CULTURA SEM BAFIO

paula moura pinheiro.jpg

Existe um programa na televisão portuguesa onde a Cultura não boceja.
A (bonita) senhora da foto, Paula Moura Pinheiro, trata qualquer assunto com uma vivacidade que nos arrebata e trabalha com uma equipa que se empenha em acompanhar o ritmo que ela impõe.

Hoje é dia de Conversas D'Escritas, o evento que coloca a Póvoa de Varzim no mapa literário ibero-americano. Entrevistas em catadupa, umas atrás das outras, e nem assim a coisa se transforma numa estucha impossível de aturar.

Um exemplo: a entrevista à escritora cubana Karla Suárez e ao seu colega espanhol José Manuel Fajardo, onde se revela a história de amor entre os dois escritores, nascida há cinco anos noutra edição do Conversas. A Paula não se deixa dominar pelos tiques de intelectual, tão costumeiros, que empurram os/as entrevistadores/as para o discurso pseudo-profundo de quem parece sentir necessidade de provar não sei o quê e nos entedia sem apelo. E agarra os aspectos mais interessantes para colorir as suas agradáveis conversas, pautadas por perguntas inteligentes e intervenções oportunas.

Ela fala, ela (sor)ri, ela mostra gostar daquilo que faz e contagia os interlocutores com o seu à-vontade, a sua alegria espontânea.
E não se inibe de encaixar uma história de amor acessória ( e necessariamente complexa, por envolver um casal de escribas) no seu compromisso com a literatura que lhe compete servir de bandeja, como outras artes e formas de expressão, a quem tenha a feliz oportunidade de acompanhar o Câmara Clara.

Todas as Sextas, às 22:30. Imperdível.
publicado por shark às 00:07 | linque da posta | sou todo ouvidos