Sexta-feira, 25.07.08

O MEU RIO CHAMA-SE TEJO

tejo quente

Foto: Shark

Tags:
publicado por shark às 09:53 | linque da posta | sou todo ouvidos
Quinta-feira, 24.07.08

PURE CHESS

- Epá, peão das brancas, estás todo deitado abaixo. Até parece que chocaste de frente contra uma torre...

- Nada disso, cavalo das pretas. Foi ontem, quando cheguei a casa atrasado e disse à peoa que tinha ido prós copos com a malta. Mas alguém a tinha avisado que eu tinha ido comemorar o facto de ter comido a vossa rainha...

publicado por shark às 23:54 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)

SOCIEDADE DE CONSUMO

on tape

publicado por shark às 11:03 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

UM ROLO DE PRIMEIRA

Recomendo-vos este post do Pedro Rolo Duarte a propósito do litoral alentejano e de como a algarvarização já apresentou a factura.

publicado por shark às 10:42 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (7)

UMA FORMA DIFERENTE DE VOS DIZER BOM DIA

É estimulante, acordar num dia em que sabemos ser previsível acontecer algo que pode influenciar a nossa vida de uma forma radical.

Seja para o bem ou seja para o mal, dou-me sempre melhor com os ventos da mudança. Receio muito mais o marasmo, o conformismo, a apatia e a resignação do que temo a estatística que me avisa das hipóteses de poder tudo correr muito mal em qualquer (pequena) revolução.

 

Gosto de saltar no escuro ou no vazio, de vez em quando, sempre que me sinto pressionado por anseios, expectativas, receios ou ambições. Prefiro-me capaz de arriscar, ainda que cedendo aqui ou além à argumentação interior que a maturidade em crescendo, inevitável, consegue impor.

Chamar-lhe-ão fuga em frente, mas isso não constitui para mim um desprimor. Avançar é uma acção que implica coragem, que pressupõe a rejeição de todos os pressupostos que enumerei no primeiro parágrafo desta posta e é dessa forma que entendo os outros quando lhes reconheço o mesmo tipo de opção.

 

Estes dias são dias que saboreio desde o primeiro instante em que acordo para os viver, são diferentes, são intensos e são, necessariamente, especiais.

 

Desejo-vos um dia tão positivo, nesta ou em qualquer outra perspectiva, como o será - qualquer que seja o desfecho daquilo que o marcará - este meu de que vos falo.  

publicado por shark às 10:03 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (13)
Quarta-feira, 23.07.08

FLOWER POWER

presença discreta

Foto: Shark

publicado por shark às 17:44 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

O MENINO DE OURO CAIU EM SI

João Pinto, o antigo "menino de ouro" do meu Glorioso e mundialmente conhecido pela sua frontalidade a lidar com a arbitragem, anunciou ontem que entendeu arrumar as botas e acabar com a carreira no futebol.

 

Aos 36 anos de idade, para alta competição já lhe basta a Marisa...

publicado por shark às 09:32 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (52)

E UM GAJO COMEÇAR O DIA...

...Com uma excelente oportunidade de negócio imobiliário em risco de ir pelo cano abaixo por apenas 15 mil euros, sabendo que da concretização desse negócio pode até depender a viabilidade do seu ganha-pão?

 

É de uma pessoa se enervar um bocado, não é?

publicado por shark às 09:23 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)
Terça-feira, 22.07.08

É IMPRESSÃO MINHA...

...Ou metade do país, do país que bloga (também) já está a banhos nesta altura?

publicado por shark às 23:39 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (12)

(LIS)BOA TODOS OS DIAS

contrastes lx

Foto: Shark

publicado por shark às 16:49 | linque da posta | sou todo ouvidos

PAGE NOT FOUND

Apenas uma página, sem princípio nem fim. Uma folha solta de um livro que se escreveu no Outono, um retalho castanho que o tempo pintou.

Palavras perdidas por alguém, fugidas de uma capa mãe que por instantes se distraiu e deixou uma página sua desaparecer, arrastada pelo vento até ao esquecimento na imensa lixeira dos bens perdidos por quem os queria e ignorados no valor por quem sem querer os encontrou.
 
Apenas uma página esquecida num canto da vida que não escolheria por si, pois sozinha nada dizia a quem por acaso a lia antes de a soltar ao vento para passar de mão em mão o pedaço da mensagem no todo que a parte não conseguia transmitir, história incompleta, lida na diagonal por transeuntes aleatórios, quase analfabetos alguns. Encarquilhada, pelo tempo cicatrizada nas suas inúmeras feridas, no orgulho, por se saber inútil no cumprimento do seu papel. Como se as palavras oferecessem uma alma a cada página para a animar ao longo do caminho solitário que lhes destina o incidente lamentável de verem separadas do sentido que só um livro lhes dá.
 
Uma página e nada mais, desencontrada pelo destino da sua presumível função. Sem contar com a colaboração das restantes, capazes de a explicarem na sequência numérica em que as arrumou um autor qualquer incapaz de adivinhar o desenlace da história daquele pedaço da sua que fugiu para o meio da rua onde originalmente a bebeu.
Antes, pouco antes, de a verter com uma caneta para a memória do papel.
Amputada agora pela lacuna imensa que uma simples página, irrepetível, produz.
 
O barulho de folhas, as outras, num estranho crepitar que o vento provoca, arrastadas mais a página sob a fina luz crepuscular que convida à leitura das palavras sem nexo, penduradas no meio de uma página sem princípio nem fim, nas mãos de um homem que de passagem a apanhou.
 

Apenas uma página, personagem de uma história sua que o tempo passado entretanto moldou.

Tags:
publicado por shark às 10:09 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)

BANDIDOS, TREMEI!

Há muito tempo que não tinha a polícia a bater-me à porta.

Desta vez foi por causa da mania do meu cão de uivar em noites de lua cheia. Os vizinhos não gostam.

 

Não estou a brincar.

 

(O protagonista é o da foto abaixo, o da direita.)

publicado por shark às 00:53 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)
Segunda-feira, 21.07.08

A AMIGA IMAGINÁRIA

I love eukanuba

Foto: Shark

 

Cada um tem a sua...

publicado por shark às 18:08 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

AGORA APETECEU-ME UM CHÁ

Gente estranha, a que sente pica em mandar umas bocas inconsequentes por detrás do biombo do anonimato.

Assim do tipo bombinhas de mau cheiro que se largam na carruagem do metro mesmo antes de sair pela porta, sem dar hipótese à malta para se defender. Deixam a bufita, a suspeita, a interrogação, e seguem as vidinhas com a satisfação do dever cumprido.

 

É coisa de tontos, feita dessa forma. E tresanda, pelo misto entre a cagufa anónima e a falta de traquejo para clarificar as intenções e assumir as convicções (mesmo por detrás da mascarilha).

 

Não somos obrigados a gostar seja de quem for, mas se queremos botar discurso das duas uma: ou fazêmo-lo devidamente identificados/as ou, no mínimo, temos a dignidade de expor com clareza os motivos da nossa embirração.

publicado por shark às 17:46 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

SINAL DE VIDA

De vez em quando tenho mesmo que bulir.

Vim aqui só para vos desejar uma óptima semana.

publicado por shark às 14:46 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (5)
Domingo, 20.07.08

ENTARDECER

gaivota em terra

Foto: Shark

publicado por shark às 21:47 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (14)

É PRECISO QUERER!

Ser feliz.

Tags:
publicado por shark às 13:04 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

QUANDO O TEMPO ESTÁ FARRUSCO...

...Sabe mesmo bem acordar quase à hora do almoço.
publicado por shark às 13:03 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

VOU SONHAR

Azul.

Tags:
publicado por shark às 01:53 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

EU GOSTO DE PASSARINHAS

Foto: Shark

publicado por shark às 01:27 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)
Sábado, 19.07.08

CONVERSA DE GAJO

Dei comigo a lavar a louça (nós, campistas, ainda não usamos máquina) ao mesmo tempo que transmitiam na televisão um jogo do meu Glorioso.

O jogo é a feijões, de apresentação e mais não sei o quê, mas não consigo disfarçar o desconforto que um gajo sente quando dá consigo desinteressado da bola.

 

A pessoa até sente a masculinidade comprometida.

publicado por shark às 22:20 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

TESÃO NÃO É UMA PALAVRA FEIA

No entanto, custa-me mais dizê-la do que mantê-la.

É tramado, o peso do preconceito.

publicado por shark às 15:57 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (6)

IMAGENS DE VERÃO

Foto: Shark

publicado por shark às 15:57 | linque da posta | sou todo ouvidos

RAGE AGAINST THE MACHINE

Gosto do nome da banda, embora ainda não tenha conseguido gostar da sua música ou sido capaz de entender a sua forma de transmitir a mensagem que esse nome transmite. Mas não é deles ou do seu som que me apetece falar. Apetece-me sim reconhecer essa “máquina” contra a qual é preciso cada vez mais exibir a rebeldia, a revolta, a diferença de que o mundo precisa para não amolecermos de vez num rumo que, em muitos aspectos, deixou de nos servir.

 

A máquina faz-se de tudo quanto de errado permitimos que se construísse a partir das fragilidades de um sistema aparentemente entregue a quem o manipula ao sabor de interesses que em nada contribuem para a felicidade da maioria das pessoas, o sistema montado com base em pretextos que nos adormecem à sombra das boas intenções de que o inferno está cheio e por isso transborda para a realidade terrena que nos começa a transformar aos poucos num conjunto mais ou menos assumido de alimárias.

 

Somos pasto de todo o tipo de parasitas cujo oportunismo encontra terreno fértil no abandono dos vários poderes por parte das pessoas de bem. Cruzamos os braços aos poucos e permitimos a subjugação mais ou menos encapotada aos desígnios de um poder político corrupto, medíocre e alheio aos superiores interesses de qualquer população.

 

Permitimos também que cada cidadão se torne refém do poder financeiro, o maior, protagonizado pela banca, pelas gigantescas corporações que a controlam e por um séquito ganancioso de todos os tipos de especuladores. E a nossa força, a única que podemos utilizar na defesa dos interesses individuais, a força colectiva que move montanhas e promove revoluções, jaz nas múltiplas divergências criadas à medida de um sistema que se movimenta como peixe na água no contexto do dividir para reinar.

 

Papamos o grupo e seguimos em frente com a esperança fútil de que um comportamento sem ondas nos proteja da eventualidade de o sistema se virar contra nós. Uma ilusão de invulnerabilidade que só descobrimos enganadora quando uma simples conjugação aziaga de factores nos transforma de repente em párias. E depois somos expurgados pela força conjugada dos diversos tentáculos de um paraíso desenhado para usufruto exclusivo dos mais abastados, dos que nesta terra de papalvos tão reconhecidos como vencedores.

 

jogos de influências e pouco mais

 

O mérito pouco diz aos que se alcandoram, quantas vezes por simples golpes de sorte, aos postos de comando cada vez mais desumanos a partir do qual se gerem pessoas como rebanhos. Os números que representamos onde os nomes e os percursos pouco contam se não dispusermos de qualquer tipo de influência que nos esconda as mazelas e nos ampare em momentos de aflição. Quando caímos, mesmo os que se vendam ao esquema montado, jamais nos reerguemos do desgosto de nos percebermos valorizados apenas em função de hierarquias que sabemos estruturadas em premissas indignas daquilo que as pessoas deveriam defender e representar.

 

São raras as excepções. A resistência sucumbe à sucessão de derrotas que são afinal as consequências do nosso desmazelo na protecção da Democracia e de todos os valores que lhe associamos. A liberdade que hipotecamos ao apelo de uma sobrevivência condigna nos moldes que nos vendem como ideais. O orgulho que antes sentíamos por realizações que nada dizem agora aos que desacreditaram na sua capacidade de lutar contra aquilo que sabemos errado mas nos ensinam, nos obrigam, a respeitar como sinal dos tempos. O progresso falacioso que nos converte em gente ambiciosa demais.

 

São esses os sinais que nos tentam alertar sem sucesso para a iminência do fracasso destas opções abraçadas à pressa pelo meio da corrida contra tudo e contra todos os que nos possam impedir de alcançar o eldorado que nos transforma depois nas pessoas que criticávamos quando ainda sentíamos na pele o peso da sua actuação mesquinha, interesseira e artificial.

A máquina está a exibir pés de barro porque quis crescer depressa demais. E essa talvez seja a derradeira vulnerabilidade que podemos explorar para conseguirmos erradicar das nossas vidas o lado pernicioso, o dano colateral, antes que o monstro desabe de repente por si próprio sobre as nossas hipóteses de convertermos este espaço cada vez mais infeliz num mundo decente onde prevaleçam os valores e as garantias que hoje não passam de teorias para camuflar as motivações dos poderosos e para anestesiar a sede de mudança de boa parte dos que são deixados de fora.

 

O momento certo é agora.

 

Ou impomos a força do colectivo em abono do que acreditamos melhor, sem medo, ou seremos arrastados pelo castelo de cartas desequilibrado que qualquer vento de mudança acabará, hoje ou depois, por desabar sobre os menos preparados para enfrentar a borrasca que os deixará completamente sós. E esses, quando olhamos as estatísticas e comparamos os factos com os das lições que a História nos dá, são mesmo quase todos.

 

A esmagadora maioria de nós.

publicado por shark às 15:35 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)

ISTO É UMA GRAVAÇÃO

Esta posta serve para testar o sistema do Sapo para publicação de postas sem a presença do autor. Ou seja, escrevi-a antecipadamente e marquei uma hora específica para ela se dar ao mundo. Não sei se resultou ou não. Mas é óbvio que se não tiver resultado também não se perdeu grande coisa... Ah, podem deixar mensagem após o sinal.
publicado por shark às 00:25 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (5)

Sim, sou eu...

Mas alguém usa isto?

 

Postas mais frescas

Para cuscar

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

2005:

 J F M A M J J A S O N D

2004:

 J F M A M J J A S O N D

Tags

A verdade inconveniente

Já lá estão?

Berço de Ouro

BERÇO DE OURO

blogs SAPO