A POSTA NO DIA DO CONSUMIDOR INVOLUNTÁRIO DE CACA

John F Kennedy.gif

Numa clara exibição de oportunismo mediático, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) decidiu hoje atacar em força no concelho de Setúbal. E digo em força pois é disso que se trata quando os inspectores se fazem acompanhar de agentes armados até aos dentes num mercado abastecedor, algo que produz enorme impacto nas câmaras de televisão.
Contudo, esta acção das autoridades competentes, a todos os títulos recomendável (a avaliar pelos resultados), acontece neste dia para aproveitar a efeméride a que o presidente norte-americano (ironia do destino…) John F. Kennedy deu origem numa declaração ao Congresso dos EUA em 15 de Março de 1962 e se refiro o sentido de oportunidade para enfatizar o peso dos media nas decisões governamentais não é nesse aspecto que quero fazer incidir a vossa atenção.

Para lá dos muitos quilos de pescado apreendidos pela ASAE ao início da madrugada por não respeitarem normas de acondicionamento e outras questões menores que nem eram susceptíveis de constituírem ameaça para a saúde pública (a mercadoria será entregue ao Banco Alimentar), o que pode ser interpretado à luz da tradicional rebeldia dos portugas para cederem à padronização que a Europa impõe, as notícias divulgadas acerca dos primeiros resultados da mega fiscalização em curso constituem mais um sinal de alerta para todos nós consumidores.

De quatro panificadoras inspeccionadas, três ficaram out of business. E no caso de uma delas, para além da matéria-prima imprópria para consumo as autoridades referem a existência de roedores nas instalações…
Estamos a falar de pão, um daqueles alimentos incontornáveis e dos quais só podemos avaliar às apalpadelas se são de hoje ou do dia anterior. O pão corrente não é rotulado e por isso não podemos constatar se existem caganitas de rato na respectiva composição.

Perdoem-me o nojo da expressão anterior, mas é preciso que as coisas sejam postas nos respectivos lugares e que aproveitemos esta efeméride para, no mínimo, chamar os bois (que têm a indignidade de desrespeitar o asseio na fabricação de alimentos) pelos nomes (ocorrem-me assim de repente uma data deles bem insultuosos).

Isto para retirar dos rostos imbecis como o de um jovem motorista de um veículo de mercadorias apanhado a circular com o motor de frio avariado o sorriso com que reconheceu perante a câmara da jornalista da RTP que o entrevistou que “sim, já tinha topado que o motor avariou”.

Sem que esse facto o impedisse, bendita fiscalização que o caçou, de prosseguir o seu caminho de consciência tranquila para distribuir nos seus pontos de venda os alimentos inquinados que depois damos aos nossos filhos para comerem.

asae.gif
ASAE
publicado por shark às 09:54 | linque da posta | sou todo ouvidos