SÓ PALAVRAS

Muitas visitas deste blogue têm origem apenas nas imagens que aqui publico e que, regra geral, tratam-se de fotos da minha autoria.
Assim sendo, e porque não é minha intenção defraudar as expectativas de ninguém ou "marcar pontos" nos contadores à custa desse tipo de engano, aviso que não sei durante quanto tempo este espaço e o outro ficarão reduzidos às palavras que for capaz de produzir durante o horário de expediente (quando tenho acesso a um computador e à net).
E para quem quiser uma explicação para esse facto, dou-a já de seguida.

Adquiri tempos atrás um portátil IBM pela bonita soma de cerca de dois mil euros. Por ser IBM e por estar "artilhado" com algumas traquitanas que considerei necessárias para blogar onde me desse na telha e para potenciar os recursos da máquina xpto.
Todavia, estas marcas de renome investem em interiores made in taiwan para serem competitivas. E era o caso do disco rígido do aparelho.
Claro está, acabou por dar o berro...

Eu não sou um gajo prudente. Backupes não são rotinas a que me predisponha. E por isso tenho um disco marado cuja substituição aliada à recuperação das fotos e textos que o preenchem foram orçadas em mais de mil euros (o bastante para adquirir um novo portátil de razoável qualidade).

Não é uma decisão fácil de tomar, porquanto necessária, e eu oscilo entre deixar cair tudo o que fotografei e escrevi e adquirir um novo computador da marca mais ranhosa que encontrar (pois o conteúdo é fabricado nos mesmos sítios) ou em investir na ressuscitação do IBM que pifou ao fim de pouco mais de dois anos de uso.

Por isso não sei quanto tempo irá demorar o meu regresso ao esquema normal, até porque me intimida a reinstalação de tudo quanto perdi nesta macacoa de todo inesperada (nomeadamente a parte relativa à placa berradinha que a TMN me disponibilizou).

Donde, quem vem pelos "bonecos" mais vale deixar cair o charco durante uns dias (talvez semanas). Por outro lado, quem vem pelas palavras pode ter a certeza de que tudo farei para que não falte disso neste espaço.

À guiza de desabafo, devo confessar-vos que esta situação me apoquenta bastante e que ando com uma neura que só me apetece pegar na merda do "ferrari" dos computadores e espetar com ele na parede mais próxima (como já aconteceu a alguns equipamentos que me desiludiram noutras ocasiões).

Agradeço a vossa compreensão e prometo que dedicarei parte dos próximos dias a encontrar a solução para este problema que me afecta, por respeito a quem quero dar o melhor de mim e porque detesto problemas por resolver.

E desculpem a seca que esta posta constitui...
publicado por shark às 09:34 | linque da posta | sou todo ouvidos