O PRIMEIRO DIA

mantasevarios 259.jpg
foto sharkinho


Foi tudo.
Desde a chegada, intempestiva a nossa, por via do entusiasmo na conversa a dois que nos ditou o atraso (e o que queríamos, inicialmente, era chegar antes de toda a gente, para sermos os anfitriões perfeitos...), até ao cheiro a relva cortada de fresco que se espalhou pelos ares logo a seguir ao jantar.
No momento da chegada, os olhos. Todos os pares, sem excepção, a observar espantados os detalhes de cada um. A surpresa em alguns. Noutros, apenas o riso.
Foi perfeito.
A conversa fluiu, como antes já acontecera na caixa de comentários da posta romântica. Foi só uma continuação. Tal como esperávamos.
Houve algum receio claro. De não nos darmos, afinal, assim tão bem, de tempos mortos a falar do frio ou do calor. O receio, naturalmente associado a algo novo. O receio, aliado à grande expectativa. O receio, pelo quanto de responsabilidade implicava ser os organizadores do momento.
Dissipou-se, o receio, tão rápido quanto o jantar decorreu por entre gargalhadas e histórias. Tão depressa quanto os sorrisos se instalaram em todos nós.

Foi um espaço de pura magia, o que criámos ali. Com momentos inesquecíveis. Diferentes, para cada um dos participantes. Registámo-los de forma única e intransmissível. Mas todos os pudémos experimentar.

Foi o primeiro dia.
Que abriu a porta a outros, muitos, cada um com detalhes próprios e irrepetíveis. Bonitos, todos.

Foi há um ano.



Mar
publicado por shark às 12:01 | linque da posta | sou todo ouvidos