IMAGENS DE MARCA

Sempre que alguém de quem gostei me desapontou com sinais evidentes do cariz postiço das suas alegadas emoções concedi oportunidades de sobra para se redimirem com um simples assomo de sinceridade que jamais utilizaria como arma de arremesso.

Essas oportunidades ofereço-as muitas vezes sob a forma de indirectas, de insistências cada vez mais claras num determinado aspecto que aos meus olhos desmascarou quem preferiu fazer de mim parvo em vez de aproveitar a minha capacidade de ultrapassar as questões com base nessa forma de redenção tão simples que é a frontalidade sem tretas. Até porque não sou um menino de coro eu próprio e há muito desisti da utopia da perfeição seja em quem for.

 

Apenas duas pessoas em toda a minha vida não quiseram agarrar essa opção e por isso ficarão para sempre aos meus olhos como indignas de terem partilhado fosse o que fosse de mim e o seu papel na minha vida resumir-se-à ao de exemplos concretos de tudo aquilo que sempre temi por parte de quem comigo se cruza no caminho.

 

E por inerência justificam a crescente cautela com que me vejo obrigado a gerir qualquer tipo de aproximação aos outros para me poupar ao somatório de desilusões recíprocas.

Tags:
publicado por shark às 21:05 | linque da posta | sou todo ouvidos