que nos legou o apelido comum e nos impele para diante quando fugir seria de caras a melhor das opções.
Nunca te confessei o motivo mais forte da admiração que me causavas, não pelas histórias que me contavas acerca do cumprimento desse dever estapafúrdio de nos provarmos heróis mas pela forma subtil como deixavas passar a mensagem da vulnerabilidade a que nos expõe a ameaça das emoções que nos cegam e tu reconhecias sem ver.
A tua coragem no campo da batalha que travamos a sós, a guerra dentro de nós quando nos sentimos arrastados para diferentes lados pelo apelo do que somos contra aquilo que nos obrigamos a ser.

O chamamento de uma mulher, irresistível, e o impulso irreprimível de sentir a vida carpe diem como se pudesse acabar amanhã.
Como a tua acabou, de repente, depois de umas semanas doente em que adivinhavas o pior. A cirurgia que temias e acabou por te matar mais depressa do que o inimigo que insistia em alastrar pelo teu corpo como erva daninha quando a sorte te emboscou.

Partilhaste comigo as linhas principais do compromisso implícito no nosso tronco genético comum, nas entrelinhas do que dizias e na traição sistemática de um olhar que não sabia mentir. Ensinaste-me a agir com maior prudência e a tomar consciência do quanto era preferível investir na paixão do que nas investidas de machão para impressionar o pagode.

Lembro o sorriso maroto dos melhores dias e as rugas na testa que te denunciavam a preocupação quando te ouvi falar pela última vez.

A mesma testa lisa e fria que beijei no único momento em que demonstrei o carinho que o código familiar de conduta masculina nos impedia de demonstrar e tu foste o primeiro a contestar com a assumpção das tuas fraquezas e a partilha das tuas tristezas, sentidas em segredo ou parcialmente assumidas, a medo, pelos outros membros do núcleo a que tu e eu nunca parecíamos pertencer da mesma forma.

Lembro-te, tio, como o sinal de esperança que encontrava quando tantas vezes me revoltava contra a dureza excessiva do nosso “regime beirão” e que tanto me afastava do ideal comum.

Por tua causa, com essa partida acelerada e de todo inesperada do mais jovem de tantos irmãos, contrariaste outra vez a lógica do sistema que nos impunha determinada maneira de ser.

Com a tua perda, tio, a minha esperança que restava também foi a primeira a morrer.
publicado por shark às 12:48 | linque da posta | sou todo ouvidos
Terça-feira, 20.03.07

A POSTA NA ASSOCIAÇÃO ANIMAL

animal.gif

Em diversas ocasiões tentei acudir pessoalmente a animais maltratados, não porque isso faça de mim um santo mas porque gosto de animais e detesto gente bruta e cobarde que aproveita o desequilíbrio de forças em favor da sua natureza vil.
Outras vezes preferi recorrer a algumas das instituições ligadas à defesa e protecção dos animais e acabei sempre com a triste sensação de estar a perder o meu tempo com “tias”. Tudo lhes fazia confusão, tudo constituía um obstáculo intransponível, queixinhas e mais queixinhas e nada de concreto em termos de actuação.

Na mais recente situação com que me confrontei, por relato de terceiros acerca de um fulano que alegadamente maltratava o seu cão, lembrei-me da ANIMAL, uma associação que deu nas vistas por não temer manifestar-se contra as touradas in loco. Quem conhece os adeptos das touradas sabe que uma boa parte deles não prima pela elegância nas reacções, pelo que fiquei impressionado com a capacidade de mobilização e a coragem daquela rapaziada.

Um simples email bastou. Em poucas semanas, o dito agressor viu-se a braços com uma inspecção dos serviços camarários e embora o canídeo não exibisse sinais evidentes de agressão ficou a saber que futuras situações não ficariam impunes.
E viu-se obrigado a registar, vacinar e aplicar o chip no cão e isso de outra forma nunca teria vindo a acontecer.

Por isso mesmo, aproveito este meu tempo de antena para em simultâneo elogiar a eficiência e simpatia da ANIMAL e para vos sugerir que conheçam o site deles e, no mínimo, subscrevam a newsletter que nos mantém a par das suas actividades.

Uma coisa é certa, os defensores da ANIMAL não são meninos de coro e esfregam nas ventas de quem duvidar da crueldade que grassa neste domínio as provas que não deixam margem de manobra para dúvidas.

E fazem, muito mais do que alardeiam.
publicado por shark às 18:06 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Sexta-feira, 23.02.07

ZECA SEMPRE!

azulejo zeca.gif
publicado por shark às 09:12 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (11)
Sexta-feira, 08.12.06

A INVENÇÃO DE GARDEL

tango magic.jpg

Existem pessoas cuja passagem pelo mundo deixa um rasto mais intenso, uma marca indelével que muitas vezes nem associamos a alguém em concreto mas que acaba por influenciar aspectos importantes da nossa vida.
Alguns dedicaram-se a salvar vidas, a mudar o rumo da História ou a contribuir com o seu génio para enriquecer a Cultura.
Outros apenas contaram com a dedicação extrema a uma qualquer actividade humana.

Foi o caso de Carlos Gardel (Charles Romuald Gardés), que se presume argentino mas terá nascido em França (Toulouse). E essa conotação imediata deste nome com a terra das pampas deriva precisamente do facto de ele ser a maior referência mundial quando se fala de tango.
E se é incerta a verdadeira origem deste género musical e de dança dita de salão que se atribui aos prostíbulos de Buenos Aires do início do Séc. XX, ninguém pode negar à memória de Gardel o facto de ter sido sua a invenção do tango tal como hoje o admiramos.

O tango representa acima de tudo romance, paixão intensa, harmonia perfeita entre uma mulher e um homem que se desenham na pista ao ritmo de uma música que fala de sedução. E é aqui que entra a figura do señor Tango, um homem que abraçou esta forma de expressão com um charme latino e com um empenho que o imortalizou por imediata associação de ideias.
Cantor e actor, El Morocho conferiu ao tango a aura romântica que ainda perdura. Se à valsa ligamos a dança “nas nuvens” sob a luz dos candelabros palacianos, o tango é a expressão mais carnal e intensa da magia que emana de um par mergulhado num ritmo e numa forma de estar.

E por forma de estar entendo aquela que distingue os latinos dos restantes no que concerne ao amor e à sensualidade, reconhecida globalmente, e que urge preservar como qualquer outro traço que nos diferencia de entre a população mundial.
Nessa perspectiva, o tango é um símbolo que se ouve e se dança.

Com um olhar em chamas e uma alma incendiária.
publicado por shark às 22:39 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (19)
Quinta-feira, 24.08.06

CADA UM TEM...

...Os Heróis que merece.


heming ways.jpg

Ernest Hemingway
(21/07/1899 - 02/07/1961)
publicado por shark às 18:10 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)
Terça-feira, 04.04.06

CADA UM TEM... (III)

...Os Heróis que merece.

sousamendes0.jpg
Aristides Sousa Mendes
publicado por shark às 09:40 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)
Terça-feira, 06.12.05

CADA UM TEM... II

...Os heróis que merece.

che.jpg
Ernesto Guevara de La Serna
publicado por shark às 20:34 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (22)
Terça-feira, 02.08.05

CADA UM TEM...

jim morrison1.JPG

...os heróis que merece.
publicado por shark às 22:56 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)

Sim, sou eu...

Mas alguém usa isto?

 

Postas mais frescas

Para cuscar

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

2005:

 J F M A M J J A S O N D

2004:

 J F M A M J J A S O N D

Tags

A verdade inconveniente

Já lá estão?

Berço de Ouro

BERÇO DE OURO

blogs SAPO