DEIXA-ME ENTRAR

jogo de luz.jpg
Foto: Shark


Como uma ligação à corrente, energia pulsante que se apodera de mim.
Como uma calma aparente, uma pose distante, que controla o frenesim.
No interior a batalha disputada em silêncio, abafada no seu fragor para não incomodar as palavras que saltitam como notas vivas nas pautas mágicas de uma sinfonia.

Como um raio de luz libertado do seio da escuridão, relâmpago e trovão.
Como a ponta da varinha de uma fada madrinha que me toca e enfeitiça.
Lá fora a paz oferecida em miríades de tons, a alegria nos sons estridentes das crianças que brincam a felicidade tão espontânea numa idade onde um sorriso pode bastar.

A visão do paraíso no céu do teu olhar.

O coração a galope na pradaria, a emoção de uma fantasia que realizamos a dois.
E regressamos depois ao ponto de partida, a nossa pele despida das roupas e a alma nua de falsos pudores. Os braços que te apertam nos sonhos que te alertam para a urgência de me amares enquanto respirares e, quem sabe, para lá do que julgamos um fim.

A visão do paraíso tão perto de mim.

Como um destino traçado num quadro pintado pelos anjos da guarda que zelam por nós.
Como uma profecia soprada pelos deuses ao vento que canta nas folhas o som da sua voz.
Ao longe no horizonte o sol que representas no amor que me sustentas, a viagem que mal começou nesta vida que me embarcou rumo ao porto da sorte que sorri.

A visão do paraíso.
E eu a caminho de ti.
publicado por shark às 01:48 | linque da posta | sou todo ouvidos