A POSTA NO COGUMELO MÁGICO DO BAIRRO ALTO

smart shop bairro alto 

Foto: Shark

 

Tempos atrás, quando falei (aqui, e aqui) da loja Cogumelo Mágico de Aveiro, tive várias reacções na caixa de comentários e na sequência das mesmas prometi falar da versão lisboeta.
Precisava, contudo, de conhecer o estabelecimento e, naturalmente, experimentar algumas das respectivas propostas.
Assim fiz. Rumei ao Bairro Alto e visitei a Magic Mushroom, a tua loja de drogas legais.

Escolhi uma hora de pouco movimento, para poder dar uma vista de olhos em condições.

E dei.


A loja não é muito grande e num instante conseguimos percorrer as prateleiras carregadas de iguarias para a carola mais uma carrada de acessórios ligados ao respectivo consumo.
A sensação é porreira, sobretudo pela disponibilidade de quem lá trabalha para nos aconselhar com um saber de experiência feito que ajuda a orientar as nossas decisões.
O interior do espaço faz lembrar o de uma loja de artigos de magia, fazendo jus ao nome, e tem boa onda.
O problema está no preço das guloseimas para o toutiço, que em matéria das especialidades da minha preferência coloca a coisa na fasquia dos dez euros por grama.

Pulse, Samurai e agora a novidade Dragon. Foram essas as minhas escolhas, em função do que mais se adequa ao meu perfil de consumidor (gosto de cogumelos mas é no bife com natas).


O Pulse foi-me apresentado como mais suave e de efeito mais prolongado e com efeitos afrodisíacos. Estes últimos não os senti, pois em mim tratar-se-ia de uma redundância. Mas é agradável de fumar e suave como dizem.
O Samurai é mais forte, mais próximo ao efeito da erva tradicional e tem um sabor fixe.
Do Dragon ainda estou em fase experimental e pouco posso adiantar nesta altura.

Em qualquer caso, estas opções que a lei não proíbe mas um estranho pudor qualquer obriga a vender em embalagens que o referem como apenas para uso como incenso e não para consumo humano não constituem um substituto do material proibido.


Não contem com uma moca descomunal, embora possam ter como certo que a cena bate.
E com a vantagem de não implicar os riscos associados à legislação idiota que facilita a vida a intermediários oportunistas.
É legal e a prová-lo está o facto de ser vendido numa loja a dezenas de metros de uma esquadra da polícia.

 

A Magic Mushroom, como a Smart Shop de Aveiro, tem um site a partir do qual é possível encomendar para qualquer ponto do país, à cobrança. E a coisa funciona. Cerca de 48 horas depois de feita a encomenda a mercadoria é entregue num embrulho discreto, o tal pudor a funcionar, e mais fácil não pode haver.
Funciona de segunda a sábado entre o meio dia e a meia noite, no 29 da Rua Luz Soriano, em pleno Bairro Alto, e constitui uma alternativa excelente ao caldo knorr que os espertalhões do circuito ilegal nos impingem a cada esquina.
Podem ligar para o 213467238 se quiserem esclarecer alguma dúvida, eles são simpáticos e atenciosos.

 

E vão lá conhecer a loja e provar os “incensos” ou mesmo outra das muitas especialidades que a natureza oferece e a lei tacanha entendeu não proibir.
Mal não faz. Posso afiançar.

 

publicado por shark às 13:31 | linque da posta | sou todo ouvidos