KNOCK ON WOOD

friday 13.jpg

Nunca fui muito dado a superstições. Nem que seja por uma questão de coerência, pois não faria sentido um agnóstico acreditar nesse tipo de crendice sem outra forma de se sustentar que não a estatística.
Os azares acontecem, isso é um facto que ninguém contesta. E alguns surgem como uma consequência dos nossos actos ou omissões, um azar pré-fabricado que só tem essa designação por causa daquela tendência para descartarmos as nossas culpas.
Porém, esses “azares” também entram na estatística e alimentam os receios que estão na origem das precauções estapafúrdias que alguns entendem tomar nestes dias especiais.

Hoje é sexta-feira treze, um dia que a palermice humana convencionou mais azarado do que os outros. Escadas, ferraduras, gatos pretos, patas de coelho. Simbologia tão tola como outra qualquer, apenas porque alguém teve um dia mau e necessitou de encontrar uma explicação para tanto galo.

Claro que para muitos o que acabo de escrever é quase uma blasfémia, uma provocação descarada ao destino que me poderá castigar como um deus pagão sob a forma de um azar que até poderia acontecer noutro dia qualquer. Uma provocação a quem acredita nestas coisas, pois não há maior insulto para uma crença do que a respectiva ridicularização.

Eu não passo debaixo de escadas ou escadotes por uma questão elementar de bom senso, de resto o mesmo motivo que me leva a não acrescentar um acessório para cavalos aos molhos de chaves, moedas e outras cenas de metal que me atafulham as algibeiras. Não monto quadrúpedes, nem os temo em função da cor. Se os gatos são pretos, apenas concluo que de noite é mais difícil descortiná-los e é mais fácil ter o azar de lhes pisar a cauda sem querer.
E quanto às patas de coelho, só mesmo no tacho e ficamos conversados quanto aos símbolos que seleccionei para ilustrar o meu cepticismo radical.

Assim sendo, enfrentarei este dia como outro qualquer. Sempre à coca de chatices inesperadas que urge evitar, sobretudo provocadas pela minha desatenção.

Mas convicto de que no final do dia, e mesmo que as porras se manifestem em catadupas, não faltarão outras sextas-feiras treze para limpar a má imagem que este dia me possa trazer.

E claro que vos desejo um dia sortudo, nem que seja só para eu ter razão naquilo que afirmei.
publicado por shark às 11:13 | linque da posta | sou todo ouvidos