Segunda-feira, 30.11.09

SUAVE RESIGNAR

Já nem me esforço por entender os outros.

Basta-me aceitá-los tal e qual.

publicado por shark às 20:20 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

CAMINHOS

alinhadas com a cidade

Foto: Shark

publicado por shark às 17:33 | linque da posta | sou todo ouvidos

BRANDOS COSTUMES

Ao que sei, e se calhar nem quero saber mais, uma criatura espancou a mulher até esta precisar de uma ambulância. Depois entrou na ambulância e disparou sobre a infeliz aos olhos da filha de ambos com cinco anos de idade. E depois ainda teve a presença de espírito para aproveitar o desmazelo da força policial que o revistou sem as devidas cautelas e, com uma segunda arma dos crimes, matar um soldado da GNR.

 

Tendo em conta o esquema normal das coisas neste país de Justiça com mão leve, daqui a pouco mais de uma década a criatura poderá cruzar-se com o caminho de qualquer um de nós.

publicado por shark às 00:03 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (11)
Sexta-feira, 27.11.09

SOBRE RODAS

condutor cool

Foto: Shark 

publicado por shark às 14:11 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

A PAZ PODRE

Como explicarão a si próprios os responsáveis pela atribuição do Nobel da Paz a Obama o facto de a sua administração ser uma das que se recusaram a assinar o tratado que visa abolir o uso de minas terrestres, a par com a Rússia e a China?

 

Bom, só se considerarmos pacífica a explosão de pessoas que andem a passear onde não deviam...

publicado por shark às 10:56 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)
Quinta-feira, 26.11.09

PELO SIM, PELO NÃO, FALO DE PILA

Reparei, durante a minha vista de olhos pelas últimas postas publicadas, que voltei a entrar num daqueles períodos em que me disperso por temas de caca, coisas sem interesse algum para a maioria dos visitantes de blogues sem rumo temático como o Charquinho.
E por isso resolvi hoje retomar os temas verdadeiramente importantes para a esmagadora maioria de nós, as coisas que mexem com o dia a dia das pessoas. Sim, vou falar de pila e das questões que lhe estão associadas (sim, eu sei quais são as questões que lhe estão associadas mas não gosto da palavra testículos).

 

Começo por esclarecer que o meu interesse na matéria não incide na óptica do utilizador. Ou melhor, de usufrutuário de outras pilas que não a minha. Isto só para separar as águas para melhor entendimento do sentido das minhas palavras, para facilitar a leitura e assim.
Esse interesse a que faço alusão prende-se com o arquétipo da pila perfeita que conseguimos esboçar a partir de uma análise atenta dos desabafos, elogios, críticas e até louvores que proliferam por essa net e pelas mesas de café do lado por esse país fora.
É fascinante a diversidade de opiniões acerca desse tema, embora seja igualmente óbvia a relativa ausência de controvérsia no que concerne ao padrão da melhor pila para cumprir outra função que não a de fazer chichi.

 

Das conclusões fáceis de retirar mesmo a partir de uma observação (ou de uma audição indiscreta como quem não quer a coisa) inclui-se a de que o mito masculino do tamanho, esse incontornável critério de avaliação, não é documento. É consensual entre os/as apreciadores/as do membro em apreço que os extremos não atraem, sendo que demasiado pequeno sabe a pouco e demasiado grande é ter mais olhos que barriga (chamemos-lhe assim). Ainda assim, excepção feita a quem por esta ou aquela razão possui apetência pelo exagero, é clara a opção pelo nem bem nem mal passados e dentro deste segmento existe uma inclinação pela classe média/alta em detrimento das pilas remediadas ou assim-assim. Aquela do pequenino mas trabalhador não cola...
Quer isto dizer que o tamanho, não sendo documento, possui alguma relevância enquanto factor de distinção embora não constitua factor eliminatório.

 

A inclinação para o segmento mais abastado não possui referências frequentes à inclinação propriamente dita. Ou seja, tanto faz a tendência ideológica de esquerda ou de direita embora o ícone mais popular aponte de caras para o centro.
De resto, a política não parece interferir tanto nos critérios de definição da pila ideal como o respectivo estatuto sócio-económico como o defino no parágrafo anterior.
No entanto, é inevitável regressar à sensível questão das dimensões para abordar o diâmetro enquanto argumento. E nesse aspecto há que salientar uma preferência maioritária (com excepções à regra em função do destino a explorar) pela largueza. Curta ainda vá, mas diametralmente generosa para compensar.

 

Fui surpreendido, talvez pela combinação de cromossomas que me influencia o raciocínio, pela escassez de alusões às tais questões acessórias ou associadas.
De facto, a uma pila perfeita não parece estar necessariamente ligado um conjunto específico (ou especificado) de acessórios de origem. É a regra do tanto faz, tamanha a irrelevância do(s) pormenor(es). Desde que lá estejam e cumpram cabalmente a sua função até podem ser quadrados que ninguém parece reparar por aí além.

 

Finalmente, e para não tornar demasiado extensa esta desinteressada análise ao tema, resta-me citar os únicos aspectos onde a unanimidade é um dado adquirido: pila perfeita, qualquer que seja o segmento em que encaixe, tem que ser sólida (nas convicções, presumo eu), capaz de enfrentar desafios prolongados tanto na óptica da velocidade como da resistência sem vergar ao peso da responsabilidade ou outro.

 

E acima de tudo, de acordo com os elementos obtidos (que eu disso não percebo nada), a pila perfeita tem que reflectir no desempenho aquilo que se espera por parte do resto que traga agarrado.

publicado por shark às 18:03 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)

BLACK & WHITE

um plano que planas

Foto: Shark 

publicado por shark às 00:42 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (5)

SURREALISTA

A dimensão do golpe no BPN equivale ao dobro do custo do TGV que tanto paleio político suscita.

E entretanto as televisões portuguesas esbanjam tempo de antena para divulgarem o milagre da salvação do perú na Casa Branca...

publicado por shark às 00:37 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (11)
Quarta-feira, 25.11.09

PUNHOS DE RENDA

Os senhorios, essa classe superior, entenderam criar uma lista de inquilinos maus pagadores para poderem divulgar os nomes das pessoas que não honram os seus compromissos e não assumem as suas responsabilidades.

Ora, vêm mesmo em boa altura armar-se ao pingarelho.

 

Calha eu vestir os dois papéis. Sou senhorio e também sou inquilino. E isso confere-me toda a legitimidade para emitir uma opinião a propósito desta posição arrogante por parte dos proprietários.

Chamo-lhe arrogante por vários motivos, mas bastaria o meu exemplo pessoal enquanto inquilino para poder afirmar que a existir tal lista negra estará criado o precedente para ser constituída uma outra: a dos senhorios que se acreditam no direito de cobrar rendas mas não aceitam os deveres em contrapartida.

O meu senhorio, um médico que herdou da mãe esse papel, deixou que cortassem a electricidade do edifício por falta de pagamento. Tal como não procedeu às reparações indispensáveis que lhe foram comunicadas em devido tempo.

É um excelente candidato para uma lista negra de senhorios desleixados. E talvez as Finanças devessem passar uma vista de olhos nessa lista...

 

Por outro lado, o pára-brisas do meu carro foi partido por um pedaço de um edifício de outro senhorio e este recusa-se a assumir a responsabilidade que a propriedade acarreta.

Só querem comer e depois, por em tempo de crise se multiplicarem os casos de incumprimento, já pensam em listas negras para enxovalharem os devedores quando podiam canalizar essa energia para a pressão no sentido de serem criados mecanismos judiciais (tribunais de primeira instância, por exemplo) e legislação adequada para proteger os seus interesses.

Claro que a mesma eficácia não lhes daria jeito em situações como as que descrevo e que me afectam directamente, não é de ouvir dizer.

 

E se na pele do inquilino acho que os senhorios têm uma grande lata, na deles nunca me passaria pela cabeça uma ideia tão peregrina.

Para qualquer dos lados em disputa.

publicado por shark às 09:36 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)
Terça-feira, 24.11.09

MAIS UMA MENINA NA CRECHE VIRTUAL

Entrou hoje esta menina para o Berço de Ouro.

publicado por shark às 23:27 | linque da posta | sou todo ouvidos

O MEU RIO CHAMA-SE TEJO

interminável

Foto: Shark 

Tags:
publicado por shark às 16:03 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

TAPAR A CABEÇA E DESTAPAR OS PÉS

Aproxima-se o momento das grandes decisões e as recentes declarações de Vitor Constâncio acerca da necessidade de aumento de impostos para conter o défice prenunciam o primeiro teste sério à solidez do actual Governo minoritário, nomeadamente na componente parlamentar.

 

Não é uma posição fácil, a de quem deve optar entre o impopular aumento de impostos em época de crise e a contenção da despesa por via do bloqueio aos aumentos salariais dos funcionários públicos (uma expressiva fatia do eleitorado e um potencial pesadelo em termos de agitação social).

A primeira reacção dos partidos deixa antever divisões claras, embora o aumento dos impostos não pareça solução que alguém queira arriscar como cavalo de batalha.

Nesse caso, a contenção da despesa pública terá que passar obrigatoriamente pelo reforço da máquina do Estado em termos de combate à evasão fiscal (a preferência do Bloco, por exemplo) e pelo sempre polémico congelamento dos aumentos salariais (que o PCP nunca admitirá como opção, por exemplo também).

 

A gaita no meio disto tudo é que o nim, a solução de compromisso que possa viabilizar um acordo que não dê cabo da estabilidade governativa, implicará o agravamento inexorável do estado (já deplorável) da nossa Economia.

 

E neste dilema, como noutros, e respectivas escolhas pode mesmo jogar-se a viabilidade económica do país no seu todo num futuro muito próximo e o afundamento definitivo numa cauda da Europa que com a entrada dos países de leste na corrida se torna cada vez mais comprida e distante da cabeça da (mais que certa) futura federação europeia.

publicado por shark às 11:19 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (7)

LÓGICA MUSCULADA

Quando o confrontaram com o facto de disputar uma amada com um verdadeiro adónis com anos de ginásio e nem um minuto de biblioteca encolheu os ombros e respondeu com serenidade:

- Não me parece que ele seja um concorrente. É que a mim bastariam poucos anos de preparação física para ficar como ele nessa dimensão e não esqueceria o que entretanto aprendi, mas o gajo teria que investir muitos mais no cérebro para se equiparar a mim. E no final desses anos sem trabalhar o corpo ficaria como eu estou agora...

publicado por shark às 10:29 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (9)
Segunda-feira, 23.11.09

TRICICLETA

tricicleta 

Foto: Shark

publicado por shark às 17:29 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

SIM. E DEPOIS?

Há fases da vida tão complicadas que só mesmo na comparação com os dramas dos outros, as suas tragédias, conseguimos relativizar a as manifestações do azar que se sucedem em ondas desanimadoras.


São aqueles períodos em que ir à bruxa soa uma opção razoável, quando tudo se estraga ou avaria, a saúde prega partidas e os dias parecem nascidos de propósito para nos arrasar.

Estou no meio de um tempo assim, surrealista. A Lei de Murphy parece talhada para me aplicar sentenças e há semanas, meses talvez, cada dia fornece-me uma angústia para enfrentar. Não é um choradinho, antes fosse. Se querem exemplos concretos cito, só do menu deste dia, um esquentador avariado logo para começar (a água já está fria comó...) e um pára-brisas partido à pedrada sem ter a quem reclamar a ocorrência.


Coisas pequenas, bem sei, mas ontem aconteceram outras. E nos dias anteriores também.
Não ganho para suportar as consequências do azar que me persegue desta forma.

Ainda por cima, a malapata não se aplica apenas aos bens materiais. Coincidências maradas e inoportunas, pequenas distracções ou descuidos, tudo se transforma em mais um problema foleiro para resolver.

 

Tudo de mau a acontecer e poucas alegrias para equilibrarem a balança. É o retrato fiel desta fase da minha vida em que muitas vezes só me apetece fugir nem sei bem do quê. E para onde também não.
Talvez pirar-me para o Butão, é longe quanto baste e ninguém procura seja quem for numa terra daquelas...

Mas o requinte destes azares em torrente também passa por baterem à porta de quem não se assume desistente ou desertor. Ou seja, tenho mesmo que enfrentar estes pequenos dramas do quotidiano que me enfraquecem a resistência e não me dão tempo sequer para respirar.

 

Sou como um marujo a evitar com baldes a água que ameaça naufragar a embarcação, o leme abandonado aos caprichos da maré e pouca ou nenhuma fé no milagre da salvação.
É um exagero na proporção daquilo que vos descrevo e posso garantir que não se trata de um desabafo sem razão.

 

É uma forma delicada, a única que consigo agarrar, de não desatar aos berros na varanda o chorrilho de palavrões que me ocorre neste preciso instante.

Tags:
publicado por shark às 16:39 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (12)

MILAGRES DE JESUS - A TAÇA DE PORTUGAL JÁ ARDEU...

Pois, o Outro também ressuscitava os mortos e acabou como se viu...

publicado por shark às 09:59 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (11)

MONDAY SPIRIT

O dia acordou cheio de sol e com um lindo céu azul.

E depois caiu o nevoeiro e a semana de trabalho começou.

publicado por shark às 09:57 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)
Domingo, 22.11.09

GOSTOS NÃO SE DISCUTEM

Mas dá que pensar, ter este site prestes a fechar por falta de visitas quando este blogue (por exemplo) está no top ten nacional...

 

(Obrigado, Susete, pela dica)

publicado por shark às 14:31 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Sábado, 21.11.09

OUTRO OCASO

alentejo ocasional

Foto: Shark 

Tags:
publicado por shark às 22:27 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)

JORGE FERREIRA - UM DOS NOSSOS

O nosso colega blogueiro Jorge Ferreira, do Tomar Partido, cedeu esta manhã à doença que o atormentava.

Postou pela última vez na passada quinta-feira.


Vamos sentir-lhe a falta.

 

Tags:
publicado por shark às 22:19 | linque da posta | sou todo ouvidos

CAUSA E EFEITO

É estranha a sensação, mas de facto existe uma relação inversamente proporcional entre o nosso empenho e a reacção (qualquer que seja) das outras pessoas.

Ou seja, ficamos muitas vezes com a impressão que quanto mais damos menos motivados os outros se sentem para retribuir.

Claro que não está em causa algum imperativo moral que obrigue seja quem for a dar em troca, mas fica sempre no ar a ideia de que esta (falta de) correspondência pode ter um efeito pernicioso na motivação seja de quem for.

 

O problema está na percepção com que se fica perante o abrandamento progressivo do interesse dos outros em função da nossa maior capacidade de iniciativa, algo que em última análise influencia a vontade de fazer.

Por outro lado, e quando a essa diminuição dos gestos e sinais positivos por parte de quem os recebe em excesso correspondem outras manifestações de desinteresse crescente, é quase impossível que alguém insista nos exageros que tendem, pelos factos comprovados, a afastar os outros de si.

 

Cada vez acumulo mais conhecimento acerca do meu semelhante e isso equivale a saber cada vez menos daquilo que o move.

publicado por shark às 14:44 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)
Sexta-feira, 20.11.09

SEMPRE AQUI

Há um relógio antigo naquela parede, parado. Há um tempo que já não corre, passado.

Um tempo que adormeceu mas eu fiquei acordado, a vê-lo passar, esse tempo que acabou por se esgotar para alguém que o media pela posição daqueles ponteiros num espaço circular como o tempo que parece nunca acabar quando o medimos assim.

 

Há um retrato envelhecido naquela prateleira, imóvel. Há um sorriso que já não rasga um rosto, inesquecível. Um sorriso que perdura cristalizado e eu fiquei encantado, a vê-lo reflectir uma alegria tão pura que parece imortal, o espírito de alguém que afinal nunca está ausente pois decidiu, aquele anjo, estar sempre presente neste seu tempo sem fim.

Tags:
publicado por shark às 22:33 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

DEMOROU, ROSA, MAS JÁ LÁ ESTOU

indiferente Foto: Shark

 

Agora também estou no Olhares.

publicado por shark às 14:56 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (19)

CUSPO-VOS NO ROSTO VIRTUAL, MEDÍOCRES PLAGIADORES

O meu nojo pelos medíocres é imenso. E dentro dessa corja de gentinha incluo com toda a pertinência os vermes que tentam brilhar à custa dos outros e do que são capazes.

 

AQUI e AQUI, uma reles criaturinha apropriou-se indevidamente de trabalhos que não fez e que jamais seria capaz de fazer ou não os teria publicado como seus: faria igual ou melhor.

Cuspo no rosto virtual desse verme e denuncio aqui publicamente o seu gesto nojento.

 

O resto logo se vê.

publicado por shark às 11:36 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (17)

DOIS MUNDOS

Cinco pessoas foram condenadas à morte no Irão, pelo seu papel nas recentes manifestações anti-regime.

Se já soa abjecta a prisão de seres humanos por delitos de opinião ou por quererem exercer o seu direito à liberdade de expressão, a aplicação de penas capitais com base nesses pretextos constitui por si só uma base mais do que suficiente para instigar uma repulsa imediata contra os líderes iranianos (ou de qualquer outro país e/ou religião) que ultrapassa largamente a bonomia da tolerância para com diferentes formas de entender a vida que o mundo alberga.

 

Mas a gaita é que nesta reacção hostil instintiva reside um paradoxo quanto à origem da respectiva manifestação.

publicado por shark às 10:51 | linque da posta | sou todo ouvidos

Sim, sou eu...

Mas alguém usa isto?

 

Postas mais frescas

Para cuscar

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

2005:

 J F M A M J J A S O N D

2004:

 J F M A M J J A S O N D

Tags

A verdade inconveniente

Já lá estão?

Berço de Ouro

BERÇO DE OURO

blogs SAPO