Terça-feira, 25.03.08

EU GOSTO DE PASSARINHAS

passarinha solitária.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 11:44 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)

O PÚBLICO QUE BLOGA

O jornal O Público (online) acaba de abraçar um curioso vínculo com a comunidade bloguista (ou blogueira, ou blogger, como prefiram) como dá conta AQUI.
Para quem anda nisto há uns tempos, ainda estão relativamente frescas as memórias da desconfiança latente dos primórdios relativamente à reacção da Imprensa perante o surgimento e proliferação dos blogues.
Acusações de plágio, de desdém e, não raras vezes, de pura e simples omissão dos blogues enquanto fontes de peças publicadas constituiam a face visível de um certo desconforto instalado nas relações entre os media e a blogosfera.

Esta iniciativa d'O Público, agora que assenta o pó do boom bloguista e o rumo dos acontecimentos permite descortinar mais oportunidades do que ameaças de parte a parte, vem confirmar o amadurecimento da blogosfera (que se traduz na acentuada e visível segmentação dos espaços activos) e consequente ocupação do espaço que lhe está destinado, tal como representa o reconhecimento por parte de alguma Imprensa da óbvia utilidade dos blogues enquanto medidores do pulso de uma parte significativa da Opinião Pública.

Tomei conhecimento desta excelente notícia no blogue da Azoriana, onde podem encontrar outra impressão favorável a este passo histórico d'O Público no sentido de uma ligação tão pertinente quanto desejável.
Tags:
publicado por shark às 10:47 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)
Segunda-feira, 24.03.08

A POSTA QUE AINDA SE POUPA ALGUM NOS DIVÓRCIOS

sem factura.jpg
Foto: Shark


Depois do boicote legislativo aos piercings, um must da preocupação governativa actual, o Executivo eleito com maioria absoluta acaba de apontar as baterias para os recém-casados, esses coniventes por omissão das fortunas que escapam ao fisco na sequência dos casórios multimilionários que grassam por esta nação aos quadradinhos.
Venha o mais pintado (tentar) defender a pertinência de tais preocupações por parte dos líderes que temos e esmagarei essa pessoa com duas palavras apenas, duas estocadas tão simples quanto letais neste particular: bom senso.

Se a primeira idiotice que referi não passa de uma descarada tentativa de intromissão na vida privada de cada cidadão, nomeadamente na sua capacidade decisória sobre o próprio corpo (recordo sem querer as questões do aborto e da eutanásia, à luz desta medida), a segunda idiotice não passa disso mesmo. É a cara desta fase do Governo de Sócrates, chapadinha.
Parecem todos empenhados em acrescentar a burrice aos argumentos que vão sobejando e nem todos explicados pela crise financeira global.
Lua de Fel

Num país onde o matrimónio definha enquanto instituição, uma perda de tempo burocrática em face da penosa estatística de “durabilidade” de tal aliança (e com o ouro ao preço que está…) que se mantém apenas por motivos cada vez mais estapafúrdios, o Governo português decide transformar os recém-casados numa espécie de bufos capazes de substituírem a fiscalização do Estado na actividade económica que lhe compete vigiar. Mais do mesmo, neste deplorável e cada vez mais visível descartar de responsabilidades empurradas para cima da população.
A famosa lei do tabaco é outro ex libris deste jogo do empurra de quem tenta brilhar perante os eleitores à custa deles próprios.

Por outro lado, com uma taxa de desemprego pouco simpática, a criminalidade a trancar portas, o sistema partidário em notória desagregação, o Serviço Nacional de Saúde em desmantelamento e mais um rol de preocupações sérias que afligem o cidadão comum (a falta de liquidez, por exemplo, aflige um nadinha), quem pode levar a sério políticos capazes de se debruçarem sobre estas pintelhices (pardon my french) enquanto o resto do país quase alucina?

Para quem enfrenta todas as ameaças a uma vida condigna sem as couraças de que o Poder (os seus protagonistas) se valem, estas prioridades legislativas soam patéticas e por muito que me intimide a falta de alternativas reais (realistas) a esta opção que nos restou começo a desenvolver aos poucos uma incómoda costela anarca.

E que tal um impostozinho sobre a infidelidade conjugal, hum?

As mais recentes ideias provindas dos patetas capazes de as divulgarem (ao menos que as confinassem ao pudor dos gabinetes que nos custam uma pipa de massa) transformam aos poucos a governação numa história digna de uma banda desenhada.

De resto, a apetência do Governo pelo grafismo, pelas imagens, está bem patente por exemplo no recente investimento num novo logótipo para a ADSE, se a memória não me falha, muito oportuno no contexto dos progressivos cortes nos benefícios de (mais uma) regalia sob a mira da reforma à tesourada que poupa dinheiro aqui para o esbanjar estupidamente ali.

Onde?

Por exemplo nos salários e mordomias dos fulanos que acordam de manhã com vontade de nos estupidificarem por contágio com as suas grotescas exibições de alheamento à realidade que observam à distância para lhes inspirar estas caricaturas decretadas.
publicado por shark às 23:27 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

EU GOSTO DE AVIÕES

aponte para cima.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 15:31 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (14)

O BERÇO CONTINUA ATAREFADO

E hoje temos a registar o nascimento de mais um pilas.
publicado por shark às 15:15 | linque da posta | sou todo ouvidos

BUTE LÁ ENFRENTAR O PAPÃO!

Nunca escondi a minha aversão a este dia da semana. E até tentei explicar porquê, embora me pareça demasiado óbvio para justificar esclarecimentos adicionais.
A segunda-feira é o dia de regresso ao quotidiano dito normal. São os despertadores, essa invenção demoníaca, os primeiros a anunciarem o início desse dia terrível com as suas campainhas ou besouros e a relembrarem cada um de nós que o dia anterior já era e nasceu (aos berros) aquele que anuncia o ciclo que só encerram as sextas-feiras com a sua chegada auspiciosa. E também são as evocações dos inúmeros afazeres que programamos em vão para um período que nunca decorre exactamente como o pensámos ao longo do fim-de-semana.

A segunda-feira marca o recomeço de uma luta incessante contra o relógio que teima em avançar rumo a seis dias depois mas acelera endiabrado quando aquilo que temos marcado se aproxima inexoravelmente do adiamento que a falta de tempo justifica.
É o dia da reabertura da agenda, esse calendário de obrigações que fazem parte das funções que a vida acabou por colocar no caminho da maioria sem grandes hipóteses de escolha. Por acaso, por aperto, por transmissão sucessória, raramente por gosto ou por vocação.

É para mim um dia não, pois não faço aquilo que gosto e poucos gostam daquilo que faço. Ganho a vida a esbanjá-la numa missão imposta pela correria a que nos deitamos com a sede de "chegar lá", não sei bem onde, ao sucesso. Ou apenas à concretização dos sonhos pequenos, à ultrapassagem dos obstáculos que nos impomos a um ritmo consentâneo com uma vida digna desse nome.

Contudo, quando enfrento a fera nos olhos e lhe adivinho a vontade de me fincar a dentuça do desânimo com uma panóplia de contrariedades e de imposições acabo sempre por reagir como aprendi e faço peito ao desafio.
Não se pode mostrar medo às ameaças reais ou imaginárias.
E a melhor maneira de as desarmar consiste sempre em surpreendê-las com algo de tão simples como um sorriso rasgado em cheio nas ventas.

Isso é que as deixa mesmo desorientadas... :-)
publicado por shark às 11:37 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Domingo, 23.03.08

THE DOORS

you have mail.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 18:45 | linque da posta | sou todo ouvidos

NOVA VERSÃO DO CHARCO ESTÁ PRESTES...

...A ser "oficialmente inaugurada" e até já tem publicada uma posta que não é possível ler aqui (pois ontem esta plataforma voltou a estar off durante várias horas, não me perguntem porquê...).
Nesta altura está a decorrer a migração do conteúdo aqui alojado e logo que esteja completo o processo poderão actualizar os linques e os feeds para não perderem o rasto deste meu trabalho.

As duas versões existirão em simultâneo durante algum tempo e sempre que uma delas falhar publicarei na outra.
E por isso mesmo vale a pena irem dando lá uma espreita.
Vão ver que nem estranham a mudança... ;-)
Tags:
publicado por shark às 12:50 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

UMA HORTA NA VARANDA (2)

25.bmp

O amigo Shark voltou a desafiar-me a escrever mais um post, solre ervas e outros produtos que podemos ter em casa, como o das couves, publicado em Junho de 2007.
Assim, porque gosto muito das minhas ervas e porque defendo que uma planta num vaso colocado em qualquer canto da varanda, nos dá aquele gostinho do contacto com a terra e de produzir o que mais tarde podemos usar para dar aquele toque pessoal e um sabor especial aos nossos cozinhados, aqui vai.

coentos.bmp

Ora vamos lá desta vez arranjar um canto com ervas aromáticas, que são ao mesmo tempo um poderoso amigo da saúde.

Se houver espaço uns vasos no chão, ou aquelas caixas de plástico que serviram para arrumações mas que agora até vamos deitar fora, ou que tal aproveitar os garrafões de água que temos na despensa, é só cortá-los e ai temos sem gastar nada, uns belos recipientes para a nossa horta. Podemos até fazer um aproveitamento em altura. Um velho escadote e temos 2 ou três espaços para colocar os nossos 2 ou 3 vasos em vez de apenas um.

Não havendo espaço no chão porque não arranjar uns vasos suspensos ou pendurados na parede?

Depois, depois é só escolher as ervas. Dou aqui algumas ideias e vou começar por aquelas que no “meu” Alentejo não há quem não as tenha no quintal.
Coentros: As sementes podem comprar-se em saquetas, nos supermercados ou nas lojas de sementes, depois é só espalhar na terra bem fôfa (não requer adubos) Sol e água quanto baste e logo logo, poderemos fazer uma bela açorda, umas amêijoas à Bulhão Pato ou o tão afamado caldo de cação. Dizem os calhamaços antigos que os coentros foram trazidos do oriente.

coentos espigados.bmp

Num outro dia darei aqui, se o amigo Shark achar por bem, algumas receitas que não dispensam estas ervas aromáticas, indispensáveis e tão ao gosto dos Alentejanos.

Nota: O chá de coentros é também um bom digestivo. De propriedades calmantes, estimulam o apetite, mesmo espigados e com flor.

TEXTO E FOTOS: SUSETE EVARISTO
susete evaristo.jpg
publicado por shark às 11:18 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (3)

HERESIA OU PRAGMATISMO?

Não consigo deixar de pensar no coelhinho da Páscoa sem ser à caçadora.

É que, bem vistas as coisas, o coelhinho dos ovos está para a Páscoa como o Pai Natal da coca-cola está para a Quadra que lhe dá o nome...
publicado por shark às 11:03 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Sábado, 22.03.08

OLHOS EM FLOR

Foto: Shark

 

Estende-te ao comprido naquele tapete de flores onde se viveram os amores brotados dos peitos como plantas do chão.
Com os olhos fechados ao céu verdadeiro, outro que acontece no teu corpo inteiro enquanto estendida te declaras rendida e te entregas de alma e lhe juntas o coração.
 
Oferece-te aos sentidos, mantém os olhos vendados pelas pálpebras que te beijo a caminho do desejo que arde em ti.
Mais abaixo na paisagem, o rio que toca a margem com as pontas dos dedos de água que te percorrem agora como jamais ousaste sentir.
O leito em que te deito é o mesmo que o vento lambeu, as flores que o sopro agitou como o teu corpo que a minha boca mimou, pétalas afastadas, as tuas pernas flectidas sobre as costas do tempo que demoro a entrar no aconchego de um lar que me preparas assim.
 
Olha agora para mim e lê nesta expressão o porquê de uma tesão que é a tua também.
 
Depois estende-te ao comprido no tapete mágico, vermelho, e voa comigo num sonho até onde o sol nascerá outra vez.
Tags:
publicado por shark às 23:49 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (13)

O MEU RIO CHAMA-SE TEJO

grito vermelho.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 22:46 | linque da posta | sou todo ouvidos

FLOWER POWER

a flor e o céu.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 22:27 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

COMO UM BEIJO NO CHÃO

dentro de uma árvore.jpg
Foto: Shark

Uma árvore a sós na planície desnuda. Sem sentido algum, ali plantada pelo vento de passagem para outro lado qualquer.
Como uma marca no horizonte, um ponto de referência para viajantes perdidos dos amores esquecidos na terra ressequida pelo sol de Verão. A árvore sozinha num espaço imenso, sobrevivente teimosa, agarrada por raízes de emoção bem fundo no chão que o vento algum dia beijou.

A semente que vingou, surpreendente, humidade absorvida com sofreguidão no desespero de uma solidão que só uma árvore consegue suportar.
E aquela, persistente, determinada, chama seu um lugar no ermo que o destino lhe ofereceu a soprar. Fincada na terra com a garra de lutadora e a vontade de ficar ali, de pé, mesmo nos dias hostis de um Inverno oportunista que lhe fustiga os ramos despidos de folhas.
E a árvore teimosa, sem pressa, à espera do regresso da Primavera que de novo a cobrirá com o verde da esperança, da tempestade à bonança num ciclo que se perpetua até ao dia de morrer.

A sós, na planície que domina com o olhar, passado e presente, a árvore indiferente a quase tudo em seu redor. Orgulhosa da sua copa assim frondosa, preparada para dançar ao som da brisa que a queira agitar com pequenos sopros de saudade de outra brisa que entretanto passou.
Senhora do campo, portentosa, imita o cheiro de uma rosa quando não haja por perto quem o possa cheirar. Sem medo do tempo, corajosa, reproduz a melodia harmoniosa que o vento lhe segreda em sonhos daqueles que uma árvore solitária conserva na memória para cantá-la depois.

Apenas uma árvore ali plantada, pela brisa semeada como um beijo no chão.

Com seiva de mel e uma fragilidade aparente, uma árvore persistente com a resistência do betão.
Tags:
publicado por shark às 22:07 | linque da posta | sou todo ouvidos

FERNÃO CAPELO

sempre a subir.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 12:02 | linque da posta | sou todo ouvidos

BERÇO DE (L)OURO

O novo bebé do Berço é o mais próximo do tom.
publicado por shark às 11:20 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)
Sexta-feira, 21.03.08

BLACK & WHITE

silhueta do outono.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 11:49 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

NO REGAÇO DE UM SONHO, FANTASMA

s.miguel.jpg

Apenas o silêncio cortado a espaços pelo rastejar de uma cobra no meio das ervas, ou seria o som da sua própria atitude que a mente descodificava como uma vergonha que rastejava mesmo ao lado, de raspão pelo passado, do seu corpo entregue ao flagelo do frio.
Era o que ouvia para lá do seu vazio por preencher.

Olhava o céu sem o ver, cego de nascença num ponto da consciência que lhe obliterava a perspectiva e o forçava a enfrentar o nevoeiro sem a mais pequena noção de um rumo, da direcção adequada para o local que procurava sem saber como nem porquê.
Tudo aquilo que alguém vê na escuridão de um espaço interior.
Oco como a mente de um louco condenado a prisão perpétua numa cela forrada a papel de lucidez.
Via apenas um momento parado de vez, num ponto fixo do tempo, uma imagem repetida até à exaustão que sentia como um chicote, uma punição, nas costas do arrependimento e no rosto enrugado que servia de leito às lágrimas que vertia quando ainda sabia chorar.

Apenas o cheiro dos cabelos, fragrância de saudade arrastada desde um local remoto na sua memória bloqueada como se estivesse blindada contra a tarefa inglória de a apagar.
O vento que a soprava contra si, lá dentro, contra as paredes de um cérebro empedernido como um rochedo, enfrentando a força colossal da rebentação.
Ondas eléctricas, lembranças, apenas vagas semelhanças entre o caminho antes percorrido e o trilho sem norte que o conduzira, sem sorte, até um ponto de saturação.

O grito lançado como um pombo-correio desorientado contra as copas das árvores onde a mensagem se perdia por entre a folhagem que jamais reagia à fúria que sentia, como ele, quando a voz lhe tocava a pele em suaves acordes da brisa que fingia nem o ouvir.

Depois apenas o silêncio cortado a espaços pelo longínquo rumor de palavras cheias de amor que a mente descodificava como um último beijo antes de adormecer.
Foi esse o último som que escutou.

Na alvorada do dia em que a sua alma beijada finalmente despertou.
publicado por shark às 00:14 | linque da posta | sou todo ouvidos
Quinta-feira, 20.03.08

SORTE MACACA

Passei boa parte do meu dia a aturar gente desequilibrada.
Há dias assim...
publicado por shark às 22:34 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)

PARA EQUILIBRAR A PARADA...

...Há mais um menino no nosso Berço.
publicado por shark às 22:27 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

LOOK UP!

mais perto da luz.jpg
Foto: Shark
publicado por shark às 21:27 | linque da posta | sou todo ouvidos

É PONTO ASSENTE

Em termos de desempenho profissional, de funcionamento do país, quando há pontes no horizonte as manhãs de quinta-feira são tal e qual as tardes de sexta.
publicado por shark às 10:59 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (4)
Quarta-feira, 19.03.08

NOVA ENTRADA NO BERÇO

Há mais uma menina no novo Berço.
publicado por shark às 19:18 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (8)

QUASE LÁ

229_2937.JPG
Foto: Shark
publicado por shark às 16:04 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (10)

A DURA VIDA DE UM CALCETEIRO

A última chamada que atendi era do meu gestor de conta a pedir para eu ir ao banco num instantinho para tapar um buraco.

(E o que chove lá fora?)
publicado por shark às 14:42 | linque da posta | sou todo ouvidos | cuscar sem medos (2)

Sim, sou eu...

Mas alguém usa isto?

 

Postas mais frescas

Para cuscar

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

2005:

 J F M A M J J A S O N D

2004:

 J F M A M J J A S O N D

Tags

A verdade inconveniente

Já lá estão?

Berço de Ouro

BERÇO DE OURO

blogs SAPO