VIDA DE PAI 2

herdeira do tubarao.JPG
Foto: Shark

Andava na bicicleta com rodas laterais de apoio e não pretendia efectuar qualquer alteração, preguiçosa.
E casmurra também, ninguém a convencia a abdicar das “muletas”.

Porém, chegou o dia em que o terreno não favorecia a utilização das ditas rodas suplementares. Uma delas acabaria por cair, vergada pelo esforço.
E na primeira curva caiu a ciclista, naquele que foi provavelmente o maior e mais desamparado trambolhão da sua curta existência.
Parti-me todo por dentro enquanto a via levantar-se e limpar o pó do corpo para não ter que limpar lágrimas do rosto, orgulhosa demais para dar parte de fraca perante testemunhas.

Altiva, nem hesitou. A roda suplementar que restava tinha que sair naquele preciso instante.
Assim se fez.

Ainda esfolada em consequência da queda, e para minha aflição, agarrou-se ao guiador com um olhar determinado. Aceitou algum apoio nos primeiros instantes, mas depressa se fartou da falta de resultados visíveis
Poucos minutos depois, sozinha, aprendeu a andar de bicicleta.

Faz hoje sete anos, essa mulherona pequenina.
E é a minha filha.
publicado por shark às 21:35 | linque da posta | sou todo ouvidos