Quinta-feira, 20.08.09

OS GRANDES AMIGOS DO ALHEIO

E eu tinha lá na repartição sicrano, um grande amigo, e de vez em quando até iamos almoçar com fulano, outro grande amigo que eu tenho, e as coisas resolviam-se assim.

Depois eu pergunto-lhe se ainda mantém contacto com esses grandes amigos que no passado foram seus cúmplices nos esquemas paralelos de influências que se instalam nos feudos criados por todo o lado, "nesse tempo" que é qualquer tempo num país permanentemente a saque.
E percebo que não, os tais grandes amigos são apenas referências e todos são grandes amigos quando alinham ou pelo menos calam o conhecimento dos favores que constituem tradição de cima a baixo e enriquecem alguns particulares enquanto empobrecem esta realidade chamada Portugal.
 
E não consigo respeitar o ancião em causa, nem aturar-lhe o discurso nacionalista, racista e xenófobo com que aponta o dedo às culpas e aos culpados a que se sente alheio porque desviou (roubou) mas não foi apanhado porque entre grandes amigos não é pecado desde que toda a gente saia a ganhar qualquer coisita.
 
E tenho pena do meu país. 
Tags:
publicado por shark às 11:08 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

A PROPÓSITO DO DIA MUNDIAL DA FOTO (QUE FOI ONTEM)

Recordo os/as mais distraídos/as que podem ver a maior parte das minhas AQUI.

publicado por shark às 01:54 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

VIDA FÁCIL PARA OS MAUS

Abstenho-me, por pudor, de espalhar aqui os palavrões que me acodem à ideia quanto à indignidade do crime em si. Uma garota violada no próprio edifício onde mora é algo que me suscita uma repugnância e um desconforto que só conseguiria traduzir com o que de mais baixo enriquece o meu vernáculo.

Concentro-me por isso noutro nojo, o que me inspira um Estado capaz de deixar os seus cidadãos vítimas de crimes à mercê de situações como a jovem em causa viveu. Para além da experiência que certamente jamais esquecerá e muito tempo levará só para expurgar o medo como reacção instintiva ao sair de casa, o Estado (e aqui não me venham com partidos e com governos a ou bê) obrigou uma jovem violada a esperar 12 horas num hospital sem tomar banho e sem poder ingerir outra coisa que não água por uma palhinha, à espera de uma perícia que permita apanhar o bandalho (e que é mais eficaz quanto mais rápida).

Doze horas!

 

Se a repulsa que sinto pelo animal que a violou é visceral e me revolta, a vergonha que o meu país me provoca com estas evidências de laxismo (o problema está no pessoal a menos mas também na escala de férias) é imensa.

Como pode uma Nação decente submeter os seus a provações assim?

publicado por shark às 00:10 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (7)
Quarta-feira, 19.08.09

HÁ UM NOVO MENINO EM BERÇO DE OURO

Sim, para variar é um rapaz e está com um ar muito saudável, na nossa creche virtual.

publicado por shark às 17:13 | linque da posta | sou todo ouvidos

CEM MIL

É um número redondo.

Foi hoje, com uma grande ajuda desta malta cinco estrelas, e tenho a sorte de saber quem foi essa visita 100.000 e de saber que se trata de gente da casa que gosta de mim e do que faço aqui.

E sou muito vaidoso com estas pintelhices estatísticas dos blogues e por isso achei-me (e ao blogue) importantes o bastante para comemorar com uma posta a entrada nos seis dígitos que me confirma que não tenho andado aqui a bulir propriamente pró boneco.

 

Por outro lado, num quotidiano marcado por chatices e por aflições, um gajo tende a sobrevalorizar estas alegrias piquenas.

 

O meu blogue sou eu. Estamos muito contentinhos os dois.

publicado por shark às 14:14 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

DIA MUNDIAL DA FOTOGRAFIA (3)

pessoa diferente

Foto: Shark 

publicado por shark às 12:12 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)

DIA MUNDIAL DA FOTOGRAFIA (2)

perfil estival Foto: Shark

publicado por shark às 10:43 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)

DIA MUNDIAL DA FOTOGRAFIA

flor bicolor Foto: Shark

publicado por shark às 10:41 | linque da posta | sou todo ouvidos

E DEPOIS DA CRISE?

Vai mudar o quê?

publicado por shark às 01:07 | linque da posta | sou todo ouvidos
Terça-feira, 18.08.09

DISPARATES DE VERÃO

Desta vez o PM Sócrates tem mesmo razão.

publicado por shark às 21:59 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)

LUAR DOURO

luar douro Foto: Shark

publicado por shark às 18:33 | linque da posta | sou todo ouvidos

GANGBANG - O REGRESSO AO COLECTIVISMO MAIS RADICAL

Seguindo a tradição deste charco em matéria de novidades acerca de sexo, e embora seja óbvio que muitas dessas novidades não o são para quem como eu acompanha o assunto muito de perto, hoje entendi falar de mais uma expressão nova que encontrei nas minhas deambulações em busca de receitas de culinária (sim, uma pessoa depara-se com as coisas mais bizarras quando googla expressões como comer, chupar e outras associadas à gastronomia e assim). Essa (para mim, que de política não percebo nada) nova expressão que quero partilhar convosco é esta: gangbang.

 

Como o próprio termo indica, trata-se de um fenómeno colectivo. Mais concretamente de uma reunião de cavalheiros, notei que abaixo de quatro a coisa não tem o mesmo estatuto, com uma donzela para fins recreativos. No caso concreto, a paródia incide na desbunda da moça por parte do tal gang que lhe dá um bang.

Ou seja, é um momento muito trabalhoso para a visada. A ideia é a protagonista do gangbang disponibilizar todos os seus recursos para a rapaziada se ir entretendo de acordo com as vagas em aberto. E pelos exemplos práticos que analisei com absoluta isenção e rigor (quase) científico, só mesmo para poder escrever esta posta e tal, a coisa é muito bem coordenada e ninguém se atrapalha.

Claro que a rapariga tem que estar em excelente forma física, pois cada um dos senhores com quota naquela autêntica cooperativa tende a dar o seu melhor para se superiorizar de alguma forma aos restantes, a competição entre machos que dizem sempre acontecer nestes fenómenos de grupo e que acaba por beneficiar o desempenho de cada um ao ponto de poder tornar-se extenuante quando são mais de quatro atletas a exibirem os seus argumentos. Teoricamente, porque apenas posso deduzir com base nas reacções das moças que pude observar nessa tarefa, isso até serve os interesses de quem não se deve meter naquilo se não gostar mesmo muito de actividades lúdicas com base no espírito de equipa.

 

Impressiona-me neste fenómeno do gangbang a forma como os adeptos da coisa (os adeptos com pila, no caso concreto) se entendem de forma espontânea na definição dos turnos, para além da sua capacidade de conviverem na boa com a profusão de fluidos que uma actividade deste género sempre acaba por gerar. De forma ordeira, lá vão rodando entre si e tudo acontece dentro da maior fraternidade, algo sempre bonito de ver, sem atropelos nem disputas.

 

Na prática do gangbang podem, no entanto, assumir-se diversas tácticas e posso adiantar que as mais populares consistem no 1x1x1x1x1 (mais rara, cada um vai-se servindo em doses individuais e cede depois a travessa de iguarias ao comensal seguinte até toda a gente se sentir plenamente satisfeita), no 3x2 ou versão grelhados brasileiros (o extremo oposto, no qual todos os recursos disponíveis são utilizados em simultâneo, muitas vezes na óptica do rodízio), ou ainda na versão logo se vê, sem disciplina táctica que não a da (dis)posição do momento.

 

Muito mais haveria para dizer (e para fazer) neste tema fascinante, mas quero acreditar que qualquer de vós já consegue ter uma noção bastante aproximada do conceito em causa e por isso me despeço, à Sousa Veloso, até um próximo programa.

publicado por shark às 13:56 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)

SUJEITO A QUÊ?

a pé circula tu Foto: Shark

publicado por shark às 12:05 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)
Segunda-feira, 17.08.09

BASTAM UNS MINUTOS DE TELEVISÃO PARA CONTAR UMA HISTÓRIA

Nenhum deles tinha algo a ver com os dois lados em disputa. As famílias de ambos sofreram horrores às mãos de uma das partes, cada um a sua.

Acabaram alistados na facção oposta, extremamente eficazes na matança.

 

Chegaram a andar à procura um do outro para se matarem, às ordens dos seus líderes oportunistas.

Agora são grandes amigos. E ambos perceberam que foram intrujados, pelo destino também.

publicado por shark às 22:52 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Domingo, 16.08.09

HORA DE PONTA

hora de ponta

Foto: Shark 

publicado por shark às 13:09 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)
Sábado, 15.08.09

BLOGARICES DE FIM-DE-SEMANA

Ouço e leio com frequência, mesmo da parte de quem bloga, uma frase que de tão repetida já merece o estatuto de cliché: nos blogues as pessoas transmitem de si a imagem que quiserem e essa nunca corresponde à real.

Deu-me para matutar, um exercício perigoso para mentes fracas e por isso raro em mim, acerca da verdade contida nessas palavras que rotulam a nossa maneira de estar neste ambiente virtual. Até porque me faz alguma confusão a ideia de poder encaixar-me nessa definição tão pouco simpática do que fazemos e mesmo do que somos quando fala o nick em vez da pessoa, logo eu que me pinto tão sincero e frontal.

 

Bom, eu acho que ninguém terá o arrojo de se afirmar absolutamente sincero, seja a respeito de si próprio seja relativamente aos outros. Se assim fosse seria o caos, pelo menos até a malta se habituar a levar nas trombas com algumas verdades duras que todos acabamos por justificar.

Ou seja, sempre que alguém alegadamente se desnuda por completo acaba por deixar ficar as cuecas vestidas. Seja pelo pudor, pelo receio das repercussões, pelo afecto a quem possa ser afectado/a pelo que se diz, seja pela cobardia de nos assumirmos tal e qual (os outros podem transformar-se em hienas quando nos conhecem as debilidades dos calcanhares), seja pela simples vontade de vestirmos uma pele mais confortável do que aquela que trajamos às claras.

A sinceridade total é uma utopia e pode sair cara a quem a arrisque. Cair do pedestal é inevitável e hostilizar os mais próximos com menor poder de encaixe é garantido.

 

Por isso até acredito que prolifera muita tanga pela blogosfera e tenho mesmo alguns exemplos concretos de como por detrás das falinhas mansas pode estar um enorme coirão, ou como muita farronca por escrito apenas oculta a falta de substrato real.

Ainda assim, soa-me injusta a falsa noção de que tudo isto é fado e andamos sistematicamente a contar histórias sem fundo de verdade. Não é bem assim e qualquer pessoa que acompanhe o blogue de alguém que conheça de perto acaba por encontrar muito do que define esse/a autor/a nas entrelinhas do que posta.

É o caso do vosso amigo tubarão, que necessariamente reprime algumas verdades e algumas realidades incómodas para si e para os outros mas de vez em quando até baixa um nadinha dos boxers e mostra o cu ou ainda mais.

Sim, também é um facto que dizemos neste meio muita coisa que não diríamos cara a cara por qualquer das razões que aponto mais acima.

 

Isto leva-me a concluir que se existe um fundo de verdade no tal rótulo de tretas, não pode ser descartado o facto de um blogue dizer muito de quem o constrói.

E só não vê isso quem, mesmo blogando, se refugia invariavelmente na mentira e na omissão e não se permite acreditar que existe quem não seja assim.

Ou quem está fora e não arrisca a hipótese de os outros de vez em quando também terem lenha sua para rachar.

publicado por shark às 22:13 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (11)
Sexta-feira, 14.08.09

EU GOSTO DE PESSOAS

homem bala Foto: Shark

publicado por shark às 10:13 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (12)
Quinta-feira, 13.08.09

BITAITES DE LUXO

Acerca do assunto eu poderia, como qualquer gajo que bloga, estender aqui o lençol que a veterania nestas andanças me possibilita. Montes de palavras e de teorias rebuscadas de quem pensa as coisas de forma escandalosamente subjectiva (é para isso que a malta bloga, não é?), com o valor de um palpite no Euromilhões em matéria de hipóteses de acerto.

Ou seja, emitiria a minha opinião. E essa vale o que vale.

 

Há uns anos atrás adorava ler posts dos outros. Era tudo magnífico, era tudo verídico, era tudo talento a explodir por todo o lado e descobriam-se amadores mais dotados do que os profissionais da coisa. Foi um grande cagaço para a Imprensa e até se verificaram alguns gestos e reacções hostis ou no mínimo claramente motivadas para o descrédito deste fenómeno que construímos, blogueiros e comentadores, como uma livre expressão das nossas ideias e de tudo aquilo que acreditamos ser digno de ir a público.

Agora já gosto menos. São raros os momentos de verdadeira inspiração e muitos dos chafarizes de 2004, por exemplo, há muito secaram e cristalizaram num registo vazio e maçador. Outros sumiram ou recomeçaram com novos nicks e renovadas ambições ou apenas se colaram a um colectivo bem sucedido e prosseguem as suas "carreiras" nisto dessa forma.

 

Contudo, existe um gajo que nunca me desiludiu. Quando quero ler (ou ver) uma posta em condições é sempre o número um do meu confrangedor roteiro. Não conheço o rapaz de lado algum, nada me move a seu favor senão a empatia que a sua forma escorreita e frontal de se exprimir me suscita e a admiração pelo seu traquejo para manter um nível de qualidade na postagem que é de perder a respiração.

Se eu tivesse que escolher o blogueiro padrão, o exemplo a seguir, era o Marco que apontava sem hesitar.

 

É a minha opinião e acerca do seu peso estamos conversados mais acima. Mas um gajo que me faculta de borla postas assim é um gajo que não posso deixar de recomendar a quem como eu gosta mesmo a sério desta cena.

publicado por shark às 21:57 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

COMO VAIS MORRER?

Dei com a coisa na barra lateral da minha caixa de Gmail e chamou-me a atenção por mera deformação profissional (trabalho em seguros...).

Então trata-se de um site que nos pergunta em letras garrafais: Queres saber como vais deixar este mundo?

No meu caso concreto presumo que terá que ser de uma de duas maneiras, ou numa nave espacial alienígena ou morto, mas o site em causa vai mais longe e exibe esta pérola do rigor (mortis): Agora o ideal era poderes saber se vais ter uma morte dolorosa ou não.

Maravilha. Para além de alegadamente nos explicarem os contornos da partida ainda nos propõem saber se a coisa implicará algum sofrimento que não a contrariedade óbvia. Eu, como já referi, trabalho em seguros e não consigo explicar a utilidade do meu serviço sem apelar aos receios que a estatística justifica. Mas publicitar um serviço com base na morte dolorosa de alguém bate aos pontos a alegria da argumentação da melhor agência funerária.

 

O site, ainda nas letras que até o maior míope da paróquia consegue ler, adianta ainda com enorme convicção: 

Responde correctamente às perguntas que te vou fazer e em três minutos ficarás a saber como vais morrer...

Notem o pormenor das reticências, um requinte da psicologia aplicada ao marketing em novas tecnologias. E três minutos, senhores, três minutos... (as reticências são um pormenor de requinte desta posta, claro). Nem a mais competente das bruxas, das videntes, conseguia uma resposta mais rápida a tal questão.

Ah, e é nesta fase que a questão se coloca. A questão das letrinhas pequenas (sim, eu trabalho em seguros e por isso essas coisas nunca me escapam) que informam a pessoa interessada nesse tema tão fascinante que a brincadeira pode sair cara. Quatro euros por semana, dezasseis euros por mês pela subscrição do serviço. Mais barato do que qualquer bruxa, mas ainda assim dá para um almoço na boa.

 

E é acima desse lote de letrinhas pequenas que esclarecem o truque da coisa, simples análise de probabilidades estatísticas (a chamada lógica da batata) em função das características de alguém, que reside a mais importante mensagem deste site do além:

ATENÇÃO: ISTO PODERÁ MUDAR A TUA VIDA PARA SEMPRE.

Assim, sem reticências.

 

Pois poderá. Por nunca mais te esqueceres de como és uma arvelinha capaz de alinhar em esquemas assim.

Tags:
publicado por shark às 17:47 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

A CONJUGAÇÃO PERFEITA

Marinho Pinto Primeiro-Ministro e Medina Carreira Presidente da República.

publicado por shark às 11:38 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (16)

MOMENTO CARAS (OU LUX, TANTO FAZ)

O mais ilustre dos charquinhenses não faz alarde dessa sua origem.

Dá pelo nome de Paulo Gonzo.

publicado por shark às 11:11 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Quarta-feira, 12.08.09

UMA MENINA INSULAR NO BERÇO DE OURO

Deu hoje entrada na creche virtual a que julgo ser a primeira bebé madeirense.

publicado por shark às 18:41 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

TRANSPARÊNCIA SALOIA

Um guarda-prisional de nome Jorge Alves, presumo que em representação da classe, foi hoje entrevistado num dos blocos noticiosos do canal público de televisão.

Em causa está a iminência de uma greve e, naturalmente, o pivô das notícias questionou o entrevistado acerca das possíveis consequências de uma paralisação no sector. E ao outro só ocorreu o transtorno de não poderem acontecer as visitas aos reclusos. E acrescentou a explicação, para mim tão elucidativa que me abstenho de comentar e deixo ao vosso critério as conclusões.

 

Então dizia, mais coisa menos coisa, o guarda-prisional que sustentamos com os nossos impostos num noticiário de um canal televisivo onde pingam chorudas maquias do mesmo "saco" que trabalhamos para encher: se privarmos os reclusos das visitas e sabendo que isso lhes impede o acesso à droga, é impossível prever a reacção da população prisional.

 

Podem ver aqui a coisa e depois digam-me se percebi mal...

publicado por shark às 12:01 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (5)

TERRENO ESCARPADO

dorso

Foto: Shark

 

Adiante, as montanhas sucediam-se até onde a vista conseguia alcançar. Insistiu, mesmo assim, em caminhar até ao limite das suas forças que sentia exauridas no corpo como na mente que lhe dava com uma mão a certeza de que algures chegaria onde queria e tirava com a outra, a da óbvia dificuldade da tarefa a que se propusera.

Lutava contra si próprio, tentando arrastar o corpo sem hesitar por entre o arvoredo onde caminhava a medo dos imprevistos com que aprendera a contar, a cada nova passada, os perigos acrescidos daquele percurso que lhe evocava um antigo jogo de computador.

Avançava também por amor, ansioso por ultrapassar aquelas barreiras que o afastavam daquilo que tinha por essencial.

 

Suspendeu a marcha por instantes, para contemplar boquiaberto a grandiosidade da paisagem agreste que as escarpas lhe ofereciam e que agora lhe pareciam braços da mãe Terra que aconchegavam mais abaixo o rio que serpenteava, azul, rumo a um encontro com o mar.

Um enorme prazer para o olhar saturado de tanta árvore e rochedo que pintavam o horizonte em seu redor, como uma pausa retemperadora, um alento, para prosseguir a sua jornada, para insistir na caminhada que o levaria ao fim do mundo se necessário.

Sentia assim aquele purgatório a que se condenara algures num ponto perdido de um distante passado que tentava, em vão, ignorar.

Precisava caminhar a sós para desatar tantos nós que o estrangulavam nas emoções que o assustavam, precisava respirar.

 

Adiante, recortados no horizonte, os picos elevados sucediam-se e o caminho parecia assim nunca mais ter fim. Mas de cada vez que lhe acelerava o coração a vontade de vencer, aumentava a determinação e o desejo de prevalecer naquele desafio, cansado e com frio, em busca da vitória total.

E por isso insistiu em caminhar, sem medo de vacilar, sempre na direcção do sol. 

Tags:
publicado por shark às 11:32 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)
Terça-feira, 11.08.09

ESQUECIDO

esquecido Foto: Shark

publicado por shark às 22:50 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

Sim, sou eu...

Mas alguém usa isto?

 

Postas mais frescas

Para cuscar

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

2005:

 J F M A M J J A S O N D

2004:

 J F M A M J J A S O N D

Tags

A verdade inconveniente

Já lá estão?

Berço de Ouro

BERÇO DE OURO

blogs SAPO