Terça-feira, 11.08.09

ATÉ AO FIM

Eu sempre acreditei no valor da argumentação. Entendo-a como um sinal de atenção mas também de inteligência, como um valor acrescentado a qualquer diálogo digno desse nome.

Admiro as pessoas capazes de argumentarem com determinação, com a plena convicção daquilo em que acreditam e com a capacidade necessária para sustentar um raciocínio ou uma afirmação. Tento até imitá-las, essas pessoas que me surpreendem pela positiva quando conseguem fazer valer um ponto de vista sem cegarem com a teimosia, o orgulho ou outro empecilho à troca de impressões.

 

Uma conversa decente requer igualmente a paciência para ouvir, para só depois retorquir com a lógica pura que permite distinguir a razão quando esta existir numa confrontação de ideias ou apenas numa análise a factos entendidos sob diferentes perspectivas e percepções.

 

Eu gosto de conversar. Tanto quanto detesto desistências.

publicado por shark às 21:38 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)

FASES DE CONTA

Existem fases ao longo das quais é quase impossível respondermos pelas nossas reacções instintivas, fases marcadas por um conjunto de pressões que podem de facto desequilibrar uma pessoa e conduzi-la a gestos menos elegantes ou cordiais.

 

É nesses períodos que ficamos a saber com quem contamos afinal.

publicado por shark às 21:33 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

EU GOSTO DE PESSOAS

islão bicolor

Foto: Shark 

publicado por shark às 10:15 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)
Segunda-feira, 10.08.09

MUSEU DO OURO, JUSTIÇA DA LATA

É que precisam de mais lata do que um ferro-velho para poderem deixar à solta gajos capazes da proeza que o filme das câmaras de segurança documenta.

 

Juiz não é sinónimo de pessoa sem juizo, poinão?

publicado por shark às 21:32 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (1)

DANOS COLATERAIS

Na periferia de cada emoção há sempre umas quantas associadas. Ainda que devidamente silenciadas, acabam sempre por influenciar de forma determinante a emoção principal que as suscita.

E nem sempre são boas companhias.

Tags:
publicado por shark às 14:27 | linque da posta | sou todo ouvidos

UM GRANDE DES(A)GOSTO, BULIR NESTA ALTURA...

Iniciar uma semana de trabalho em Agosto tem sempre o seu quê de desorientador da pessoa, pois um gajo vai dando pela falta de muita gente em férias e fica sempre a sensação de que este é um mês mesmo vocacionado para o dolce fare niente...

 

Mas como não há nada a fazer, resta-me desejar a todas/os quantas/os partilhem comigo este estranho desconforto uma semana baril.

Tags:
publicado por shark às 10:42 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (20)
Sexta-feira, 07.08.09

EU GOSTO DE PESSOAS

caminhante Foto: Shark

publicado por shark às 21:11 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (11)
Quinta-feira, 06.08.09

PACIÊNCIA, DOMINGOS...

Para quem não liga ao futebol, o nome de Domingos Paciência nada diz. Contudo, do actual treinador do Sporting de Braga sabemos ser um fulano arrogante ao ponto de ignorar os mais elementares preceitos de cortesia e de solidariedade de classe.

A história resume-se ao seguinte: o rapaz Domingos (antigo goleador do FCP) assumiu o comando técnico da equipa bracarense onde substituiu Jorge Jesus (actual treinador do meu Glorioso) e de imediato desdenhou o trabalho do seu antecessor, mostrando-se surpreendido por não ter conseguido ir mais longe com tal plantel.

 

Esse plantel, practicamente o mesmo da época anterior, acaba de ser afastado das competições europeias de futebol com duas derrotas sem apelo diante de um clube sueco de segundo plano.

 

E não sendo para mim agradável a eliminação de qualquer equipa portuguesa nestas lides, constitui natural compensação o facto de ver o rapaz Domingos a trincar a língua no seu próprio veneno e a desenhar, ainda antes do início do campeonato, a guia de marcha para o desemprego que o seu feitiozinho de treta merece validar.

publicado por shark às 21:00 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Quarta-feira, 05.08.09

A POSTA NA MISSÃO IMPOSSÍVEL

Um dos maiores pecados que podemos cometer em matéria de relações humanas é exigir demasiado das outras pessoas. As expectativas exageradas ou as ambições desmedidas acabam sempre por redundar num enorme trambolhão.

E essa queda inevitável acaba sempre por causar mazelas, implicando por vezes o colapso das frágeis bases que sustentam boa parte (senão a maioria) das ligações e assumindo contornos ainda mais dolorosos e complicados quando o alvo dessa fasquia demasiado alta, o "outro" da situação, somos nós próprios.

 

Se a perfeição é uma utopia, qualquer anseio nesse sentido é pura estupidez. Não somos talhados para esse tipo de objectivo, vulneráveis que somos à impressão que os outros têm de nós e acima de tudo ao efeito pernicioso dos nossos medos, dos nossos defeitos e mesmo dos nossos erros de avaliação subjectiva. Sucumbimos que nem tordos ao desvanecer das miragens que perseguimos em vão, desiludidos com a confirmação do impossível na sua verdade cruel.

A realidade desmente a todo o instante qualquer tipo de ilusão criada em torno de arquétipos de ser humano capazes de jamais fraquejarem na correspondência a um qualquer modelo que nos imponhamos ou nos imponham de forma tão ingénua quanto cruel.

 

Somos apenas gente, uma complexa amálgama de influências cujas repercussões nos actos e nas palavras ainda hoje carece em muitos aspectos de uma explicação definitiva e cabal. Somos imprevisíveis, no melhor como no pior, incapazes de garantir a todo o instante que não acontecem desvios ao padrão de conduta e à escala de valores que desenhamos como forma de orientação.

Somos assim, frágeis na condição e incapazes de aceitar com humildade que o nosso melhor não se produz por decreto mas apenas por sorte (ou similar) de passarmos pela existência sem mácula de maior, sob a constante pressão de quem nos rodeia e que assimilamos como um aditamento à que nos impomos quando nos acreditamos capazes de nunca falhar.

Arrogantes, apontamos o dedo aos que tombam na lama da incongruência, da incoerência, de um fracasso qualquer e hipotecamos nessa instância, maus exemplos, da complacência futura quando chega a nossa vez de fraquejar.

 

Perseguimos sem cessar a virtude impossível, exigimo-la aos outros como a exigem de nós, num tormento constante que limita as hipóteses reais de sermos felizes como só podem ser os poucos que assumem uma postura realista e se aceitam (e aos outros) como um produto de tantos factores e circunstâncias, por vezes meras coincidências, que nos moldam a cada dia em função da própria dinâmica da vida como a conseguimos viver.

 

E nessa conjugação aleatória que nos faz e nos distingue (até na igualdade de oportunidades e de escolhas) não existe nem existirá um mecanismo que nos proteja, que nos ampare na queda como a sentimos quando finalmente entendemos que a perfeição, esse conceito aparentemente tão desejável, foi concebido no mesmo inferno onde se amontoam as boas intenções. 

publicado por shark às 05:34 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (9)
Segunda-feira, 03.08.09

PESCA BRAVA

pesca brava Foto: Shark

Tags:
publicado por shark às 23:01 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (11)

CHAMA-SE ISALTINO

E por isso não há santinho que lhe valha...

publicado por shark às 19:04 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)

Sim, sou eu...

Mas alguém usa isto?

 

Postas mais frescas

Para cuscar

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

2005:

 J F M A M J J A S O N D

2004:

 J F M A M J J A S O N D

Tags

A verdade inconveniente

Já lá estão?

Berço de Ouro

BERÇO DE OURO

blogs SAPO