Domingo, 31.07.11

PELO MENOS COME MALAGUETAS...

O Benfica tem uma águia a voar pelo estádio, o Sporting tem um leão a ser arrastado pelo estádio.

E o Pinto da Costa, anda a tomar Red Bull?

publicado por shark às 22:04 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

VAI SER REESCRITA A HISTÓRIA DO BPN

Com BIC laranja, para escrita fina.

publicado por shark às 20:37 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)

AGOSTO A CHEGAR

o algarve de raspão

Foto: Shark

publicado por shark às 00:52 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (9)
Sábado, 30.07.11

ROSTO ABAIXO

A emoção escapou da alma sob a forma de uma lágrima que traçou rosto abaixo o percurso para a enxurrada das restantes foragidas que aguardavam a sua hora de fugir.

A nascente começou a libertá-las aos poucos mas não tardou a perder o controlo ao caudal, qualquer barragem seria ultrapassada pela força da corrente poderosa daquela torrente chorosa que corria, rosto abaixo, para longe de onde não queriam estar porque não faziam falta alguma.

Todas seguidas, unidas pelos grilhões das pretensas emoções que as produziam afinal. Rosto abaixo, dali para fora. Era tempo de partir, de ir embora, para nivelar a pressão que atormentava o presídio onde cada lágrima aguardava a sua vez para fugir ao frio e mergulhar no vazio que lhes parecia mais aliciante do que uma alma emocionada de forma artificial, apenas mais um embuste emocional que aquele rosto com pele de crocodilo acabou por absorver, canalizando esse depósito para futuras utilizações.

Tags:
publicado por shark às 21:12 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

A POSTA NO DIREITO DO CONSUMO

Só se perde o norte à importância do que fazemos na Blogosfera e ao que pode representar quando deixamos de reparar na crescente perda de relevância da Comunicação Social, em boa medida pela manifesta perda de independência que acontece lá fora como aqui (há exemplos de colagem tanto ao poder político como ao financeiro) mas também pelo critério de selecção vigente em matéria de temas a abordar, tanto no assunto escolhido como na perspectiva, normalmente preguiçosa, como o abordam.

 

Existe uma faceta lúdica nisto de blogar e eu nunca a reneguei. Porém, não consigo ficar alheio ao quanto podemos, se assim o quisermos, aproveitar este estatuto freelancer para tentarmos corrigir alguns desvios dos que acima destaco.

Isto não implica que a Blogosfera possa ou deva assumir um papel que compete aos jornalistas enquanto não destruírem a sua credibilidade de vez. Mas acaba por equivaler na sua essência à necessidade do surgimento de movimentos sérios de cidadãos no sistema democrático para compensarem o progressivo distanciamento entre os Partidos e a população.

Está em causa a existência de alternativas que a Democracia permite e a cada cidadão compete abraçar.

Esta, por ora, é a minha.

E nesse sentido vou debruçar-me ao longo da próxima semana sobre um assunto que me parece um viveiro de histórias mal contadas pela Comunicação Social, o que encaixa na perda de independência que refiro acima pois envolve os interesses directos do poder financeiro, nomeadamente as empresas a quem (e só a essas) o Direito do Consumidor, e é esse o meu alvo nos próximos dias, intimida.

Para o efeito irei basear-me no trabalho da única associação que considero legítima representante dos interesses dos consumidores e cuja falta de projecção me parece um péssimo sinal em termos do que está em causa nesta área tão delicada, a Associação Portuguesa de Direito do Consumo, e conto postar, para além das abordagens que me ocorram, uma entrevista ao Prof. Dr. Mário Frota.

 

Conto com o vosso interesse nesta minha incursão por um tema que a todos respeita e espero conseguir oferecer-vos um trabalho à altura das nossas expectativas.

publicado por shark às 18:14 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (7)
Quinta-feira, 28.07.11

CAPACIDADE DE IMPROVISO

capacidade de improviso

Foto: Shark

publicado por shark às 00:57 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (7)
Terça-feira, 26.07.11

ONDE PARAM OS MILHÕES???

Tenho conhecimento pessoal, não ouvi dizer, de um caso concreto que me suscita enorme apreensão acerca da verdadeira condição da banca em Portugal, nomeadamente o Millenium BCP.

Em causa está uma bagatela, um crédito à habitação no valor de cerca de 20 por cento do imóvel que garante a operação financeira, pedido por alguém sem incidentes bancários e com fiadores de solidez comprovada.

Depois de dados todos os passos necessários, avaliação, recolha de documentos, já passaram 30 dias. Um mês, sem qualquer resposta. Nem mesmo uma desculpa forjada, tamanha é a evidência de que pouco há a explicar.

Nenhum banco demora um mês a recolher informação acerca de alguém e ainda menos leva esse tempo a avaliar a capacidade de endividamento, a dimensão do risco em causa num empréstimo cujas características levaria à aprovação e à marcação da escritura em pouco mais de 48 horas. E sei do que estou a falar.

 

Que hipóteses restam para o banco em causa nem sequer comunicar a decisão relativa à aprovação depois de passadas quatro semanas sobre a abertura do processo?

O raciocínio requerido não é muito para se concluir que só a falta de liquidez, e tendo em conta o valor em causa estamos perante uma falta de pilim mesmo muito assustadora, pode estar nos bastidores do embaraço de quem aceitou o negócio em causa e agora se vê a braços com uma situação cujas respostas concretas não poderá fornecer sem comprometer seriamente (ainda mais) a imagem de um banco cujas acções valem metade de uma bica.

 

Repito, para que percebam bem o que está em causa: um negócio dos que sempre estiveram no topo das prioridades comerciais de qualquer banco nos últimos anos, com margem de risco quase nula e envolvendo uma verba insuficiente para comprar um T1 na Brandoa está pendente de resposta há um mês inteiro.

 

E não ouvi dizer. A verdade é mesmo esta, escarrapachada onde mais nos dói.

publicado por shark às 22:17 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

(MARA)FILHA DE PEIXE

filha de peixe2

Foto: Shark

Tags:
publicado por shark às 11:20 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)
Segunda-feira, 25.07.11

A POSTA QUE O NORUEGUÊS É CHANFRADO E BASTA

Mais um chanfrado, sozinho ou acompanhado, entendeu aplicar a inteligência num plano brilhante para defender a Europa não se sabe muito bem do quê. Matou dezenas, convicto de que servia uma causa que parece ser só sua, cada maluco sua panca, armado em paladino, em templário distorcido ao ponto de matar cristãos para proteger os restantes dos mouros ou de outro papão não ariano que lhe tenha andado a suprimir (ou pelo menos adulterar) neurónios.

 

Bom, uma pessoa nem sabe por onde começar perante um cenário assim.

Começo talvez por lamentar que a sociedade esteja tão insana que já não consegue topar os mesmo muito malucos de entre os moderada a declaradamente doidinhos que se cruzam connosco nas ruas, talvez com a mesma pintinha de anjinho deste trintão louro de olhos verdes que decidiu libertar o caos interior.

Da sua caixa de pandora brotou um esquema simples, porque não seria preciso mais num país tão pacato que nem os polícias andam armados no giro, mas eficaz no único objectivo deste tipo de psicopata: chamar para si os holofotes da ribalta.

 

Embora o conceito de fundamentalista cristão me pareça justo para equilibrar a parada (gostava de saber quantos já apontavam o dedo e olhavam com desconfiança os suspeitos adoradores de Alá ainda o norueguês marado andava aos tiros sobre os miúdos), não consegui até agora vislumbrar o fanatismo religioso por detrás da armadura virtual deste dom quixote hardcore.

Da mesma forma não me parece que a sua ideologia de direita possa ter influenciado de forma determinante a evolução do plano deste assassino em série, excepto talvez em ter escolhido a juventude trabalhista para o executar e um Governo da mesma cor para atacar.

Fosse de esquerda, desequilibrado como se revelou nos actos e na respectiva preparação, e teria encontrado outros pretextos e talvez outras vítimas para levar a cabo a sua cruzada indigna.

 

Mas o que me irrita mesmo é a colagem ao apelo nacionalista, uma estupidez tão flagrante quanto o terrorista ter atacado o poder político do seu país tão louro e jovens compatriotas seus. Nenhuma abordagem ao nacionalismo pode de forma coerente fazer a apologia da chacina dos nossos conterrâneos.

Defender a Nação implica tanto a bandeira, como o território, como o respectivo povo. Nenhum nacionalista sério poderá advogar o contrário e por isso o crápula tanto podia ter pegado pelo estandarte nacionalista como pelo da corporação de bombeiros local.

 

Onde quero eu chegar? Não vale a pena tentarem rotular o bandido disto ou daquilo. Um assassino maluco, ou pelo menos avariado o bastante para se sentir à vontade para fazer o que aquele fez, não precisa de ideologias, de causas. Basta-lhe o apelo interior para a sensação de prazer que um poder tão... divino proporciona a estas ameaças latentes, dormentes, que de vez em quando se notabilizam pelos seus feitos aterradores.

A criatura é uma verruga, uma aberração das que desde o início dos tempos foram aparecendo para nos tentarem vergar pelo terror que será sempre um instrumento de poder ao alcance de qualquer incapaz com ambições mal medidas ou interpretações corrompidas de ideais que lhes ornamentam as intenções.

 

Conotá-los com causas ou com ideologias não passa de uma glória que os seus actos infames não podem de forma alguma sustentar, esses cobardes oportunistas sem lei nem escrúpulos que agem movidos por uma natureza macabra e uma frieza cruel.

É disso que se trata. O resto é folclore, munição para futuros macaquinhos de imitação tresloucados com o mesmo instinto facínora mas sem uma orientação das que estas colagens fornecem mesmo antes que aqueles que as promovem percebam sequer de raspão o que motivou de facto aquilo que as suas conclusões precipitadas fingem explicar.

publicado por shark às 23:14 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (11)
Domingo, 24.07.11

ENTARDECER

coberto pelo véu

Foto: Shark

publicado por shark às 18:47 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

ESTOU MUITO SEGURO...

...De que tão cedo não voto PS.

publicado por shark às 00:02 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)
Sexta-feira, 22.07.11

DIREITA RADICAL

Os medíocres são todos de Esquerda, pois numa sociedade onde só os melhores podem chegar à fortuna e ao que de melhor o dinheiro pode comprar, as pessoas sem esperteza, garra e ambição nunca passam da cepa torta.

publicado por shark às 15:08 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

ESQUERDA RADICAL

Os medíocres são todos da Direita, pois numa sociedade com rendimentos mais nivelados as pessoas só conseguem dar nas vistas pelo que são, pelo que valem de facto, e não apenas pelo que possuem.

publicado por shark às 15:04 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Quinta-feira, 21.07.11

LEGS

pernas de pau

Foto: Shark

publicado por shark às 16:06 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (15)
Quarta-feira, 20.07.11

A TODO O TEMPO

Sou de um tempo em que o amor se dizia, mais do que se escrevia, olhos nos olhos da emoção que tanto intimidava na enorme luta que travava com o medo da rejeição.

Sou de um tempo em que a amizade se vivia, mais do que se prometia, mão na mão da força que tanto consolidava a confiança que se depositava sem temer a traição.

Também sou de um tempo em que a paixão acontecia, mais do que se fingia, lábios nos lábios da atracção poderosa que tanto nos acelerava a pedalada do coração.

 

Sou de um tempo que passava com vontade de avançar vida fora até ao tempo que é agora sem desistir de sonhar.

E por isso também sou de um tempo que ainda está por chegar.

Tags:
publicado por shark às 11:39 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (14)
Terça-feira, 19.07.11

A POSTA MÚLTIPLA

A probabilidade de acertar na chave do primeiro prémio do euromilhões é de 1 em 76.275.360.

O resto, se quiserem mesmo poupar nesse investimento na ilusão, podem conferir aqui.

publicado por shark às 17:44 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

UM PRIMAVERÃO PUXADO A VENTO

Em mais um belo dia de praia para os padrões do Outono dinamarquês, o mês de Julho continua a exibir um desvio colossal relativamente às expectativas criadas.

Existem rumores (de fontes anónimas, as melhores para o efeito) acerca de um boicote das andorinhas já para o próximo ano, pela reincidência deste logro estival que no ano passado também enviou o Verão propriamente dito para meados de Outubro.

Entretanto, a protecção civil (eu não sou militar) recomenda aos senhores que enfiem os chapéus pelas orelhas abaixo e às senhoras mais optimistas e arrojadas que decidam usar saia neste dia chama-se a atenção para a janela de oportunidade para o uso do melhor underware disponível.

publicado por shark às 12:34 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (16)
Segunda-feira, 18.07.11

É MUITO IMPORTANTE FAZER DIFERENTE

É determinante fazer melhor.

publicado por shark às 12:48 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (7)
Domingo, 17.07.11

INTROSPECÇÃO

introspecção

Foto: Shark

publicado por shark às 09:57 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

O AI JESUS DOS FRANGOS

Depois da aposta veemente num dos mais desastrados (e mais caros) guarda-redes que o futebol português conheceu, o espanhol Roberto, Jorge Jesus insiste na tentativa de conquistar o patrocínio da Casa dos Frangos de Moscavide ou mesmo do Aviário do Freixial.

 

A Imprensa desportiva dá Eduardo como certo no Benfica...

publicado por shark às 09:50 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)
Sexta-feira, 15.07.11

SUPER-PODERES A SÉRIO: A INCORRUPTIBILIDADE ABSOLUTA

O povo é sábio e afirma que todo o homem (ou mulher) tem um preço.

Se tivermos em conta a realidade actual será um preço de saldo ou o fenómeno da corrupção não teria proliferado ao ponto de minar o bom funcionamento de países inteiros.

 

Por outro lado, algures no passado a corrupção era como a pobreza, envergonhada, e ninguém ficava indiferente à respectiva denúncia ou exposição. Isso acontecia porque as pessoas sentiam a corrupção como uma fraqueza ou mesmo uma desonra e tentavam abafá-la dourando a pílula com os factores exógenos ou com as desculpas de circunstância para a falha que não se iria repetir.

Parece ficção, num mundo onde a corrupção é praticada de forma sistemática da base até ao topo das hierarquias e sem critérios de índole social ou outros. Varia o preço que os homens têm e o valor do que se venha a obter de forma que, até ver, dizem indevida.

Mas toda a gente é cúmplice, nos actos ou nas omissões, da generalização desta lei da selva civilizada que distorce a realidade porque desequilibra a igualdade de oportunidades e pode até influenciar de forma definitiva as vidas de quem saia a perder.

Essa é uma das características inevitáveis desse jogo que é a corrupção: não há empate possível.

 

O tal povo que é sábio sabe mesmo do que fala quando refere a existência de uma tabela com o preço de cada pessoa. Apesar do conforto dos maus exemplos que vêm de cima (a saída airosa mais medíocre de entre as várias possíveis) e que conferem alguma paz de espírito aos aparentes macaquinhos de imitação (se os grandes fazem…), a chamada pequena corrupção é meiga na denominação mas só se nos esquecermos que uma formiga isolada é inofensiva mas ninguém se queira ver enterrado até ao pescoço com um bando delas nas proximidades.

O tal preço individual pode ser determinado pela permeabilidade às tentações como pela ganância intrínseca (há quem prefira chamar-lhe ambição desmedida) ou até pela pressão de determinada conjuntura. Mas se lhe chamam preço é porque algo se vendeu e algo se comprou e dizem que a mercadoria nestas transacções é a alma de quem nelas intervém, corruptores e corrompidos, e nem a tolerância excessiva da própria Justiça perante os poucos casos que a enfrentam conseguiu até agora pintar cor de rosa um fenómeno que só alimenta circuitos medonhos.

 

Num mundo onde predomina a gula pelo poder e pelos bens materiais ou outros que este confere é muito difícil, se não impossível, encontrar um ser humano absolutamente incorruptível.

E se algum dia descobrirmos uma pessoa dessas talvez valha a pena nem arriscar a democracia e entregarmos de imediato a esse super-herói as rédeas do maior poder que tivermos à mão.  

publicado por shark às 17:05 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)

SUPER-PODERES A SÉRIO: O DOM DO PERDÃO

O perdão é algo de tão raro e especial que ao longo dos tempos foi sempre conotado como um poder de deuses e de profetas.

Conseguir perdoar é tão complicado para a esmagadora maioria dos seres humanos que na nossa religião predominante reza-se não para obter esse dom mas para que outros sejam beneficiados por essa dádiva valiosa, Deus te perdoe, pois desde cedo aprendemos a lidar com situações que apelam precisamente a essa capacidade. E não tardamos a percebê-la ausente da nossa reacção instintiva.

 

O perdão é confundido com variantes soft da sua essência. Perdoar implica literalmente passar uma esponja sobre memórias e até sobre instintos, é ultrapassar obstáculos internos, mecanismos de defesa inatos que nos conservam viva a sensação sofrida por culpa ou apenas por responsabilidade de alguém.

É generoso, altruísta, quase extraterrestre no conjunto de virtudes que reúne e no regimento de defeitos que consegue derrotar.

Muitas desilusões nascem dessa confusão natural entre o perdão genuíno e as cedências por via de necessidade absoluta, de chantagem emocional ou qualquer outro pretexto para que perdoar se constitua quase uma obrigação.

Mas a coisa não funciona assim.

 

O perdão não deixa rastos à sua passagem, é como se o mau passado fosse apagado pelo vento como meras pegadas num areal. Qualquer resíduo, qualquer resquício de ressentimento, pode transformar-se numa bomba relógio interior e explodir a qualquer momento no rosto de quem ofendeu e mesmo no de quem julgava ter sido capaz de uma proeza tão pouco ao alcance da pessoa comum.

A natureza humana, mesmo com um esforço suplementar por parte de quem opta pelo caminho do Bem (seja lá o que isso for nesta época confusa em matéria de valores), é imprevisível pelas infinitas combinações possíveis entre acções, reacções e características dos respectivos protagonistas. Claro que os mais optimistas dirão que a maioria das pessoas consegue perdoar porque as pessoas serão, supostamente, gente boa na sua maioria. Todavia, confundem perdão com uma simples manifestação de intenções que acaba por se revelar um adiamento, uma trégua temporária, uma paz podre à espera do primeiro desatino para descambar com ainda mais gravidade do que a situação “perdoada”.

 

Cada um de nós vive de forma distinta as peles de vítima (que para poder perdoar veste a toga) ou de réu, tal como não existe uma medida de aferição para a intensidade daquilo que sentimos perante um mesmo cenário e ainda que desempenhando o mesmo papel de outrem. Isso torna aleatório o desfecho de cada situação e, regra geral, esta acaba por ser resolvida da pior forma ou com a panaceia que qualquer segunda oportunidade constitui quando a vontade de perdoar enfrenta o inimigo interno que é a sede de vingança e o externo que é o da reincidência (o golpe de misericórdia tradicional nas melhores intenções).

 

Por tudo isto, saber perdoar equivale a possuir um conjunto de características e uma personalidade tão forte, tão pautada pela bonomia, que poucos seres humanos podem reclamar esse super-poder sem incorrerem numa mentira. Sobretudo a si próprios.

publicado por shark às 16:20 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (5)

A POSTA NA CONFIANÇA TRANSBORDANTE

Uma pessoa percebe o quanto o faz de conta(s) nos aldraba quando é preciso divulgar as conclusões dos testes de stress a dezenas de bancos europeus e decidem marcar a coisa para uma sexta às 17 horas para acontecer apenas depois de encerrarem os mercados.

 

Para evitar estragos maiores.

publicado por shark às 10:20 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Quinta-feira, 14.07.11

A POSTA QUE FAÇO NA MESMA

Pelos vistos a coisa obedece a um padrão qualquer. Quem se afirmou favorável à despenalização do aborto passou a ser a favor da respectiva prática. Quem advoga a eutanásia é um entusiasta do homicídio. E quem rejeita os excessos legislativos no que respeita ao tabaco veste de imediato a pele do adepto fervoroso da prática fumadora.

 

Uma pessoa acredita que o senso comum consegue distinguir a defesa da liberdade de escolha, no caso do aborto, e a apologia da sua prática. Mas isso do senso comum foi chão que deu uvas no tempo em que as consciências pareciam uniformizadas num conjunto de valores que se queriam universais à força mas depressa a liberdade, essa marota, os liberalizou ao ponto de quase se substituírem os valores colectivos pela soma de uma colorida paleta de interpretações individuais.

A verdade dos factos ensina-nos que, sobretudo nas questões ditas fracturantes, a emoção sobrepõe-se à lucidez e por isso a compaixão para com o sofrimento terminal de alguém que me move na defesa do direito individual à escolha do momento do fim será sempre distorcida na perspectiva de quem se sinta insultado por essa heresia como muitos a sentem.

 

Na Islândia, esse país gelado com molho de lava quente, depois de serem banidas coisas tão perniciosas para cérebros congelados como a pornografia, parece que a próxima cruzada nacional incidirá no tabagismo.

Ao que sei os islandeses estão a considerar algo que nem aos fanáticos anti-tabagistas norte-americanos lembrou: condicionar a compra de tabaco à emissão de uma receita médica para o efeito.

Ou seja, e espero ter percebido mal, a pessoa tem que ir ao Centro de Saúde para obter o ámen de um médico para poder comprar um maço de tabaco.

E lá estou eu outra vez na função de advogado do diabo por sentir como uma heresia tentarem impor uma espécie de pedido de licença, de beija-mão, a quem gosta ou depende do consumo de uma substância que a partir desse precedente passa a estar na fronteira da ilegalidade que tresanda ser o objectivo último de quem decide assim.

 

Mais uma vez não estão em causa as melhores intenções de quem gostaria de ver erradicado no futuro o consumo do tabaco. Esse é o ponto de convergência entre mim e os paladinos anti-tabagistas e sou um apoiante fervoroso de todas as iniciativas tendentes a afastar os mais jovens do contacto com algo que os pode matar no futuro (como o uso de um motociclo, mas esse ainda não entrou na lista negra proibicionista).

Porém, o abuso de poder inerente a esta interpretação da pessoa que fuma, a este misto de infantilização com marginalização sistemática por via legislativa, pode provocar uma alteração de mentalidades que na minha visão do mundo não encaixa.

Estes cruzados das causas politicamente correctas nunca saciam a sua ânsia proibicionista e compram guerras à peça para se manterem activos na perseguição de tudo quanto consideram feio, sujo ou mau. E assim vão impondo um modelo de perfeição com base na intensa pressão exercida sobre quem possa dar corpo às suas pretensões.

 

É esta a ameaça que representa para mim o mesmo que o sexo, o tabaco, as drogas leves e qualquer fonte de prazer vulnerável do ponto de vista de uma moral duvidosa nas cabeças pseudo-impolutas de autênticas seitas que se congregam em torno das batalhas por uma sociedade sem vícios públicos e, numa intrusão inadmissível, cada vez mais também os privados.

É esta a minha opinião e defendo-a com todos os argumentos ao meu alcance.

Mas não vou por isso tentar mudar a dos outros à força. A da Lei ou outras.

publicado por shark às 11:11 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (7)
Quarta-feira, 13.07.11

DESCANSEM A VISTA

postas frescas

Foto: Shark

publicado por shark às 16:36 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)

Sim, sou eu...

Mas alguém usa isto?

 

Postas mais frescas

Para cuscar

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

2005:

 J F M A M J J A S O N D

2004:

 J F M A M J J A S O N D

Tags

A verdade inconveniente

Já lá estão?

Berço de Ouro

BERÇO DE OURO

blogs SAPO