A POSTA NOS AMANHECERES SIMULADOS QUE CANTAM

Um consumidor visivelmente encantado pelo seu amanhecer simulado

 

 

Se eu fosse um empresário do ramo das inutilidades-ainda-mais-disparatadas-em-tempo-de-crise gostava de poder anunciar ao meu departamento de vendas, ainda antes de limparem por completo as ramelas às horas da madrugada a que as pessoas são forçadas a trabalhar: hoje vamos vender resmas de despertadores Oregon Scientific com Simulador de Amanhecer!

Vamos por momentos ignorar o requinte de crueldade de alguém ser capaz de propor a pessoas quase acabadas de acordar a venda do seu mais recente instrumento de tortura, pois esta posta, apesar de gratuita, é um veículo publicitário indirecto e por isso temos que respeitar as regras elementares de funcionamento do mercado.

 

O que me move, para além da secreta esperança de um dia algum empresário montes de bem sucedido na venda de, sei lá, campainhas de porta com simulador de aurora boreal me oferecer uma pequena fortuna por uma referência ao seu produto tão inédito quanto difícil de impingir poucos minutos depois de ultrapassado pelo consumidor incauto o torpor dos primeiros minutos de cada dia, é em boa medida o sono.

Sim, recebi a sedutora proposta para a compra de um sensacional despertator Oregon Scientific ainda sob o efeito do ódio ao equipamento homólogo actual e à sua ingrata missão.

 

Ainda assim deixei-me seduzir pelo barulho das luzes da simulação de alvoradas e prestei alguma atenção à dita maravilha tecnológica, nem que fosse para perceber em que consiste a coisa.

Agora já pode acordar ao som dos pássaros mesmo que more numa grande cidade! – É assim, com esta entusiasmada proclamação dos amanhãs de manhãs que cantam, que a Loja21 nos agarra para a leitura dos inúmeros predicados do seu produto do dia.

Fico então a saber que a luz mágica desta maravilha com que o progresso promete acordar-nos estimula a produção de cortisol, uma hormona que a empresa diz ajudar a preparar o organismo humano para o novo dia depois do período de sono.

Claro que começo por identificar um distúrbio hormonal neste organismo humano cuja reacção a um despertador comum é similar à de um espancamento (o meu despertador partilha essa sensação desconfortável) e sinceramente nunca senti que existisse algures em mim uma espécie de mão hormonal estendida para me ajudar nesses momentos terríveis.

 

Prosseguindo na apreciação dos inúmeros argumentos para a aquisição imediata de um Oregon Scientific (com simulador de amanhecer, não sei se já referi) fico a saber que este multi-funções serve de lâmpada de mesa de cabeceira e assim não corro o risco de partir o candeeiro ao tentar desligar o despertador! Ou seja, um enorme estímulo à poupança que, como veremos adiante, é bastante conveniente promover em paralelo com o simulador de amanhecer.

Porém, quanto mais avanço no explanar de atributos menos tentado me sinto a aproveitar o preço especial de corrida que só hoje posso pagar.

Por exemplo, quando na tentativa de suavizar a pesada carga pejorativa associada a um dispositivo para acordar a pessoa (algo tão infrutífero como forrar com estofos de veludo o interior de um caixão para o tornar mais acolhedor) me referem que basta um suave movimento da mão diante do mostrador para desactivar a repetição do alarme (que pode ser o cantar dos passarinhos como a voz estridente da Júlia Pinheiro num anúncio em FM) o caldo do meu impulso de compra entorna.

Só quem nunca precisou de acordar antes das 11 da madrugada percebe onde reside o problema deste pormenor aparentemente tão inócuo: um suave movimento da mão e o simulador de amanhecer anoitece? Até podia disparar a luminosidade do sol em Mercúrio que os meus suaves mas sucessivos movimentos manuais acautelavam um não menos suave regresso ao simulador de ressonar até o próprio equipamento desistir da ideia, simular que vai ao WC e deixar-me da mão para não levar uma berlaitada na gaiola onde guarda os tais pássaros com pendor urbano e que cantam com pronúncia de Taiwan.

 

Mas só caio em mim depois de perceber o quanto acreditam os seus promotores nos tais orégãos científicos com a prudente nota final que nos avisa que o equipamento é mesmo fabuloso e acordamos com enorme vigor e mainãoseioquê mas não compensa nem substitui o número de horas necessárias a um descanso adequado.

Quer isto dizer que o simulador de amanhecer não dá abébias ao cliente que veja ali uma janela de oportunidade para poder regressar da 24 à hora em que o amanhecer não é simulado e isso retira algum brilho à retro-iluminação proporcionada pela lâmpada de halogéneo de 42 W.

 

O que a apaga mesmo é um tipo deparar-se, no meio do rol de características do despertador xpto, com uns tais de botões reto iluminados em âmbar: quando olhamos melhor para o preço promocional, só hoje, de €114,90 e nos lembramos de que estamos a falar de um despertador (aquelas cenas medonhas para acordarem um gajo demasiado cedo, estão a ver?) dá-nos vontade de enfiar aquilo Deus sabe onde e a quem e então ilumina-se o dia com um sorriso porque percebemos na hora a utilidade específica dos mesmos.

 

publicado por shark às 12:29 | linque da posta | sou todo ouvidos